Budismo/História do Budismo: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
[edição não verificada][edição não verificada]
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
[[Image:Queen Maya, Borobudur.jpg|center|500px|thumb|Representação da rainha Maya, em Borobodur, Indonésia]]
 
No entanto, tal cuidado foi em vão. Mesmo vivendo em meio ao luxo e conforto do palácio de seu pai, um dia Sidarta, ao passear fora do palácio, testemunhou os quatroQuatro sinaisSinais: aum velhicevelho, aum doençadoente, aum mortemorto e aum renúnciamonge. Este contato de Sidarta com a realidade da vida chocou-o de tal forma que o levou a abandonar o palácio de seu pai, sua esposa e seu filho, e se lançar numa jornada de procura espiritual nas selvas indianas. Ele tinha 29 anos.
 
Sua primeira tentativa foi tornar-se discípulo de um guru, um mestre espiritual indiano. Porém este caminho não o satisfez, e ele procurou o caminho do ascetismo, junto com outros cinco companheiros. Sidarta ultrapassava em rigor a disciplina de seus colegas, e comia apenas um grão de feijão por dia. Tornou-se tão magro que dizia poder tocar a espinha quando colocava a mão sobre o estômago. Ao fim de seis anos desse regime, Sidarta um dia perdeu os sentidos e somente se recobrou quando uma moça que passava se compadeceu dele e lhe deu um pouco de mingau para comer. Raciocinando, Sidarta concluiu que o ascetismo não estava lhe trazendo o esclarecimento espiritual que buscava, e procurou outro caminho, o da meditação solitária. Seus companheiros de ascetismo não concordaram com ele, e o abandonaram.
Utilizador anónimo