A história do Japão da Cambridge/O século da reforma: diferenças entre revisões

m
 
 
No início, tal conversa convenceu o príncipe de que chegara a hora de passos drásticos. Mas então o ''Príncipe Arima'' e ''Soga no Akae'' decidiram que a situação ainda não estava madura para a rebelião. Nesse ponto, ''Akae'' vazou o conteúdo da discussão para as autoridades do governo. O ''Príncipe Arima'' foi preso e estrangulado e seus principais financiadores foram exilados. Mas então as crônicas não dizem nada sobre punição para ''Akae''. De fato, ele foi logo designado para um cargo na distante ''Tsukushi'', mas, no início do reinado do ''Imperador Temmu'' em ''672'', tornou-se ''Sadaijin''. Ainda há muitas incertezas sobre o ''Incidente Arima'' de ''658'', mas existem relatos nas crônicas que sugerem que a construção de defesas contra uma possível invasão do exterior estava se transformando num fardo e despertando descontentamento.
 
Em ''660'', dois anos após o ''Incidente Arima'', a ''Aliança Tang-Silla'' atacou ''Paekche'', o estado coreano com o qual o ''Japão'' mantinha relações particularmente próximas desde que o Japão perdeu seu território coreano (colônia) ''Mimana'' quase um século antes. As operações militares esporádicas em uma região onde o ''Japão'' sempre manteve interesses especiais devem ter causado a morte de membros da corte. Eles estavam certos, nove anos antes, de ver sinais de perigo nos enviados dos ''Silla'' para o ''Japão'' vestidos com uniformes ''Tang''. Até ''660'', os ataques da ''Aliança Tang-Silla'' eram dirigidos a ''Koguryo'' desde ''655''; mas no terceiro mês de ''660'' o 'Imperador Kaotsung'' (Gaozong) repentinamente decidiu - em resposta a um pedido de ajuda de ''Silla'' para enfrentar as invasões de ''Paekche'' no território de ''Silla'' - fazer um ataque militar coordenado contra ''Paekche''. Uma força de 100.000 homens sob as ordens do comandante chinês ''Su Ting-fang'' (Su Dingfang), auxiliado por um príncipe ''Silla'', cruzou o ''Mar da China Oriental'' a partir da península de ''Liaotung'', desembarcou na costa de ''Paekche'' e coordenou seu ataque com uma força ''Silla'' do leste liderada por ''Kim Yusin''. Ao mesmo tempo, o rei ''Muyol de Silla'' (Muyeol) colocou dois de seus filhos no comando de uma força de 50.000 que marcharam para o local. Esse grande exercito foi interceptados por tropas de ''Paekche'' dando origem a ''Batalha de Hwangsanbeol'', a ultima grande batalha onde ''Paekche'' ofereceu resistência.
 
{{referências|Notas}}
99

edições