Diferenças entre edições de "Logística/Localização/Selecção de locais/Selecção sistemática do local para uma instalação/Análise de sensibilidade e selecção do local"

Actualização
(Actualização)
(Actualização)
 
 
<center>Tabela 1. Medida da localização para alguns locais. Fonte: Adaptado de [[Logística/Referências#refbTOMPKINSD|Tompkins eet Whiteal. (1984, p. 524).]]</center>[[Imagem:Medida da localização.jpg|thumb|center|500px]]
 
[[Imagem:Análise de sensibilidade.jpg|thumb|center|Figura 1. Análise de sensibilidade. Fonte: Adaptado de [[Logística/Referências#refbTOMPKINSD|Tompkins eet Whiteal. (1984, p. 525).]]|600px]]
 
 
 
De acordo com os pressupostos do [[w:Técnica|procedimento]] de Brown e Gibson (Cit. por
[[Logística/Referências#refbTOMPKINSD|Tompkins eet Whiteal., 1984, p. 524-525]]), o local a recomendar para uma instalação, deve ser aquele que tiver o maior valor da medida de localização. Contudo, os resultados da análise de sensibilidade podem levar a [[w:Administração|gestão]] da [[w:Empresa|empresa]] a recomendar a selecção de um outro local ou a realizar um estudo mais aprofundado. Não é de todo incomum descobrir que o [[w:Processo|processo]] deve ser repetido, quer porque foram definidos novos factores, sugeridos novos locais candidatos, ou alterados valores atribuídos a alguns factores, devido a [[w:Condição lógica|condições]] de [[w:Negócio|negócio]]. Deve-se ter em conta que o [[w:Objectivo|objectivo]] do estudo é auxiliar a gestão da empresa na [[w:Tomada de decisão|tomada de decisões]] bem fundamentadas.
 
{{AutoCat}}
430

edições