Linux para iniciantes/Conectando-se à internet: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
[edição não verificada][edição não verificada]
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
Para tirar o máximo de proveito de recursos do Linux, é necessário ter acesso à Internet. Se você é usuário de alguma conexão de banda larga, usando serviços como o Speedy, o Ajato, o Vírtua e o Velox (Brasil), ou de operadoras de TV a cabo como Bragatel, Cabovisão e Pluricanal (Portugal), então provavelmente você já tem conexão automática à Internet, na maioria das distribuições, dispensando a necessidade de configurar. Se você usa conexão discada, a forma de configurar depende da sua distribuição. No Mandriva Linux com KDE, você pode ir no Menu K > Ferramentas > Ferramentas do Sistema > Configure seu computador. Este comando abrirá o Centro de Controle Mandriva Linux. Clicando na aba "Rede e Internet", aparecem várias opções. Na opção "configurar uma nova interface de rede", estão as opções para configuração da rede. Para saber o tipo de conexão, você deve contatar a sua provedora de acesso, que fornecerá os dados.
 
Para acessar as páginas da Web, existe pré-instalado o navegador Mozilla Firefox. Assim como a interface do KDE, a disposição e o desenho dos ícones pode ser modificado pelo usuário, caso não lhe agrade o tema que aparece por padrão. Para tanto, pode-se escolher o comando Ferramenta > Complementos, que permite escolher não somente a interface gráfica do navegador como também várias ''extensões'', que são mini-aplicativos que adicionam outras funções ao Firefox, algumas delas bastante úteis como o FlashKiller, que permite remover as animações gráficas de uma página que atrapalham a navegação, e o Stylish, que permite modificar a aparência de certas páginas da Web, formatando-as de acordo com o gosto do usuário.
 
[[Imagem:Firefox.png|400px|center]]
<center>''Figura 1: Tela do Mozilla Firefox, com o tema ''Modern Modoki'', mostrando a página da Wikipedia''</center>
 
Para acessar as páginas da Web, existe pré-instalado o navegador Mozilla Firefox. Assim como a interface do KDE, a disposição e o desenho dos ícones pode ser modificado pelo usuário, caso não lhe agrade o tema que aparece por padrão. Para tanto, pode-se escolher o comando Ferramenta > Complementos, que permite escolher não somente ao interfacetema gráfica(aspecto visual) do navegador como também várias ''extensões'', que são mini-aplicativos que adicionam outras funções ao Firefox, algumas delas bastante úteis como o FlashKiller, que permite remover as animações gráficas de uma página que atrapalham a navegação, e o Stylish, que permite modificar a aparência de certas páginas da Web, formatando-as de acordo com o gosto do usuário.
 
Assim como o Internet Explorer 7 e o Safari, o Firefox tem suporte a navegação por abas e uma barra para buscas do lado da barra de endereços. Clicando com o botão direito do mouse sobre a barra de ferramentas e depois escolhendo a opção "personalizar", é possível mover os ícones de posição. É importante lembrar, também, que certos temas são projetados para uso com um layout específico. Por isso, dependendo do tema que você escolher, você poderá achar um tanto estranha a tela, mas basta usar a opção de mover os ícones para se ajustar de acordo com seu gosto.
 
Também dentro do Firefox é possível ler ''feeds'' RSS, os chamados "favoritos dinâmicos", que permitem ver as atualizações de uma determinada página, sendo um recurso largamente usado em sites de notícias e blogs. Apesar disso, o Linux também tem um aplicativo à parte para esse recurso, chamado Akregator.
 
==Clientes de E-Mail==
Assim como o Windows tem o Windows Mail, chamado Outlook Express nas versões entre o 98 e o XP, e o MacOS tem o Apple Mail, também o Linux tem um programa de leitura de e-mail em quase todos os pacotes. No KDE, o programa nativo de leitura de e-mails é o KMail, enquanto no GNOME o programa nativo é o Evolution, mas ambos podem ser usados em qualquer interface. Além desses dois, existe ainda o Mozilla Thunderbird, da mesma empresa que produz o Firefox.
 
O KMail não tem suporte à leitura de grupos de notícias ou de feeds RSS. Para isso existem, respectivamente, o KNode e o Akregator. No Mandriva Linux, esses programas não aparecem com o nome nativo: estão em Menu K > Internet > Leitor de E-Mail/Leitor de News/Akregator.
 
Para configurar sua conta de e-mail no KMail, deve-se ir em Configurações > Configurar KMail, onde aparecerá uma janela com opção para conta. É necessário que a conta tenha suporte ao protocolo POP3 ou IMAP, para receber mensagens, e ao protocolo SMTP para enviar. Provedoras de e-mail gratuito como o GMail têm suporte a esses protocolos.
 
==Comunicadores instantâneos==
No Brasil, uma das maiores preocupações dos usuários médios leigos ao migrarem do Windows para Linux, é se é possível fazer funcionar o Windows Live Messenger - o popular MSN, já que é um programa desenvolvido pela Microsoft. Sim, é possível ter acesso aos contatos do MSN, e além disso também aos recursos avançados: emoticons personalizados, nicks personalizados e suporte a webcam. Não somente a rede do MSN está disponível no Linux, mas também a do ICQ, do AOL IM e do Yahoo Messenger.
 
Existem pelo menos três programas no Linux que servem como comunicadores instantâneos: o Kopete, mais fácil de usar e com mais recursos, nativo do KDE; o Pidgin, nativo do GNOME e com uma interface mais diferente, e o aMSN, que é o mais parecido com o MSN, mas sem suporte a outras redes além desta.
 
 
 
{{esboço}}
106

edições