Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Período dinástico antigo"

formatação (incluindo texto no contexto)
(formatação (incluindo texto no contexto))
O fator primordial para o desenvolvimento de qualquer povo é a escrita, a criação de símbolos para registrar idéias.
 
A invenção da escrita deve ter ocorrido primeiro na Mesopotâmia, mas logo chegou ao Egito, onde podia ser considerada como uma arte. A forma primitiva de escrita egípcia, o hieróglifo ou escrita sagrada, jamais foi abandonada.
 
É importante lembrar que os egípcios já possuíam um tesouro chamado papiro, planta que além de decorativa servia para fazer desde velas de barco até sandálias, e principalmente a folha de papiro, base da escrita. As hastes de papiro chegavam a 3 metros de altura e bastava cortá-las e prepará-las para obter a folha perfeita para escrever.
[[File:DemoticScriptsRosettaStoneReplica.jpg|thumb |right|150px |exemplo de escrita demótica numa réplica da Pedra de Roseta]]
Não é possível deixar de mencionar aqui a famosa ''Pedra de Roseta'', que permitiu que os hieróglifos fossem finalmente decifrados. Essa ''Pedra'', é um bloco de granito negro e foi encontrado por um soldado do exército francês, no Egito em 1799. Gravado no ano de 196 a.C., no bloco há uma homenagem emitida pelos sacerdotes egípcios ao faraó Ptolomeu V Epifanes. A grande importância da Pedra de Roseta, é o fato desta homenagem ter sido escrita em três escritas diferentes: na hieroglífica, em demótico e em grego. Mesmo assim, Jean François Champollion levou 23 anos ainda, para decifrar a escrita egípcia.
mas também podia ser como uma arte antiga
 
==Artes ==
11 788

edições