A história do Japão da Cambridge/O século da reforma: diferenças entre revisões

m
Embora tenhamos certeza de que o sistema de classificação foi instituído em 603 (isto é verificado por uma declaração que aparece na história dinástica chinesa de Sui), a datação das ''Dezessete Injunções'' ainda é um assunto de discussão e desacordo. Descritos em um registro do ''Nihon Shoki'' do primeiro dia de ''604'', <ref> Suiko 12 (604) 4/3, NKBT 68. 180-186.</ref> contêm palavras e frases sugerindo que foram escritas em uma data muito posterior. Alguns historiadores apontam que a primeira vez que o ofício de inspetor provincial (''kuni no mikotomochi'') foi mencionado foi na ''Injunção nº 12'' e que este ofício não apareceu até depois das ''Grandes Reformas'' de ''645''. Mas a Corte pode ter enviado inspetores imperiais para as províncias periféricas ainda nos tempos de ''Asuka'' para inspecionar propriedades reais e outras.
 
===As Grandes Reformas=== <ref> O início desta parte do texto não estava disponibilizada para tradução </ref> ===
 
Nos tempos antigos, os mortos eram enterrados em sepulturas em terrenos altos. Não eram empilhados detritos, nem árvores eram plantadas. Caixões eram feitos para durar apenas até o corpo decair, assim como as roupas colocadas sobre ele. Então, daqui em diante, montes funerários passaram a ser construídos, mas somente em terras que não pudessem ser cultivadas e de tal maneira que após uma geração passar, não poderiam ser reconhecidas como sepulturas. Nenhum ouro, prata, bronze ou ferro deve ser colocado nelas, carros funerários tradicionais e figuras devem ser representadas em argila, e as juntas do caixão devem ser preenchidas com não mais do que três camadas de verniz. Nenhuma joia deve ser colocada na boca do falecido, e nenhuma jaqueta ou caixa de jóias deve ser deixada ao lado do cadáver. Todas estas são práticas vulgares.
99

edições