A história do Japão da Cambridge/O século da reforma: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
 
Com medo de que um ''Kuguryo'' poderoso e independente pudesse desencadear a resistência de outros povos nas regiões do norte, o sucessor de ''Wen-ti'' (o ''Imperador Yang-ti'', que reinou entre ''605'' e ''617'') organizou três campanhas contra este reino coreano entre ''612'' e ''614'', depois de condená-lo por “Conluio nefasto com os ''Khitan'' (grupo étnico proto-mongol da Manchúria ) e ''Malgal'' (outro grupo étnico da Manchúria que se rebelou contra a dinastia Sui) e por violar o território ''Sui''.” Mas nenhuma das três campanhas foi bem sucedida. De fato, as despesas cumulativa e o fracasso provocaram um tumulto generalizado e aceleraram a queda da dinastia ''Sui'' em ''618''. Estudiosos explicaram as falhas militares dos ''Sui'' de várias maneiras diferentes, mas claramente ''Koguryo'' era forte o suficiente para se defender contra ataques maciços do grande Império Chinês. <ref>Arthur F. Wright, “The Sui Dynasty", 143-147 </ref>
 
''Paekche'', ao sul e a oeste de ''Koguryo'', ocupava uma posição chave para muitos daqueles reinos (incluindo a ''Dinastia Yamato'' do ''Japão''), e sempre pagou tributos às ''Cortes do Sul da China''. A resposta de ''Paekche'' à ascensão de um novo ''Império Chinês'', foi bem diferente daquela assumida por ''Kuguryo'', e por causa disso favoreceu a influência chinesa no ''Iluminismo Asuka''. Como ''Paekche'' era tributário da ''Corte Chen do Sul da China'', suas simpatias estavam com o sul na época da guerra de ''589'', da qual ''Sui'' emergiu vitorioso e um novo império chinês nasceu.Dessa forma, assim que ''Paekche'' ouviu falar da vitória ''Sui'', enviou uma mensagem de congratulações a ''Wen-ti'' e fez o gesto amistoso de devolver um navio de guerra chinês que ficara encalhado em uma ilha no ''Mar da China Oriental''. ''Wen-ti'' ficou encantado ao receber propostas amigáveis de ''Paekche''.
 
{{referências|Notas}}
99

edições