Medicina geral e familiar/Medicina baseada na evidência: diferenças entre revisões

[edição não verificada][edição não verificada]
De acordo com estes podemos obter alguns indicadores da fidedignidade dos testes, nomeadamente:
 
===Sensibilidade===
'''Sensibilidade''' é a proporção de pessoas doentes que tem o teste positivo, antes chamado de "positividade na doença". Um teste muito sensível é muito bom para excluir hipóteses uma vez que tem poucos falsos negativos, no entanto um resultado positivo é menos útil porque a elevada sensibilidade não exclui que possam haver falsos positivos.
 
A sensibilidade de um teste diagnóstico varia com o estado de evolução da doença.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad positivos} {total \quad de \quad doentes}</math></center>
<center><math>\frac{verdadeiros \quad positivos} {verdadeiros \quad positivos + falsos \quad negativos}</math></center>
 
===Especificidade===
 
'''Especificidade''' é a proporção de indivíduos sadiossem doença que apresentam teste negativo., Umantes testechamado muitode específico"negatividade excluina asaúde" maioria(neste doscaso indivíduoso sadios,termo obtendo-se"saúde" assimé umincorrectamente elevadousado valordevendo preditivoser positivo,substituído enquantopor que"ausência umde doença"). Um teste poucomuito específicoespecifico podeé identificarmuito incorrectamentebom umpara indivíduoconfirmar saudáveldiagnósticos comouma doentevez (falsoque positivo)tem poucos falsos positivos. AQuando principala aplicaçãoespecificidade dosé testesde muito100% específicosentão o teste é diagnóstico, em semiologia é '''Patognomónico'''. Um resultado negativo é menos útil porque a exclusãoelevada deespecificidade umnão diagnósticoexclui que possam haver falsos negativos.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad negativos} {total \quad de \quad saudaveis}</math></center>
 
ou
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad negativos} {verdadeiros \quad negativos + falsos \quad positivos}</math></center>
 
 
33

edições