Santos católicos/Biografias: diferenças entre revisões

Inseri informação sobre Santa Marta. Dividi a página.
[edição não verificada][edição não verificada]
(Adicionei informações sobre Santa Catarina.)
(Inseri informação sobre Santa Marta. Dividi a página.)
O seu nome, porém, deriva de uma imagem de Nossa Senhora que se localiza na cidade de Guadalupe, na Extremadura, na Espanha. Tal imagem de madeira foi doada, em 580, pelo papa São Gregório Magno ao bispo de Sevilha. Em 711, na invasão muçulmana, a imagem foi escondida pelos cristãos. Ela somente veio a ser reencontrada pelo pastor Gil Cordero, que, guiado por uma aparição de Nossa Senhora, reencontrou a imagem em 1326.<ref>http://www.sancta.org/moreninha.html</ref>
[[File:Guadalupe, monasterio.jpg|center|230px|thumb|Mosteiro de Guadalupe, na Espanha, que abriga a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe]]
NOSSA SENHORA DE MONTSERRAT: Montserrat (Monte Serrado, em português) é o nome de uma cadeia de montanhas sagrada na região espanhola da Catalunha. Segundo a lenda, em 880 um grupo de pastores viu uma luz que irradiava de Montserrat. Se aproximando da fonte da luz, eles perceberam que a luz vinha de uma caverna, e dentro dessa caverna descobriram a imagem de Nossa Senhora de Montserrat. O bispo assim que soube da estátua ordenou que a trouxessem, porém ela era incrivelmente pesada, o que o bispo interpretou como um sinal de que a imagem devia permanecer no local, construindo então uma ermida para abrigá-la. Porém a imagem atual, que é guardada no mosteiro de mesmo nome nas encostas de Montserrat, foi confeccionada no século XII em madeira e mostra Maria segurando um globo terrestre e Jesus segurando uma pinha e saudando as pessoas com uma mão aberta. A imagem apresenta mãos e rostos negros devido à fumaça das velas dos fiéis ao longo dos séculos, motivo pela qual é apelidada de ''La Moreneta'', ou seja, ''A Morena''.
 
A ''Mãe de Deus de Montserrat'', como é chamada, foi declarada padroeira da Catalunha pelo Papa Leão XIII em 1881. Ela também é a padroeira oficial da cidade brasileira de Santos. Seu dia é o 27 de abril.
[[File:Verge.jpg|center|250px|thumb|Nossa Senhora de Montserrat]]
NOSSA SENHORA DE NAZARÉ: segundo a lenda, São José teria esculpido uma imagem de Maria. Tal imagem teria sido transportada, em 361, de Nazaré até o Mosteiro de Caulina, na Espanha. Daí, ela teria sido escondida no Pico de São Bartolomeu, em Portugal, vindo a ser reencontrada somente em 1119. A partir daí, começa a devoção a Nossa Senhora de Nazaré e muitos milagres começam a lhe ser atribuídos.
 
No Brasil, na cidade de Saquarema, três pescadores, ao voltar de uma pescaria, em 8 de setembro de 1630, notaram uma forte luz vinda de um monte rochoso próximo ao mar. Chegando no local, encontraram uma imagem de Nossa Senhora. Levaram a imagem para suas casas, porém a imagem sempre retornava ao monte na qual fora encontrada. Os pescadores decidiram então erguer uma capela no local em honra a Nossa Senhora de Nazaré, a qual se tornou ponto de peregrinação, pois diversos milagres lhe eram atribuídos.
[[File:Our Lady of Nazareth 3.JPG|center|250px|thumb|Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, em Saquarema, no Brasil]]
No Pará, no Brasil, um caboclo de nome Plácido José de Souza encontra, em 1700, às margens de um igarapé, uma pequena imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Leva então a imagem para sua casa, porém a imagem retorna sozinha para as margens do igarapé. Tal fato se repete várias vezes. Plácido então constrói uma capela no lugar em que a imagem havia sido encontrada. É a origem da Basílica Santuário, que se transforma no destino final do percurso do Círio de Nazaré, que todos os anos, no segundo domingo de outubro, transporta a imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas da capital paraense Belém acompanhada de uma multidão de dois milhões de devotos.<ref>http://www.ciriodenazare.com.br/</ref>
[[File:Cirio 2006 berlinda 1.jpg|center|250px|thumb|Imagem de Nossa Senhora de Nazaré na procissão do Círio de Nazaré, em Belém, no Brasil]]
NOSSA SENHORA DE PARIS: em 1163, começou a ser construída em Paris uma grande igreja em estilo gótico, que viria a ser conhecida como a Catedral de Nossa Senhora de Paris. As obras somente foram concluídas dois séculos depois, época em que foi instalada na catedral a imagem de Nossa Senhora de Paris.<ref>http://www.religiaocatolica.com.br/conteudo/aparicoes/paris.shtml</ref>
[[File:NotreDameDeParis.jpg|center|200px|thumb|Catedral de Nossa Senhora de Paris]]
NOSSA SENHORA DO BRASIL: uma imagem de Nossa Senhora com o Menino Jesus ao colo, ambos com feições indígenas e com um coração desenhado no peito, segundo a lenda, teria sido confeccionada na Capitania de Pernambuco, no Brasil, no século XVI, sob a inspiração do padre jesuíta José de Anchieta, que visitava a capitania na ocasião. Tal imagem teria sido conservada em uma aldeia indígena até a invasão holandesa no século XVII, quando teria sido perdida. A imagem teria sido redescoberta em 1710 por frades capuchinhos. Em 1828, a imagem teria sido levada para Nápoles, na Itália, onde passou a ser adorada como Nossa Senhora do Brasil ou Nossa Senhora dos Sagrados Corações.
[[File:NossaSenhoradoBrasil1.jpg|center|300px|thumb|Imagem de Nossa Senhora do Brasil]]
NOSSA SENHORA DO CARMO: segundo a lenda, no século XIII, Nossa Senhora teria aparecido a São Simão Stock, um monge de um mosteiro no Monte Carmelo, na Palestina. Nossa Senhora teria lhe dito que todos os que usassem o seu escapulário (peça composta por dois pequenos pedaços de pano unidos por dois cordões) seriam salvos do inferno. Desde então, a devoção a Nossa Senhora do Carmo se espalhou pelo mundo. Sua imagem normalmente apresenta a santa com seu filho Jesus e um ou mais escapulários<ref>http://www.santuariodocarmo.com.br/area_publica/controles/ScriptPublico.php?cmd=santuario</ref>.
[[File:Igreja de Nossa Senhora do Carmo-Goiana.jpg|center|250px|thumb|Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Goiana, Pernambuco, Brasil]]
NOSSA SENHORA DO DESTERRO: refere-se ao período em que a sagrada família esteve refugiada no Egito, fugindo à perseguição promovida pelo Rei Herodes. Diz-se que Nossa Senhora do Desterro protege todos os que se encontram distantes de sua pátria<ref>http://www.comamor.com.br/desterro.htm</ref>. A cidade brasileira de Florianópolis tinha antigamente o nome de Nossa Senhora do Desterro, o qual foi substituído em punição a seu apoio a revoltosos contra o governo de Floriano Peixoto, o qual renomeou-a como Florianópolis, que significa "cidade de Floriano".
[[File:Ph-2005- Altar-mór Catedral N.Sra. do Desterro em Judiai-SP.jpg|center|330px|thumb|Altar-mor da Catedral de Nossa Senhora do Desterro em Jundiaí, São Paulo, Brasil]]
NOSSA SENHORA DO Ó: seu culto originou-se a partir da festa de Nossa Senhora da Expectação do Parto, que lembra, na semana anterior ao Natal, a ansiedade de Maria pouco antes do nascimento de seu filho Jesus. Como nessa festa são recitadas ladainhas que começam o vocativo "ó", o povo começou a chamar a festa de Festa de Nossa Senhora do Ó. Por esta razão, as imagens de Nossa Senhora do Ó costumam apresentar Maria com o ventre avantajado. No século XVII, o bandeirante Manuel Preto construiu uma capela dedicada a Nossa Senhora da Expectação na Vila de São Paulo, no Brasil. Tal capela viria a dar origem ao atual bairro da Freguesia do Ó, na cidade brasileira de São Paulo<ref>http://www.sampa.art.br/igrejas/nossasradoo/</ref><ref>http://www.portaldoo.com.br/historia/evento/bairro.html</ref><ref>http://www.portaldoo.com.br/historia/doc/antifona.html</ref>.
[[File:Freg01.jpg|center|300px|thumb|Igreja matriz de Nossa Senhora do Ó, na Freguesia do Ó, em São Paulo, no Brasil]]
NOSSA SENHORA DO PILAR: segundo a lenda, São Tiago Maior, enquanto pregava o Evangelho em Saragoça, na Hispania romana, presenciou uma aparição de Maria, mãe de Jesus, que na época ainda vivia na Terra Santa. Maria teria aparecido a São Tiago Maior e seus companheiros em cima de um pilar, pedindo que aí se construisse uma igreja. Tal igreja corresponde à atual Basílica de Nossa Senhora do Pilar, em Saragoça, na Espanha.
[[File:Pilar noche.jpg|center|350px|thumb|Basílica de Nossa Senhora do Pilar, em Saragoça, Espanha]]
NOSSA SENHORA DOS PRAZERES: seu culto teve inicio em Alcântara, Portugal, por volta de 1590. Na ocasião, uma imagem de Nossa Senhora foi encontrada em uma fonte. Ao beber água na fonte, uma menina presenciou uma aparição de Nossa Senhora pedindo que ela fosse venerada sob o nome de Nossa Senhora dos Prazeres e que uma igreja fosse construída naquele local. Mais tarde, um monge franciscano listou os sete prazeres (ou alegrias) de Nossa Senhora: a anunciação, a saudação de Isabel, o nascimento de Jesus, a visitação dos Reis Magos, o encontro com Jesus no templo quando ele conversava com os doutores da lei, a aparição de Jesus ressuscitado e a coroação de Maria no Céu. O dia de sua festa é o segundo domingo após a Páscoa.<ref>http://amaivos.uol.com.br/amaivos09/noticia/noticia.asp?cod_noticia=12237&cod_canal=32</ref>
[[File:Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, Pico da Pedra, ilha de São Miguel, Açores.JPG|center|260px|thumb|Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, ilha de São Miguel, Açores, Portugal]]
NOSSA SENHORA ROSA MÍSTICA: se refere às diversas aparições de Nossa Senhora que ocorreram ao longo do século XX, em diversas partes do mundo, nas quais Nossa Senhora se apresentava com três rosas no peito: uma branca, simbolizando a oração; uma amarela, simbolizando a penitência; e uma vermelha, simbolizando o sacrifício. Nas aparições, Nossa Senhora pregava a oração em prol das vocações religiosas.
[[File:Rosa Mística.jpg|center|200px|thumb|Nossa Senhora Rosa Mística, em pintura de Francesc Laporta Valor]]
SANTA CATARINA: nasceu em Alexandria, no Egito. Aos dezoito anos de idade, teria tido uma visão mística em que se casava com Jesus no Céu, o que a motivou a converter-se ao Cristianismo. O imperador romano Maximino Daia propôs-lhe casamento mas, diante da recusa de Catarina, o imperador convocou cinquenta filósofos para refutar a doutrina cristã de Catarina. Catarina conseguiu, no entanto, converter ao Cristianismo os cinquenta filósofos. O imperador então determinou que Catarina fosse torturada sob uma roda de ferro pontiaguda, porém ela, miraculosamente, não sofreu dano algum. Catarina foi então decapitada e, segundo a lenda, de seu pescoço não teria brotado sangue, mas leite. Anjos teriam transportado seu corpo até o monte Sinai, onde mais tarde foi construído um mosteiro em sua memória<ref>ALVES, J. ''Os santos de cada dia''. São Paulo: Edições Paulinas, 1990. pp. 664-665</ref>.
[[File:Catherine alexandria alg164536 hi.jpg|center|250px|thumb|Catarina de Alexandria em pintura do século dezesseis]]
SANTA EDWIGES: nasceu em Andechs, na Baviera, na Alemanha, em 1174. De origem nobre, usava sua riqueza para ajudar os pobres. Costumava pagar as dívidas das pessoas que haviam sido presas por dívidas contraídas e não pagas. Por este motivo, é considerada a santa padroeira dos pobres e endividados. Foi canonizada em 1267. Por haver construído muitas igrejas, hospitais, escolas e conventos, costuma ser representada com uma construção nas mãos.
[[File:Passau Niedernburg Hl Hedwig.jpg|center|200px|thumb|Estátua de Santa Edwiges em Passau, na Alemanha]]
SANTA EULÁLIA DE BARCELONA: Eulália foi uma jovem cristã que viveu na cidade espanhola de Barcelona, durante a dominação romana. Forçada pelas autoridades romanas a renegar sua fé e a oferecer sacrifícios aos deuses romanos, Eulália se negou. Como punição, as autoridas romanas determinaram que ela fosse exposta nua em praça pública. Mas, miraculosamente, uma súbita nevasca fora de época (pois já era primavera) fez com que seu corpo nu fosse coberto pela neve. As autoridades romanas decidiram então colocá-la dentro de um barril com vidro quebrado e cravos e jogar o barril encosta abaixo. É a padroeira da cidade espanhola de Barcelona.
[[File:Baixada de Santa Eulàlia.jpg|center|200px|thumb|''Baixada de Santa Eulália'', rua de Barcelona onde teria ocorrido o martírio da santa]]
SANTA FILOMENA: nascida na Grécia no século III, era filha de nobres. Foi prometida em casamento ao imperador romano Diocleciano mas se recusou a casar, alegando que estava prometida a Jesus. Como punição por sua recusa, foi submetida a diversos formas de execução, mas sobreviveu miraculosamente a todas elas. Finalmente, morreu decapitada. Em 1802, foi achado, em Roma, um túmulo com os ossos de uma adolescente com uma ânfora, uma palma e a inscrição ''lumena paxte cumfi'', a qual foi interpretada como significando "a paz contigo, Filomena". Em 1833, depois de inúmeros milagres, Filomena foi declarada santa pela Igreja Católica. No mesmo ano, Maria Luisa de Jesus alegou ter recebido, em Nápoles, revelações divinas sobre a história de Santa Filomena. Seu culto espalhou-se pelo mundo no final do século XIX e início do século XX com a emigração italiana. Os restos mortais de Santa Filomena encontram-se na cidade italiana de Mugnano del Cardinale.
[[File:Sainte philomene.jpg|center|150px|thumb|Estátua de Santa Filomena na Igreja de Santo Sulpício em Heudicourt na França]]
SANTA TERESA D´ÁVILA: foi uma religiosa espanhola que viveu no século XVI. Desde a infância era atraída pela vida religiosa, e tentou fugir para a África para sofrer o martírio nas mãos dos muçulmanos e alcançar o Céu, mas foi detida por parentes nas vizinhanças de sua casa. Já adulta, ingressou na vida religiosa como freira, mas achou o regime no convento muito leve e fundou um novo convento, com disciplina mais rigorosa. Prosseguiu fundando conventos e escrevendo livros sobre suas experiências até a morte, em 1582, na cidade de Alba de Tormes.
 
Seu dia é o 15 de outubro.<ref>ALVES, J. B. ''Os Santos de Cada Dia''. 7ª edição. São Paulo: Edições Paulinas, 1990.p.582</ref>
[[File:Teresabernini.JPG|center|250px|thumb|''O Êxtase de Santa Teresa'', estátua de Bernini do séc. XVII]]
SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS: Marie-Françoise-Thérèse Martin nasceu em Alençon, na França, em 2 de janeiro de 1873. Aos quinze anos, entrou para a Ordem das Carmelitas Descalças. Morreu em 30 de setembro de 1897. Foi canonizada em 1925. Também é conhecida como Thérèse de Lisieux<ref>http://www.cancaonova.com/portal/canais/especial/santa_teresinha/02.php</ref>.
[[File:Teresadarco.jpg|center|300px|thumb|Foto de Thérèse de Lisieux em 1895]]
SANTO AMARO: também conhecido como São Mauro. Nasceu na cidade de Roma, em 512, filho do senador Eutíquio. Manifestando seu desejo de seguir a vida religiosa, Amaro foi mandado por seu pai para o mosteiro de Subiaco juntamente com seu primo Plácido para obedecerem às orientações de Bento de Núrsia. No mosteiro, Bento teve certo dia uma visão de que Plácido estaria se afogando em um riacho próximo. Bento então mandou que Amaro o salvasse. Amaro, ao avistar o primo se afogando, caminhou miraculosamente sobre as águas do riacho e o salvou. Posteriormente, os três seriam canonizados pela Igreja Católica. Bento mandou Amaro para a França em 1543 para dirigir a abadia de Glanfeuil. Amaro morreu em 15 de janeiro de 584, data que se tornou o dia oficial de celebração do santo.<ref>http://santoamarocity.wordpress.com/2010/06/01/quem-foi-santo-amaro/</ref><ref>http://www.saomauro.org.br/secao.php?id=38</ref>
[[File:Benedetto, Mauro e Placido.jpg|center|400px|thumb|Pintura do século quinze de Fra Filippo Lippi mostrando Bento enviando Amaro para salvar Plácido]]
SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA: nasceu em Lisboa, Portugal, em 1195. Segundo a tradição, foi coroinha na Sé de Lisboa, quando criança. Tornou-se monge franciscano, tendo sido contemporâneo de São Francisco de Assis. Morreu em Pádua, na Itália, em 1231. É considerado o santo padroeiro de Portugal e dos militares. Seu dia é o 13 de junho. É também considerado um santo casamenteiro, por ter promovido a conciliação entre cônjuges quando vivo. Por esta razão, o dia anterior ao dia de Santo Antônio é tido no Brasil como o Dia dos Namorados.
[[File:Maisiagala COA.gif|center|200px|thumb|Santo Antônio segurando o Menino Jesus, no brasão da cidade lituana de Maisiagala]]
{{ref-section}}
{{AutoCat}}
2 529

edições