Santos católicos/Biografias: diferenças entre revisões

m
Não é mais preciso inserir a navegação manualmente, basta manter a lista de capítulos do livro atualizada. Ver detalhes.
[edição não verificada][edição não verificada]
(Adicionei verbetes.)
m (Não é mais preciso inserir a navegação manualmente, basta manter a lista de capítulos do livro atualizada. Ver detalhes.)
 
{{navegação|[[Santos católicos|Índice]]|[[Santos católicos/Introdução|Introdução]]|[[Santos católicos/Biografias (2ª parte)|Biografias (2ª parte)]]}}
FREI GALVÃO: oficialmente é conhecido como Santo Antônio de Sant'Ana Galvão. Nasceu em Guaratinguetá, São Paulo, Brasil, em 1739. Pertencia a uma família rica e era parente do célebre bandeirante paulista Fernão Dias Paes, o ''Caçador de Esmeraldas''. Para se aperfeiçoar nos estudos, foi mandado por seu pai para o colégio jesuíta em Cachoeira, na Capitania da Bahia, chamado Colégio de Belém. Seu desejo era tornar-se padre jesuíta, mas, com a expulsão dos jesuítas efetuada pelo Marquês de Pombal, Frei Galvão acabou por abandonar o Colégio de Belém e transferir-se para o Convento Franciscano de São Boaventura de Macacu, em Itaboraí, Capitania do Rio de Janeiro. Foi aí que ele trocou o nome natal Antônio Galvão de França pelo de Antônio de Sant'Ana Galvão, para homenagear a santa de devoção da família. Em 1761, ingressou na Ordem Franciscana e, no ano seguinte, ordenou-se sacerdote na Igreja de Santo Antônio do Largo da Carioca na cidade do Rio de Janeiro. Finalizou os estudos no Convento de São Francisco na cidade de São Paulo. Lá, travou contato com Irmã Helena Maria do Espírito Santo, que pertencia ao Recolhimento de Santa Teresa. Ela contou-lhe ter tido visões em que Jesus ordenava a construção de um novo recolhimento. Acreditando na veracidade das visões, Frei Galvão tomou a iniciativa da construção do recolhimento, do qual foi arquiteto, mestre de obras e pedreiro. O recolhimento foi inaugurado em 1774, com o nome de Recolhimento da Luz.
 
19 639

edições