Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Antigo império/Dinastias do Antigo Império 3 e 4"

Refeita a 3ª dinastia
m (Introdução à História I: Civilização Egípcia/Índice/Antigo império/Dinastias do Antigo Império movido para Civilização Egípcia/Índice/Antigo império/Dinastias do Antigo Império: criação de livro próprio)
(Refeita a 3ª dinastia)
[[Introdução à História I: Civilização Egípcia|Civilização Egípcia/Índice]]
 
[[Image:Egypte louvre 279 couple.jpg|thumb|150px|right|O inspetor dos escribas Raherka e sua esposa Merseankh,4ª dinastia]]
'''Dinastias 3-6'''
 
==Faraós da Terceira Dinastia==
*SanakhteNebka (NebkaSanakhte) <br>
*Netjerykhet (Djoser) <br>
*Sekhemkhet (Djoser Teti) <br>
*Huni <br>
 
'''*Nebkha (Hórus o vitorioso protetor)'''
'''Sanakhte''' - deve ter sido '''Nebka''', que é mencionado no papiro de Westcar (mas não na Pedra de Palermo) e na lista de reis de Abydos, como o primeiro faraó da terceira dinastia. <br>
*Mâneton o chama Necherophes, Necherochis, Mesochris<br>
*Lista de reis – Nebka O senhor do Ka. <br>
Algumas listas se referem a ele como Nebka, outras como Sanakhte então é possível que os dois nomes sejam da mesma pessoa ou pode ser que Sanakhte tenha sido outro governante. Sua posição entre os governantes é complicada porque o nome Sanakhte não pertence a nenhum dos reis das listas. <br>
De acordo com a tradição, ele é considerado o fundador da 3ª dinastia e irmão mais velho de Djoser, mas, isso não é afirmado pois não há comprovação, afinal não se sabe quase nada do período de seu reinado. Sua tumba não foi identificada, os restos mortais encontrados numa mastaba em ''Beit Kallahf'', perto de Abidos, conferem com a descrição de Mâneton de um homem alto e forte, portanto há possibilidades de que ali tenha sido o local de sepultamento deste faraó. Não foi encontrado nenhum monumento funerário, pirâmide ou templo com seu nome. <br>
Já o nome de Sanakhte foi encontrado nos restos de uma pequena pirâmide em Elefantina. Ele também é representado golpeando um inimigo, na pose tradicional dos faraós, num fragmento de relevo encontrado no Sinai. <br>
 
'''*Netjerikhet Djoser (Hórus,divino corpo)'''
'''Netjerykhet Djoser''' – talvez tenha sido o mais famoso faraó desta dinastia. O complexo que engloba a ''Pirâmide de Degraus'' foi o primeiro a ser feito apenas com pedras e a forma piramidal começa a se esboçar neste monumento. <br>
[[File:Saqqarah Djeser 10.jpg |thumb|180px|left|estátua de Djoser em Saqqara]]
*Mâneton o chama Tosorthros, Sesorthos, Sosorthus. Soyphus
*Lista de reis - Djoser Sa, Djoser, Djoser-it, Djeser Nebu, Netjerikhet Djoser
 
''Na Lista de Reis de Turim o nome de Djoser está inscrito em vermelho.''
'''Sekhemkhet''' - o pouco que sabemos sobre ele é graças ao fato de ter sido encontrada sua tumba, uma pirâmide inacabada em Saqara. Aparentemente esse túmulo não foi atacado pelos ladrões e os arqueólogos se animaram com a descoberta, mas tudo o que encontraram foi um sarcófago feito de alabastro, com o selo intacto, mas estava vazio. Havia braceletes, amuletos e uma jarra trazendo o selo de Sekhemkhet, mas não havia múmia. <br>
[[Image:Khaba-DolomiteBowlBearingHisName.png|thumb|150px|right|Vasilha com o nome de Khaba]]
 
Ele é mais conhecido por sua Pirâmide de Degraus em Saqqara. O complexo mortuário (pirâmide, templos, câmaras de sepultamento e as tumbas) é um dos grandes passos para a evolução da pirâmide verdadeira que vai surgir logo depois. <br>
'''Khaba''' – quase nada se sabe também sobre esse faraó. No Cânone de Turim, o nome dele está marcado como apagado (talvez por problemas dinásticos ou porque o escriba não conseguiu ler o nome em escritos antigos) e dono de um reinado de apenas seis anos. Acredita-se que o monumento funerário de ''Zawyet el-Aryan,'' próximo a Saqara e abandonado no início da construção seja dele. <br>
Esse faraó foi conhecido pelo nome Netjerikhet e somente no Novo Império ele é mencionado como Djoser. As referências à Pirâmide de Degraus é que confirmam que Netjerikhet e Djoser são a mesma pessoa. <br>
É possível que ele tenha sido filho de Nimataap e Khasekhemwy. <br>
Durante o seu reinado enfrentou sete anos de fome que maltratou o povo do Egito. O sacerdote Imhotep o aconselhou a ir até Elefantina e lá erigir um templo para Khnum, o deus que controlava o Nilo. Assim o faraó fez e logo em seguida voltaram as cheias e a fome acabou. As inscrições que contam essa história são da dinastia dos Ptolomeus, o que prova que Djoser era lembrado e venerado mais de dois mil anos depois de sua morte. <br>
No reinado de Djoser a capital passou a ser Mênfis e a necrópole passou para Saqqara. <br>
Foi um tempo de grande progresso, nas artes, literatura, organização do governo, na religião e principalmente tempo de grandes obras. <br>
Imhotep, que era o vizir, sacerdote, arquiteto, poeta, médico e cuja origem não se conhece, muitos argumentam que ele seria filho do faraó, foi o responsável pelo legado de Djoser. Ele foi venerado como um deus e até 2500 anos após sua morte, na fase romana ainda era visto dessa forma, coisa inédita no antigo Egito. <br>
A Pirâmide de Degraus e o complexo de Saqqara, foram construções erigidas numa escala nunca vista antes, de onde se deduz que o governo era firme e próspero. Foi a engenhosidade de Imhotep que abriu caminho para as obras magníficas que veremos posteriormente. <br>
[[File:Sekhemkhet.jpg|thumb|180px|right|o faraó Sekhemkhet golpeando um inimigo]]
 
'''*Sekhemkhet, (Hórus, poderoso corpo)'''
'''Huni''' – este é o último faraó da terceira dinastia. <br>
* Mâneton o chama Tyreis, Tyris, Tosortasis
Provavelmente foi ele quem, reestruturando a administração e desenvolvendo projetos de construção, preparou o caminho para as construções das pirâmides que viriam a seguir. O local de seu túmulo permanece um mistério. <br>
*Lista de reis - Teti, Djoser-Teti, Djoser-ti, Djeser-Teti, Iteti
 
Sekhemkhet era um faraó totalmente desconhecido até que, em 1951 foi descoberta em Saqqara uma pirâmide interminada e enterrada. Fotografias aéreas da área próxima da ''Pirâmide de Degraus'' de Djoser, mostravam que havia um muro sob a areia, e de fato, os restos de uma pirâmide inacabada que seria maior do que a de Djoser lá estavam.Talvez ela fosse duas vezes mais alta antes que abandonassem o trabalho e esse local fosse usado como canteiro de obras para outras construções. <br>
Embora a terceira dinastia se encerre com Huni, ele era provavelmente, o pai do próximo faraó. É quase certo que a mãe de ''Snefru'' era ''Meresankh'', uma esposa menor ou concubina de Huni. Se foi assim, Snefru deve ter desposado sua meia irmã, ''Hetepheres I'', que era filha de Huni. <br>
É possível que esse faraó tenha reinado durante pouco tempo e quando morreu, o trabalho em seu túmulo tenha parado. Dentro de uma câmara na pirâmide, foi encontrado um sarcófago de alabastro selado, mas, para tristeza dos arqueólogos, estava vazio, não havia múmia. O misterioso Sekhemkhet não foi encontrado. <br>
A lembrança de Huni sobreviveu muito tempo após a sua morte, porque a Pedra de Palermo registra uma propriedade que pertencia a seu culto, durante o reinado de ''Neferirkara'', da quinta dinastia, aproximadamente cento e cinqüenta anos após sua morte.
Houve um meticuloso planejamento para a construção dessa pirâmide, havia 132 depósitos conectados entre si e local do sepultamento estava colocado exatamente sob o centro da pirâmide. Lá dentro foram encontradas centenas de potes quebrados, trabalhos em ouro e joalheria. Nos potes havia a inscrição com o nome de Sekhemkhet e outras inscrições de Djoser-ti. <br>
O sarcófago de alabastro não possuía tampa, era fechado por uma cobertura que corria a partir dos pés e que estava fechada e completamente selada. Muitos acharam que era uma tumba inviolada mas ao ser aberto, o sarcófago estava vazio.<br>
Acredita-se que, na antiguidade a sepultura foi violada e bem mais tarde tanto o caixão quanto a tumba foram consertados. <br>
Ao sul da pirâmide inacabada, foi encontrada uma pequena mastaba que continha um caixão de madeira com o corpo de uma criança de 2 ou 3 anos, não se sabe se seria filho do faraó. <br>
Como registro deste rei há um relevo em ''Wadi Maghara'' que mostra a tradicional figura do faraó golpeando seu inimigo com a maça. <br>
 
'''*Khaba (Hórus, surge o Ba)'''
*Mâneton o chama Mesochris
*Lista de reis - Hudjefa, Neferkare Bela é a alma de Ra, Nebkare Senhor das Almas, Ra
 
É possível que Khaba e Nebka (o primeiro da dinastia) sejam a mesma pessoa, porque praticamente nada se sabe sobre esse rei. <br>
Seu nome está apagado na Lista de Turim, talvez por problemas dinásticos ou porque o escriba não conseguiu ler o nome em escritos antigos. <br>
Ele está registrado na tumba de Sahure com uma inscrição e poucos vasos de pedra, a sua própria tumba não foi encontrada. Acredita-se que o monumento funerário, uma pirâmide de degraus inacabada em ''Zawyet el-Aryan'', próximo a Saqqara seja de Khaba. <br>
 
'''*Huni (?)'''
*Mâneton o chama Kerpheris, Aches
*Lista de reis – Huni
 
Não se conhece seu nome de Hórus ou outros, mas ele está registrado na lista de reis de Saqqara e de Turim, mas não na de Abidos. <br>
Foi encontrada uma inscrição com seu nome em Assuã e na Pedra de Palermo há uma outra forma de seu nome. Além disso nada foi encontrado, nem uma estátua, um relevo, inscrição ou algum desenho que seja comprovadamente deste rei. <br>
Acredita-se que ele seja o responsável por várias pequenas pirâmides espalhadas através do Egito, em áreas remotas. Nem sequer se sabe para que foram construídas, se como marcos de fronteira, de estados ou qualquer outra coisa, elas são pequenas e não contêm câmaras internas, não são tumbas. <br>
É possível que a pirâmide de ''Abu Rawash'', ao norte de Gizé seja deste faraó porque os tijolos usados para sua construção são típicos da 3ª dinastia. <br>
 
==Faraós da Quarta Dinastia==
2 904

edições