Diferenças entre edições de "Mate/Maneiras de preparar a bebida"

sem resumo de edição
É a maneira tradicional do estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Após ser colhida, a erva-mate (folha e talo) passa por um breve processo de secagem sobre uma fonte de calor, denominado "sapecamento", apenas para evitar que apodreça. Em seguida, passa por mais secamento, em um "carijó" (armação que sustenta a erva sobre o fogo em contato direto com o mesmo) ou em um "barbaquá" (estrado de madeira que permite um contato indireto da erva com o calor do fogo). Em seguida, a erva é moída, ou seja, "cancheada".
 
Preparada a erva em pó, ela já pode ser consumida. Coloca-se a erva em um recipiente feito de porongo (uma espécie de abóbora) seco e oco, a cuia. A cuia é feita do mesmo fruto com o qual se fabrica a cabaça utilizada no berimbau da capoeira. A erva deve preencher 2/3 da cuia. Inclina-se a cuia de modo que o pó fique na parte lateral da mesma. Pode-se apoiar a erva com a mão ou um prato. Molha-se a erva, apenas para manter a estrutura firme. Coloca-se a bombilha (canudo de metal) ao longo da parede de erva molhada. Adiciona-se água morna e pronto. A bebida deve ser consumida pela mesma pessoa, até que o líquido seja esvaziado totalmente, fazendo a cuia "roncar". Então a cuia pode passar para outra pessoa, que a encherá de água quentemorna e repetirá todo o processo. Se a bebida perder o sabor, a erva deve ser reposta.
 
 
Utilizador anónimo