Diferenças entre edições de "Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Avenida São João - São Paulo - Brasil Fotolabor"

→‎Comentários sobre a fotografia: comentário sobre a fotografia
m (Edições nas referências)
(→‎Comentários sobre a fotografia: comentário sobre a fotografia)
 
 
== Comentários sobre a fotografia ==
A década de 1950 é marcada pela urbanização massiva da cidade de São Paulo, a partir do Centro Velho. O fotógrafo alemão então elege o Vale do Anhangabaú como principal peça de seus cartões postais da capital paulista, isso porque aquele centro recém urbanizado era o objeto ideal de divulgação da nova fase econômica do país. O centro financeiro era marcado pela forte verticalização e comunicações visuais, reflexo de um governo ultranacionalista regido por Getúlio Vargas, marcado por novas propostas econômicas, abertura das fronteiras e modernização.
/Aqui entram comentários sobre a fotografia
 
A fotografia vista de cima destaca os edifícios da Avenida São João, enfatizando a ascensão comercial da década através da relativização de estaturas, prédios sendo comparados a automóveis, ignorando a escala humana, até porque o objetivo principal não são as relações humanas, mas as questões urbanas da capital paulista. O único ponto verde na fotografia não é destacado, encoberto pelas sombras dos edifícios em primeiro plano, ressaltando mais uma vez a valorização do cinza e do concreto ante a natureza da cidade.
 
Além da vista cumeeira, a fotografia é ampla, alongada ao horizonte, trazendo uma São Paulo imponente em quilometragem, criando uma linha entre o primeiro prédio, com a logomarca da 3 Leões e na outra extremidade edifício Altino Arantes (BANESPÃO), as duas construções são os únicos destaques na linha de concreto que divide o céu, isso para mostrar a extensão da Avenida São João e do potencial de São Paulo.
 
Segundo Etienne Samain: “- Não é possível pensar a imagem se não a situarmos no sistema no qual ela está conectada [...] o contexto, a própria imagem, aquele que a fez, aquele que a contempla, num tempo e num espaço histórico [...]”. Ou seja, só é possível entender o enfoque na comunicação visual publicitária dentro das fotografias de Werner Haberkorn a partir da contextualização histórica de um país recém inserido numa democracia de fronteiras abertas, daquele Brasil pós Getúlio Vargas que era um antro de modernidade e desenvolvimento, compensando os séculos de subdesenvolvimento. Além do contexto de produção das fotografias: exportar a ideia de um país em desenvolvimento, pronto para novas negociações.
 
“''Alguma coisa acontece no meu coração/ Que só quando cruza a Ipiranga e Av. São João''” (Caetano Veloso e David Byrne – Sampa)
10

edições