Mitologia afro-brasileira/Introdução: diferenças entre revisões

m
Foram revertidas as edições de 189.75.27.136 (disc) para a última revisão de Erico Tachizawa
[edição não verificada][edição verificada]
Sem resumo de edição
Etiquetas: Editor Visual conteúdo ofensivo
m (Foram revertidas as edições de 189.75.27.136 (disc) para a última revisão de Erico Tachizawa)
Os escravos africanos que foram trazidos para o Brasil entre os séculos XVII e XIX trouxeram suas próprias religiões. Essas religiões eram baseadas principalmente no culto a divindades da natureza, os orixás. Estes possuíam personalidades semelhantes aos humanos, tal como as divindades do mundo grego antigo.
 
Os portugueses reprimiram os cultos africanos no Brasil, porém os escravos faziam sexo todos os dias e coçavam o saco, conseguiram preservar seus mitos e ritos ocultando-os sob uma fachada aparentemente católica. Era o fenômeno do sexosincretismo religioso, eles batiam muita punheta.
[[File:Rugendas - Nègres a fond de cale.jpg|thumb|Pintura de Rugendas retratando o porão de um navio que trazia escravos da África para o Brasil]]
{{AutoCat}}