A história do Japão da Cambridge/O século da reforma: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
(Criou a página com "==O século da reforma== A história do ''Japão'' tem sido profundamente marcada por reformas adotadas durante dois longos, mas amplamente separados, períodos de contato...")
 
Sem resumo de edição
Mantendo uma posição chave entre os reinos coreanos que prestavam tributos às ''Cortes do Norte da China'', ''Koguryo'' tradicionalmente enviava tributo a uma ''Corte do Norte'' após a outra conforme uma dinastia dominava outra. E assim que a ''Dinastia Zhou'' foi substituído pela ''Sui'' em ''581'', ''Koguryo'' imediatamente enviou suas homenagens. Mas quando chegou a notícia ao rei de ''Koguryo'' em ''589'' de que as forças do Norte de ''Sui'' haviam destruído a ''Corte Chen do Sul'' e ressuscitado o ''Império Chinês Unificado'', ele e seus conselheiros presumiram que o ''Imperador Wen-ti'' logo enviaria exércitos contra ''Koguryo'' numa tentativa de restabelecer o sistema colonial chines que existia na ''Coréia'' durante os tempos da ''Dinastia Han''. A ''Corte de Sui'' provavelmente tinha tais ambições, pois no ano seguinte ''Wen-ti'' condenou ''Koguryo'' por não ter enviando uma missão tributária e exigiu um pedido de desculpas. Por alguns anos, o novo rei de ''Koguryo'' (''Yong-yang'') lidou com a ''Corte de Sui'' da maneira tradicional (enviando tributos e aceitando compromissos) e com isso suas relações permaneceram amigáveis.
 
Mas em ''598'', ''Yong-yang'' subitamente mobilizou 10.000 cavaleiros e atacou um território localizado do lado chinês da fronteira. O ''Imperador Wen-ti'' imediatamente mobilizou 300.000 tropas, ordenou a invasão à ''Koguryo'' e despojou o rei de ''Koguryo'' de suas funções e títulos. Então ''Yong-yang'' pediu desculpas e aceitou as nomeações e concessões dos ''Sui''. As tropas chinesas foram vitoriosos, mas sofreram pesadas baixas. Por um tempo, as relações ''Sui-Koguryo'' gravitaram na normalidade, mas relatos registrados no ''Suí Shū'' (O Livro dos Sui) indicam que a posição dos oficiais da corte chinesa que eram a favor de que se mobilizasse outra campanha contra ''KugurioKuguryo'' estava se tornandoficando cada vez mais mais forte.
 
Com medo de que um ''Kuguryo'' poderoso e independente pudesse desencadear a resistência de outros povos nas regiões do norte, o sucessor de ''Wen-ti'' (o ''Imperador Yang-ti'', que reinou entre ''605'' e ''617'') organizou três campanhas contra este reino coreano entre ''612'' e ''614'', depois de condená-lo por “Conluio nefasto com os ''Khitan'' (grupo étnico proto-mongol da Manchúria ) e ''Malgal'' (outro grupo étnico da Manchúria que se rebelou contra a dinastia Sui) e por violar o território ''Sui''.” Mas nenhuma das três campanhas foi bem sucedida. De fato, as despesas cumulativa e o fracasso provocaram um tumulto generalizado e aceleraram a queda da dinastia ''Sui'' em ''618''. Estudiosos explicaram as falhas militares dos ''Sui'' de várias maneiras diferentes, mas claramente ''Koguryo'' era forte o suficiente para se defender contra ataques maciços do grande Império Chinês. <ref>Arthur F. Wright, “The Sui Dynasty", 143-147 </ref>
 
{{referências|Notas}}
99

edições