A cultura da manga/Irrigação, floração e poda: diferenças entre revisões

[edição não verificada][edição verificada]
A técnica de irrigação compreende duas etapas: 1) a engenharia da irrigação, isto é, como aplicar água, qual sistema de irrigação utilizar; e 2) o manejo da irrigação, ou seja, quando irrigar e qual quantidade de água utilizar. Essas etapas são definidas em função de vários fatores, entre os quais a época do ano, a temperatura atmosférica, a radiação solar, maior ou menor disponibilidade de água, de características do solo (umidade, densidade, capacidade de campo, ponto de murcha permanente, etc) e da cultura a ser irrigada, como espécie cultivada e seu etágio de desenvolvimento.
 
O consumo de água de determinada cultura (e, consequentemente, a lâmina de água ser aplicada pelo sistema de irrigação) é determinado pela soma da evaporação do solo e da transpiração da planta, chamada evapotranspiração, que obviamente depende das características da cultura e das condições climáticas. A FAO-Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação definiu, utilizando uma equação padrão (Penman-Monteith) e com base numa cultura hipotética, uma evapotranspiração de referência. Essa evapotranspiração de referência (ETo) multiplicada pelo coeficiente da cultura (Kc) resulta na evapotranspiração de uma cultura (ETc). O Kc - coeficiente da cultura varia de acordo com as fases de desenvolvimento da planta.
* Assim, a '''fase 1 inicial''' abrange desde o plantio até a cultura cobrir 10% do terreno ou atingir 10 a 15% do crescimento. Kc = 0,2 a 0,8.
* A '''fase 2 Desenvolvimento''' vai do final da fase Inicial até o início do florescimento. Kc = entre os valores da fase 1 e os da fase 3.
105

edições