Diferenças entre edições de "Introdução à Química/Efeito estufa"

3 bytes adicionados ,  17h18min de 15 de janeiro de 2014
sem resumo de edição
 
== Introdução ==
 
O Sol é a principal fonte de energia do planeta Terra. A energia é absorvida sob a forma de radiação eletromagnética e emitida na faixa do infravermelho, principalmente entre 4µm e 100 µm, com uma distribuição espectral próxima daquela de um corpo negro (-18 °C). Sabendo que a temperatura da Terra é cerca de 15°C, essa diferença de 33°C é causada devido o efeito estufa natural, sem o qual muito provavelmente não haveria vida como conhecemos. A Terra funciona, portanto, como um irradiador de infravermelho que iria todo para o espaço, não fosse a presença de gases na atmosfera que absorvem grande parte dessa radiação e, consequentemente, aquecem-na. Em Marte, por exemplo, cuja atmosfera é muito rarefeita, a temperatura média na superfície é de -53 °C, somente 3 °C acima da temperatura de irradiação de -56 °C (obtida a partir do espectro de emissão por comparação com o de um corpo negro). A capacidade da atmosfera de captar e retransmitir a energia emitida pela superfície da Terra é a característica definidora do efeito estufa. Nas estufas agrícolas, a retenção do calor e conseqüenteconsequente aquecimento do ambiente é resultado de um bloqueio físico, que impede o escape do ar quente. Na grande estufa que é a Terra, o mecanismo é bem mais complexo e está relacionado às propriedades físico-químicas dos gases estufa <ref name="(1)">[Mitchell, J. F. B. The “Greenhouse” Effect and Climate Change. Reviews of Geophysics, n. 27, p. 115-139, Fev/89] </ref> <ref name="(2)">[Tolentino, M. , Rocha-Filho, R. C. A química no efeito estufa. Química Nova na Escola, n.8, p. 14, Nov/98] </ref>. Como podemos observar na Figura 1, a atmosfera terrestre é praticamente transparente à radiação solar. Parte da radiação é absorvida pela superfície para geração de calor. Outra parte da radiação é refletida na forma de radiação infravermelha, que é parcialmente absorvida pelos gases estufa, aquecendo a zona inferior da atmosfera e a superfície.
[[File:Efeito estufa esquema.jpg|thumb|Representação esquemática do equilíbrio radiativo terrestre, indicando os fluxos de energia entre a superfície terrestre, atmosfera e espaço <ref name="(8)">[Neusa Paes Leme, Plínio Alvalá - "HowStuffWorks - Como funciona o ozônio". Publicado em 08 de novembro de 2007, atualizado em 22 de novembro de 2007] </ref>]]
* Óxido nitroso: Sua origem pode ser natural (principalmente pela ação dos microorganismos nos solo e oceanos) ou antrópica (queima de carvão e de outros combustíveis fósseis em motores a explosão, queima de biomassa, uso de adubos nitrogenados, produção de ácido adípico (nylon), produção de ácido nítrico). Possui um potencial de efeito estufa cerca de 310 vezes comparado ao gás carbônico.
 
* Ozônio: Esse gás também absorve a radiação infravermelha refletida pela superfície terrestre, embora seu papel principal esteja relacionado com sua presença na camada de ozônio, bloqueando parte da radiação ultravioleta do sol. Cerca de 90% do total de ozônio reside na estratosfera. O ozônio não é emitido diretamente pelas atividades humanas, mas é formado como produto de reações na atmosfera de diferentes compostos orgânicos voláteis com óxidos de nitrogênio. Combustíveis fósseis e da queima de biomassa óxidos de libertação de azotonitrogênio por monóxido de carbono e metano, que levar a um aumento no ozônio troposférico.
 
* Clorofluorcarbonetos (CFCs): são produtos químicos sintéticos que são usados como propelentes em aerossóis, em sistemas de ar-condicionado, na indústria de espuma de plástico e como solventes na indústria de informática e eletrônicos. São um dos principais responsáveis pela destruição da camada de ozônio, sendo compostos formados por moléculas do tipo do metano ou do etano, em que os átomos de hidrogênio foram substituídos por átomos de cloro e flúor e são persistentes e potentes gases estufa; uma molécula de CFC-12, por exemplo, tem o mesmo impacto de cerca de dez mil moléculas de CO<sub>2</sub>. A produção, uso e emissão desses gases diminuíram drasticamente muito nos últimos anos, devido a restrições sobre seu uso.
 
O Painel Intergovernamental para as Mudanças Climáticas (IPCC) foi criado em 1988 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e a Organização Meteorológica Mundial (OMM), com o intuito de: avaliar informações científicas a respeito de mudança do clima; avaliar os possíveis impactos ambientais e socioeconômicos em decorrência da mudança climática. O primeiro relatório realizado pelo IPCC serviu como base para discussão sobre mudanças climáticas na Convenção Quadro da ONU, em 1992, que visava à proteção do sistema climático. Os relatórios publicados pelo IPCC se tornam padrões de referência para legisladores, cientistas e especialistas de diversas áreas de atuação.
O aumento significativo das emissões dos gases estufas e conseqüenteconsequente crescimento de suas concentrações na atmosfera podem levar a sérias modificações no sistema global, entre as quais estão:
* Elevação do nível de oceanos, causada pela dilatação térmica da água, derretimento de geleiras e degelo de calotas polares. Como conseqüênciaconsequência, áreas próximas às regiões costeiras serão inundadas e ecossistemas podem sofrer alterações.
* Alteração do clima mundial, com agravamento de fenômenos naturais, como tempestades, furações, ondas de calor e índice de chuvas. Em algumas regiões, estes fenômenos podem crescer e em outras diminuir.
* Modificação significativa na vegetação típica de cada região.
5 622

edições