Diferenças entre edições de "Física quântica para crianças/O que é física quântica"

sem resumo de edição
Se um hipotético canhão atirassem particulas de materia muito pequena (como grãos de areia por exemplo)por uma finíssima fenda. Estas particulas ao passarem por esta fenda se projetariam em uma superficie no fundo formando um modelo semelhante a fenda por onde passaram. Se fizermos a mesma coisa com duas fendas paralelas, observaremos que o modelo segue o mesmo padrão anterior, formando a imagem, agora, de duas fendas na superficie onde são projetadas.
 
Porem quando se substitui as particulaspartículas de materiamatéria por ondas, no primeiro caso, as ondas passmpassam pela fenda simples e marcam na superficiesuperfície um modelo igual o da fenda. Portanto a reação foi igual a das particulaspartículas de materiamatéria. Todavia quando são enviadas atravezatravés das fendas duplas, obtemobtêm-se um modelo de inteferenciainterferência na superficiesuperfície, com varias imagens como se houvessem varias fendas e não apenas duas. Isto é bastante compreensível e ocorre devido ao fato de que as ondas ao passarem pelas duas fendas se dividem e depois colidem umas com as outras produzindo este efeito. Até aqui tudo acontece dentro da normalidade, e não ha nada de estranho nisto.
 
Porem quando realizamos esta mesma experiencia com um feixe de eletronelétron, que são uma parte muito reduzida da materiamatéria, algo estranho e bizarro acontece.
No primenroprimeiro caso, quando passamos o feixe de eletronelétron por uma fenda simples ao se chocar na superficiesuperfície ao fundo, ela igualmente forma um modelo semelhante a esta fenda. Comportando-se, portanto, como as particulaspartículas de materiamatéria.
Mas ao serem projetadas atravezatravés de uma fenda dupla estas particulaspartículas de eletronelétron comportam se como uma onda formando na superficiesuperfície um modelo de interferenciainterferência como se tivesemtivessem passado por varias fendas.
 
A principio pensou-se que estas particulaspartículas estivessem ricocheteando umas nas outra e formando um modelo de interferenciainterferência. Então os fisicosfísicos resolveram lançar um eletronelétron de cada vez. Desta forma, se esperava que este efeito não ocorreseocorresse. Todavia mesmo emitindo um eletronelétron de cada vesvez, ao passarem pela fenda dupla, depois de um certo tempo, orioginavamoriginavam o mesmo modelo de interferenciainterferência.
 
A conclusão a que se chegou foi de que os eletronselétrons passam pela fenda como particulapartícula de materiamatéria, transformam-se em ondas, interferem consigo mesma e produzem o modelo de interferenciainterferência.
 
Porem o mais bizarro é que os cientistas, intrigados com isto, resolveram atravez de equipamentos muito sofisticados observar e medir estas particulaspartículas. Eles queriam saber por quais das aberturas o eletronelétron passava, e de que forma ele se dividia.
Porem ao ser observado os eletronelétron passaram a se comportar como particulaspartículas, criando a imagem de apenas duas fendas.
Ou seja quando não estão sendo observados os eletronselétrons comportam-se como ondas e como materiamatéria quando observados.
O simples fato de serem observados produz resultados diferentes.
Utilizador anónimo