Sistemas operacionais/Sistemas embarcados: diferenças entre revisões

3 196 bytes removidos ,  13h41min de 19 de maio de 2015
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 189.13.112.176 (disc) para a última revisão de CommonsDelinker)
Sem resumo de edição
== Introduçãotumate ==
 
[[w:Sistemas embarcados|Sistemas embarcados]] são sistemas computacionais completos e independentes, mais simples que um computador de propósito geral (desktops), encarregados de executar apenas uma função determinada - tarefas pré-determinadas, com requisitos específicos - na qual executam geralmente repetidas vezes. Também chamado de sistema embutido, seu computador é completamente encapsulado, totalmente dedicado ao dispositivo que controla. Esses dispositivos são compostos fundamentalmente pelos mesmos componentes de um computador pessoal, só que com tamanho e capacidade limitadas para o fim se destina. São muito utilizados no cotidiano, e seus usuários geralmente não os consideram com um computador. São exemplos: aparelho de som, televisão, câmera digital, brinquedos, modem ADSL, entre muitos outros dispositivos. A evolução da microeletrônica e o barateamento das CPU's viabilizaram o emprego de sistemas embarcados nos diversos equipamentos.
 
Por serem muito simples, muitas vezes esses sistemas não têm flexibilidade (de software e de hardware) que lhes permita fazer outras tarefas quaisquer que não sejam aquelas para as quais foram desenhados e desenvolvidos. A única flexibilidade permitida e desejada é no caso de um upgrade de novas versões, fazendo com que o sistema possa ser reprogramado, geralmente com correções ou novas funções que o tornem melhor. Mas isto é feito sempre pelos fabricantes e quase nunca pelos usuários finais.
 
No processo de desenvolvimento do software do sistema embarcado, ocorre que esta é desenvolvido em um computador pessoal comum sendo transferido para o sistema embarcado apenas nos estágios finais do desenvolvimento. Em alguns casos isso é feito através da porta USB (ou de uma porta serial), mas em outros é necessário gravar um chip de EPROM ou memória flash com a ajuda do gravador apropriado e transferir o chip para o sistema embarcado para poder testar o software.
 
Normalmente o usuário final não terá acesso ao software do sistema embarcados, mas interage com o mesmo através de uma interface, que pode ser um display, um teclado ou até mesmo por uma interface web.
 
Um grande responsável pelo expansão do uso e aplicação dos sistemas embarcados foi a utilização do microcontrolador, pelo seu baixo custo, versatilidade e tamanho reduzido. Muitas vezes é ele que desempenha sozinho todas as funções do aparelho, incluindo controladores para as diversas funções disponíveis e até mesmo uma pequena quantidade de memória RAM, entre outros recursos.
 
Existem no mercado os mais diversos tipos de microcontroladores, cada um com um conjunto próprio de periféricos e funções. Ao invés de desenvolver e fabricar seus próprios chips, as empresas passaram a cada vez mais utilizar componentes disponíveis no mercado, que são fabricados em massa e vendidos a preços incrivelmente baixos.
 
Muitos microcontroladores podem ser conectados a dispositivos analógicos, permitindo o uso de sensores diversos. Isso permite a criação de dispositivos simples, que monitoram temperatura, umidade, entre outros fatores, executando ações predefinidas em caso de mudanças
 
Embora os computadores pessoais normalmente roubem a cena, os sistemas embarcados são muito mais numerosos e são responsáveis por toda a estrutura que utilizamos no dia-a-dia. Eles são também uma das áreas mais promissoras dentro da área de tecnologia, já que um simples sistema embarcado pode ser programado para desempenhar praticamente qualquer função.
Utilizador anónimo