Marcas nas fotografias de Werner Haberkorn/Vista parcial do Vale do Anhangabaú. São Paulo-SP 16: diferenças entre revisões

== Comentários sobre a fotografia ==
O conjunto fotográfico de Werner Haberkorn das décadas de 40 e 50 destacam a verticalização e a automobilização da cidade de São Paulo, o registro da vertiginosa industrialização centrada onde a elite paulista se encontrava na época, o registro da modernidade. A vista parcial do Vale do Anhangabaú aqui nesta imagem representa o olhar minucioso de Haberkorn, no qual ele mostra as peculiaridades da evolução da cidade e da cultura metropolitana ao longo de sua pesquisa. Os métodos aqui ficam claros: a descontextualização, a inversão de escala, a presente verticalidade, a via e o verde em primeiro plano, e o alto contraste. Todos esses métodos fotográficos simbolizam as ideias urbanistas gestadas na metade do século XIX e que amadureceram na primeira metade do século XX: entende-se a cidade como organismo vivo; a valorização da cidade enquanto espaço de circulação, a horizontalidade (automóveis) e a verticalidade (edificação) como componentes complementares e dependentes para o funcionamento do empreendimento moderno.
 
Podemos ver a imagem denotando a grandeza do local fortalecendo assim sua importância para o senário atual da cidade, é importante ressaltar o crescimento vertical e empresarial da cidade tal qual o seu valor histórico e suas reflexões dado o crescimento do poder da maior cidade do pais.
Utilizador anónimo