Grego moderno/Gramática/Preposições: diferenças entre revisões

2 204 bytes adicionados ,  18h53min de 10 de outubro de 2007
sem resumo de edição
(Autoria em módulos não permitida, pede-se o registro de usuário...)
Sem resumo de edição
De Darcy Carvalho. Universidade de São Paulo.Revisão
PREPOSIÇÕES. [ ΠΡΟΘΕΣΕΙΣ]
 
PREPOSIÇÕES. [ΟΙ ΠΡΟΘΕΣΕΙΣ]
 
AsPREPOSIÇÕES [προθέσις] são palavras não declináveis que precedem nomes, ouisto pronomesé, no caso acusativosubstantivos, adjetivos ou combinam-sepronomes, com que advérbiosse para significarcombinam para com eles indicar posse, lugar, tempo, modo, causa, quantidade, etc. Explicando de outro modo, preposição denominamé uma pequena palavra invariável, que liga palavras. A primeira denominar-se-á antecedente e a segunda, consequente, por exemplo : livro de Pedro, ócio com dignidade, concordaram comigo [com + migo], caiu em preposiçõessi.
 
As principais preposições em português são as seguintes: a, ante, após, até ; com, contra, conforme, consoante; de, desde, durante; em, entre, exceto, mediante; para, per, perante, por; salvo, salvante, segundo, sem, sob, sobre; tirante, trás. Locuções prepositivas são duas ou mais palavras com valor de uma preposição. Ex.: além de, fora de, junto a, junto de, etc. Em português, assim como em grego, algumas preposições se contraem com os artigos. Ex.: (preposição) per +(artigo) o = pelo ; em + uma= numa, σε + το = στο.
Nas linguas analíticas como o português, o inglês e o francês, as relações gramaticais entre as palavras, nas frases e orações , podem ser determinadas pela posição delas ou por meio de preposições. Por outro lado, as preposições, nas diferentes línguas sintéticas, regem casos. Em russo existe um caso preposicional. Em latim as preposições regem os casos acusativo οu ablativo. Em grego moderno regem sempre o caso acusativo, salvo algumas exceções estilísticas. Históricamente, em todas as línguas sintéticas, as preposições tendem a substituir os casos, ou a eliminá-los, como ocorreu no latim, ao se transformar nas várias línguas neo-latinas.
 
Nas linguas analíticas, como o português, o inglês e o francês, as relações gramaticais entre as palavras, nas frases e orações , podem ser determinadas pela posição delasdas palavras, ou por meio de preposições. PorNas outrodiferentes ladolínguas sintéticas, latim as, preposiçõesgrego, nase diferentesrusso, línguasentre sintéticasoutras, que possuem declinações, a ordem das palavras é menos relevante e as preposições, regem casos. Em russo, existepor umexemplo, existe um caso preposicional. Em latim, as preposições regem osdois casos acusativo οu ablativo. Em grego moderno regem sempre , o caso acusativo, salvoe algumaso exceções estilísticasablativo. Históricamente, em todas as línguas sintéticas, ocorreu o fenômeno linguístico de as preposições tendemtenderem a substituir os casos, ouchegando até a eliminá-los, como ocorreuaconteceu no latim, ao se transformar nas várias línguas neo-latinas. Isto também se verificou no grego moderno, dando como resultado o desaparecimento de um caso, o caso dativo.
Preposições são, portanto, palavras invariáveis importantíssimas que ligam as palavras entre si determinando diversas relações gramaticais, classificando-se em essenciais e acidentais. Preposições essenciais são as que só exercem essa função, como as seguintes: a, ante , após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás.
 
Em grego moderno, as preposições geralmente regem o caso acusativo, salvo por razões estilísticas, quando então regem o caso genitivo.
Preposições acidentais são palavras de outras classes, principalmente advérbios, eventualmente empregadas como preposições, por exemplo, as palavras : conforme, consoante, durante, exceto, mediante, menos, salvante, salvo, segundo e tirante. As preposições podem preceder adjetivos, pronomes, substantivos, ou advérbios, indicando lugar, tempo, causa, instrumento, quantidade, matéria, etc..
 
Preposições são, portanto, palavras invariáveis importantíssimas que, ligamligando as palavras entre si, determinandodeterminam diversas relações gramaticais,. classificandoClassificam-se em essenciais e acidentais. Preposições essenciais são as que só exercem essa função, como as seguintes, em português: a, ante , após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás.
I. As preposições do grego moderno são as seguintes : με (com ), σε , εις (em , a), για (para), ως, έως ( até), and προς (para, na direção de), κατά (sobre, durante, contra, por), μετά (depois), παρά (próximo de, ao lado de), προς ( ), πριν () αντί(ς) (em vez de ), από (de, a partir de, por ), δίχως (sem) e χωρίς (sem ) ,υπό ( sob); ίσαμε (igual a ), σα(ν) (como, semelhante a). Observe-se que as preposições podem se monossílabas, dissílabas e trissílabas.
 
Preposições acidentais são palavras de outras classes, principalmente advérbios, eventualmente empregadas como preposições, como por exemplo, as palavras : conforme, consoante, durante, exceto, mediante, menos, salvante, salvo, segundo e tirante. As preposições podem preceder adjetivos, pronomes, substantivos, ou advérbios, indicando lugar, tempo, causa, instrumento, quantidade, matéria, etc.., como já dissemos.
II. Em Matemática utilizam-se ainda antigas preposições: συν (mais +, ou e), έπι ( vêzes, multiplicado por) , δια ( dividido por) , πλην ( menos - , subtraído de) , μείον ( de , tirando de)
 
VIAs preposições essenciais, em grego, são de duas espécies, as de espécie demótica, de origem popular, e as de espécie clássica, provenientes da língua clássica ou culta. É muito importante, estudar também as preposições utilizadas no grego clássico, no grego bíblico e em katherévousa, porque, mesmo que algumas não sejamcontinuem a maisser utilizadas correntemente na língua atual, continuam muito importantes na formação de vocábulos, eprincipalmente podem de verbos, podendo ocorrer ainda em expressões idiomáticas, que são numerosíssimas.
Exemplos:
III.. As preposições με, σε, για, από, κάτα, παρά e ίσαμε sofrerão apócope, tornando-se μ’ , σ’ , γι’ , απ’ , κατ’ , παρ’ , e ισαμ’ quando precederem palavras iniciadas por vogal.
 
As preposições do grego moderno podem ser monossílabos, dissílabos ou trissílabos. As preposições de origem popular, todas regendo o caso acusativo, são as seguintes, segundo o grande helenista francês Hubert Pernot [1930] : σε, εις[ em, a, per, sobre, para dentro de]; από [de, a partir de, desde, dentre, através de, por via de]; για [para, por, por causa de, por motivo de ]; με [com, per]; κατά [segundo, de acordo com, na direção de ]; προς [para, na direção de]; παρά [menos, contra]; αντί(ς)[em vez de, em lugar de]; δίχως [sem] e χωρίς [sem, exceto]; ως[até].
Exemplos: μ’ εσένα , σ’ αυτόν, απ’ αλλού, γι’ αυτό, κατ’ αυτά, παρ’ όλο, ίσαμ’ έδω
 
O mesmo autor, indica as seguintes preposições como sendo de origem clássica, de uso corrente, e regentes do caso genitivo: αντί [em lugar de]; εκτός(gen.) exceto; πρό(gen.) antes; μετά(gen.)depois; μεταξύ(gen.) entre , κατά(acus. e gen.) por volta de, contra. Em Matemática utilizam-se ainda antigas preposições: συν [mais] έπι[ vêzes], δια [dividido por], πλην ou μείον [menos].
A preposição σε contrai-se com as formas do acusativo, singular e plural do artigo definido [ ο,η,το] : στο(ν), στη(ν), στο / στα, στις, στους
 
ΙVAdvérbios prepositivos. As preposições σε, με e από formampodem juntar-se a advérbios, formando locuções prepositivas, aoou sena juntaremterminologia ade Hubert Pernot, advérbios: prepositivos.
Exemplos:
ΠάνοExemplos: απόαπάνο (σε [sobre]; )απάνο ,από [sobre]; κόντα σε ( [próximo a ),]; μέσα σε ( [em , dentro de ) ,]; δίπλα σε ( [ao lado de ) ,]; πλαϊ σε ( [ao lado ),]; γύρω σε ([em volta de ),]; γύρω από ([em torno de ),]; μάζι με ( [junto com ) ,]; πάνω από ([em cima de, sobre ) ,]; εμπρός από( [em frente de]; )κάτω σε [para baixo], κάτω από ( [embaixo de ) , ]; πίσω από ( [atrás de ),]; έξω από ([fora de ),]; πριν από ([antes de]; ),ύστερα από ύστερα[depois de]; ίσα με [até a]; μαζί με [com]; κρυφά από [contra ]; πέρα από [além de]; από δω από [aquém de]; (τρι)γύρω depoisσε [em volta de]; αντίκρυ σε [em face de ]; μακριά από[longe de]; κοντά σε [perto de]; πίσω από[atrás de]; εμπρός σε[diante de] ).
 
Considerações ortográficas relativas às preposições
ΙV. As preposições σε, με e από formam locuções prepositivas ao se juntarem a advérbios:
As preposições με, σε, για, από, κάτα, παρά e ίσαμε sofrem apócope, tornando-se μ’, σ’, γι’, απ’, κατ’, παρ’, e ισαμ’ quando precedem palavras iniciadas por vogal. Exemplos: μ’εσένα, σ’αυτόν, απ’αλλού, γι’αυτό, κατ’αυτά, παρ’όλο, ίσαμ’έδω. A preposição σε contrai-se com as formas do acusativo, singular e plural, do artigo definido ο,η,το: στο(ν), στη(ν), στο, στα, στις, στους.
Πάνο από ( sobre ) , κόντα σε ( próximo a ), μέσα σε ( em , dentro de ) , δίπλα σε ( ao lado de ) , πλαϊ σε ( ao lado ), γύρω σε (em volta de ), γύρω από (em torno de ), μάζι με ( junto com ) , πάνω από (em cima de, sobre ) , εμπρός από( em frente de ), κάτω από ( embaixo de ) , πίσω από ( atrás de ), έξω από (fora de ), πριν από (antes de ), ύστερα από ( depois de ).
 
Exemplos:
 
VI. É importante estudar também as preposições utilizadas no grego clássico, no grego bíblico e em katherévousa, porque, mesmo que não sejam mais utilizadas correntemente, continuam importantes na formação de vocábulos, e podem ocorrer em expressões idiomáticas.
Utilizador anónimo