Diferenças entre edições de "Física quântica para crianças/O que é física quântica"

Adição de conteúdo
m (Foram revertidas as edições de 2804:18:4010:79BB:1:1:17B6:B836 (disc) para a última revisão de [[User:Dante Cardoso Pinto de Almeida|Dante Cardo...)
(Adição de conteúdo)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Existem várias partículas do átomo, como os nêutrons (que contêm uma carga neutra e é formado por três ''quarks'') e prótons (carga positiva, também formada por três ''quarks''): juntos eles formam o núcleo atômico.
 
O mundo em que vivemos é feito de átomos. Os átomos são feitos de coisas ainda menores chamadas ''quarks'' e elétrons. Ainda não sabemos se os ''quarks'' (O quark, na física de partículas, é uma partícula elementar e um dos dois elementos básicos que constituem a matéria (o outro é o lépton). Quarks se combinam para formar partículas compostas chamadas hádrons; os mais estáveis desse tipo são os prótons e os nêutrons, que são os principais componentes dos núcleos atômicos.[1] Devido a um fenômeno conhecido como confinamento, quarks nunca são diretamente observados ou encontrados isoladamente; eles podem ser encontrados apenas dentro de hádrons, como os bárions (categoria a que pertencem os prótons e os nêutrons), e os mésons.[2][3] Por esta razão, muito do que se sabe sobre os quarks foi elaborado a partir das observações dos próprios hádrons.(O quark, na física de partículas, é uma partícula elementar e um dos dois elementos básicos que constituem a matéria (o outro é o lépton). Quarks se combinam para formar partículas compostas chamadas hádrons; os mais estáveis desse tipo são os prótons e os nêutrons, que são os principais componentes dos núcleos atômicos.[1] Devido a um fenômeno conhecido como confinamento, quarks nunca são diretamente observados ou encontrados isoladamente; eles podem ser encontrados apenas dentro de hádrons, como os bárions (categoria a que pertencem os prótons e os nêutrons), e os mésons.[2][3] Por esta razão, muito do que se sabe sobre os quarks foi elaborado a partir das observações dos próprios hádrons.( O quark, na física de partículas, é uma partícula elementar e um dos dois elementos básicos que constituem a matéria (o outro é o lépton). Quarks se combinam para formar partículas compostas chamadas hádrons; os mais estáveis desse tipo são os prótons e os nêutrons, que são os principais componentes dos núcleos atômicos.[1] Devido a um fenômeno conhecido como confinamento, quarks nunca são diretamente observados ou encontrados isoladamente; eles podem ser encontrados apenas dentro de hádrons, como os bárions (categoria a que pertencem os prótons e os nêutrons), e os mésons.[2][3] Por esta razão, muito do que se sabe sobre os quarks foi elaborado a partir das observações dos próprios hádrons. são feitos de coisas ainda menores. Os átomos, elétrons, ''quarks'' ( O quark, na física de partículas, é uma partícula elementar e um dos dois elementos básicos que constituem a matéria (o outro é o lépton). Quarks se combinam para formar partículas compostas chamadas hádrons; os mais estáveis desse tipo são os prótons e os nêutrons, que são os principais componentes dos núcleos atômicos.[1] Devido a um fenômeno conhecido como confinamento, quarks nunca são diretamente observados ou encontrados isoladamente; eles podem ser encontrados apenas dentro de hádrons, como os bárions (categoria a que pertencem os prótons e os nêutrons), e os mésons.[2][3] Por esta razão, muito do que se sabe sobre os quarks foi elaborado a partir das observações dos próprios hádrons.) e outra coisa tão pequena que ainda não sabemos muito sobre ela, chamada fóton, têm comportamentos bizarros de vez em quando: nunca podemos saber exatamente onde estão. Não é por falta de instrumentos potentes, é uma lei da física, chamada Princípio da Incerteza de Heinsenberg, que diz que nunca saberemos a exata posição das coisas. Nunca saberemos onde os elétrons de um átomo estão exatamente. Nunca. É algo estranhíssimo, mas é a verdade. Há elétrons que, inclusive, somem de um lugar e reaparecem em outro, algo como um teletransporte. Não dá para ver que caminho seguiram para ir de um lugar a outro, só sabemos que eles fazem isso.
 
Já citamos a dualidade onda-partícula. No mundo em que vivemos, ondas são muito diferentes de objetos. Porém, se tivéssemos o tamanho de átomos, tudo se comportaria como uma onda de vez em quando e como uma partícula outras vezes. Essa foi uma das consequências mais bizarras da física quântica.
1

edição