Diferenças entre edições de "Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial da Praça da Sé. São Paulo-Sp. 02, Acervo do Museu Paulista da USP"

Alessandro Martini investiu na popularização da marca inserindo em seus negócios jovens empreendedores italianos, além de familiares, para que pudessem levar a Martini para o mundo todo. As bebidas Martini passaram a ser distribuídas em países como Estados Unidos da América, Argentina, Grécia, Portugal, Brasil, Egito e Bélgica. Em 1885, a marca começou a explorar o ramo publicitário e contratou artistas para a produção de cartazes como meio de divulgação. Um dos convidados para realizar as primeiras produções publicitárias da Martini foi o artista Andy Warhol e o italiano Armando Testa, considerado um dos maiores produtores de cartazes e fundador da publicidade moderna. A partir de 1960, começaram a ser produzidas as propagandas modernas e comerciais contendo celebridades como George Clooney e Charlize Theron anunciando o cardápio diversificado de bebidas Martini.
 
As bebidas Martini fizeram parte de um círculo de ícones culturais e expressões artísticas de Milão durante as décadas de 50 e 60. O Martini Terrazza era popular em todas as principais cidades da Europa, tornaram lugares mais festivos e excitantes para todo o público. Assim como na cultura, a marca teve suas influências no esporte, sobretudo nas corridas automobilísticas de Fórmula 1. A Williams Racing, se tornou para Martini uma parceira natural que levaria o grupo de volta às pistas de corrida. Os primos Rossi Di Montelera, parentes de Luigi Rossi, eram esportistas por direito próprio que buscavam expressar a paixão familiar tanto nas questões políticas da empresa quanto na velocidade e na intensidade dos automóveis. No ano de 1925, a Martini teve sua primeira parceria na corrida de ciclismo de Turim, na Gran Coppa e, em 1958, foi fundado o Martini International Club.
[parágrafo em construção]
 
;Referências