Português/Período composto/Orações subordinadas: diferenças entre revisões

 
====Orações infixas====
Quando ocorre a ''transformação do [[Português/Análise sintática/Período|período]]'' (característica comum das orações subordinadas substantivas e adjetivas), ocorre a ''transmutação do [[Português/Análise sintática/Núcleo|núcleo do termo]]'', de substantivo, adjetivo ou advérbio, para verbo. Veja (o termo/sentença está sublinhado e o núcleo em negrito):
*Período simples:: ''Eu percebi <u>o nosso '''erro'''</u>.'' (termo= ''Euobjeto percebidireto; <u>onúcleo= que '''erramos'''</u>.''substantivo)
*Período composto: ''Eu percebi <u>o que '''erramos'''</u>.'' (sentença= oração objetiva direta; núcleo= verbo)
Ocorreu a transformação de período simples para composto, e a transmutação de núcleo do termo, de substantivo (''erro'') para verbo (''erramos''). Sendo o termo no período simples o [[Português/Termos integrantes/Complemento verbal/Objeto direto|objeto direto]] (''o nosso erro''), no período composto será uma oração objetiva direta (''o que erramos''), e por seu núcleo transmutado ser um <u>substantivo</u>, é <u>substantiva</u> objetiva direta. Este foi um caso clássico de oração. Estas orações recebem a classificação morfossintática de ''infixas'', justamente por apresentarem mais de uma forma. Mas há exceções: nem todas as orações são infixas.
 
====Orações fixas====
5 327

edições