Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Novo império"

23 bytes adicionados ,  00h07min de 15 de junho de 2007
m
sem resumo de edição
(fotografias)
m
Novo Império
1550-1070 a.C.
 
[[Image:BronzeDagger-AhmoseI.png|thumb|150px|right|Adaga de Ahmose I]]
 
'''Dinastias 18-20'''
Kamose morreu, não se sabe se em batalha ou de forma natural, mas seu irmão Ahmose com a mesma coragem e determinação, prosseguiu a luta. <br>
Ahmose foi um grande general e expulsou os estrangeiros para fora do Egito após uma vitória em Tanis que foi decisiva. Na verdade, parece que o exército egípcio arrasou Avaris e perseguiu os estrangeiros até a Galiléia e só retornaram após exterminarem todo o povo. <br>
[[Image:BronzeDagger-AhmoseI.png|thumb|150px200px|right|Adaga de Ahmose I]]
 
==A era das conquistas==
Com Ahmose I começa uma nova fase na história do Egito. Ele é o fundador do Novo Império e reunificador do país, após a expulsão do povo estrangeiro. <br>
Devido às conquistas militares, havia um conhecimento maior de outras culturas, o que trazia novas idéias. O Egito respirava ares novos e estava mais aberto a outros costumes. <br>
A grande mudança na arte egípcia ficou por conta de Akhenaton. Junto com sua reforma religiosa, ele se dispôs a promover uma reforma artística. Uma das peças mais famosas e sem dúvida das mais belas produzidas no Egito, é a cabeça de Nefertiti, esculpida pelo artesão Tutmés (Museu de Berlim). <br>
[[Image:Akhenaten, Nefertiti and their children.jpg|thumb|150px|left|Akhenaton, Nefertiti e filhas]]
O reinado de Akhenaton é ainda um mistério em diversos sentidos. A representação artística nos mostra um faraó magro, barrigudo, com características femininas e um crânio alongado. Se especula se ele sofreria de alguma disfunção física, mas o fato é que tanto sua família como outras figuras são mostradas dessa mesma forma, que beira a caricatura. Portanto este deveria ser o padrão artístico, naturalista como queria o faraó, talvez até mesmo para romper com os padrões tradicionais da arte egípcia. Nessa fase são representados plantas, flores e pássaros. <br>
A arte da fase de Akhenaton é chamada ''estilo amarniano'' (do nome da atual Tell el-Amarna antiga Akhetaton). <br>
Há um relevo do faraó Smenkhkare no Museu de Berlim onde se pode admirar a leveza das roupas e a naturalidade do estilo amarniano. <br>
Na fase de Ramsés II a arte voltou a se inspirar no passado de glórias do país. Portanto podemos dizer que os egípcios, embora não tivessem perdido suas habilidades artísticas, passaram a imitar mais do que criar. <br>
[[Image:Louvre 122006 001.jpg|thumb|150px|right|Peitoral com o nome de Ramsés II encontrado na múmia de um touro Ápis]]
Com a descoberta do túmulo intocado do faraó Tuthankamon, tivemos a oportunidade única de de ver a arte egípcia em todo o seu esplendor e variedade. Os móveis, as jóias, os vasos, punhais, carros de guerra, as esculturas do faraó e de animais, em tudo uma amostra da arte refinada do Novo Império. <br>
Na literatura, os exemplos não são muitos, até porque poucos papiros escaparam do estrago feito pelo tempo. Aqui, novamente, Akhenaton e sua revolução, que abriram caminho para o naturalismo nas artes deixaram sua marca. Ainda que após a sua morte os textos retornassem ao clássico, a linguagem comum, adotada no período de Amarna permaneceu de alguma forma ligada ao estilo dos escritores. Um dos mais belos exemplos de poesia lírica da época é o '''Hino a Aton''', de '''Akhenaton''', <br>
2 904

edições