Diferenças entre edições de "Introdução à Arquitetura de Computadores/Introdução"

m
Está página foi editada por: Engº João Barros Nsiyaleka « Big-Bang» Web 2.0Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.Web 2.0 é um termo popularizado a partir de 2004 pela empresa americana O'Reilly Media1 para designar uma segunda geração...
(corrigi erros de digitação)
m (Está página foi editada por: Engº João Barros Nsiyaleka « Big-Bang» Web 2.0Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.Web 2.0 é um termo popularizado a partir de 2004 pela empresa americana O'Reilly Media1 para designar uma segunda geração...)
Os princípios estudados em Arquitetura de Computadores são
fundamentais para se projetar máquinas realmente eficientes.
 
Está página foi editada por: Engº João Barros Nsiyaleka « Big-Bang»
 
== Computadores e as Várias Camadas de Abstração ==
funcionamento de um programa de computador do ponto de vista do
usuário. Como utilizar um aplicativo já criado.
 
= Web 2.0 =
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
'''Web 2.0''' é um termo popularizado a partir de 2004 pela empresa americana O'Reilly Media1 para designar uma segunda geração de comunidades e serviços, tendo como conceito a "Web como plataforma", envolvendo wikis, aplicativos baseados em ''folksonomia'', redes sociais, blogs e Tecnologia da Informação. Embora o termo tenha uma conotação de uma nova versão para a Web, ele não se refere à atualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como ela é encarada por usuários e desenvolvedores, ou seja, o ambiente de interação e participação que hoje engloba inúmeras linguagens e motivações.
 
Alguns especialistas em tecnologia, como Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web (WWW), alegam que o termo carece de sentido, pois a Web 2.0 utiliza muitos componentes tecnológicos criados antes mesmo do surgimento da Web.2 Alguns críticos do termo afirmam também que este é apenas uma jogada de ''marketing'' (''buzzword'').3
 
A web 2.0 é alvo de discussão entre alguns entusiastas, tecnófilos e tecnófobos. George Gilder, em seu livro ''Life after television'', traz afirmações acerca dos benefícios da tecnologia, além de apostar que a televisão não irá sobreviver, uma vez que não há espaço para competir com a Internet. Segundo ele, a informática da comunicação tem um sentido libertador para o indivíduo, vivemos uma nova era, em que não haverá mais lugar para a tirania da comunicação de cima para baixo, uma época menos padronizada e mais democrática. Para ele, a revolução da microinformática liquidou com o problema da falta de informação. Em contraponto, Andrew Keen, através de seu livro ''Culto do amador.''
 
Está página foi editada por: Engº João Barros Nsiyaleka « Big-Bang»
 
{{AutoCat}}