Budismo/História do Budismo: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
[edição não verificada][edição não verificada]
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
Com o fim do Império Mauria, outros reinos continuaram a apoiar o Budismo, como por exemplo os reinos formados pelos descendentes dos conquistadores macedônios de Alexandre Magno na Ásia. Estes reinos passaram para a história com o nome de reinos greco-bactrianos e reinos hindu-gregos. Famoso entre estes reinos foi o reino de Gandhara, na fronteira dos atuais Paquistão e Afeganistão, e que originou uma escola de arte com o mesmo nome, responsável provavelmente pela primeira representação humana de Buda. Até então, não se considerava respeitoso representar Buda sob uma forma humana, mas a influência cultural grega de Gandhara legou à criação de imagens de Buda com roupas e feições gregas. Tais imagens foram as precursoras de todas as imagens posteriores de Buda. Estes reinos de origem grega foram eventualmente destruídos por invasores turcos, os kushanas, que por sua vez continuaram a apoiar o Budismo. Um de seus soberanos, chamado Kanishka, passou inclusive para a história budista como o realizador do quarto concílio budista, na Cachemira. Por esta realização, Kanishka é conhecido como "o segundo Asoka".
 
 
[[File:SeatedBuddha.jpg|center|250px|thumb|Imagem De Buda Da Escola De Gandhara, Séc. I-II d.C.]]
 
 
Utilizador anónimo