Medicina geral e familiar/Medicina baseada na evidência: diferenças entre revisões

m
formatação; cat (Medicina)
[edição não verificada][edição não verificada]
m (formatação; cat (Medicina))
O '''Raciocínio Clínico''' segue uma sequência que se inicia na '''recolha de informação''', seguida da sua '''interpretação''' e finalmente a '''tomada de decisões'''. A informação recolhida pode ter origem na Anamnese, no Exame Objectivo ou nos resultados de Exames Complementares de Diagnóstico, a Interpretação consiste na junção de todos os dados recolhidos e sua análises de acordo com os conhecimentos prévios, as Decisões tomadas podem abranger a procura de mais informação através da colocação de novas perguntas ao doente, do aprofundar do Exame Objectivo ou da realização de novos Exames Complementares de Diagnóstico.
 
É na fase da interpretação da informação que a '''Medicina Baseada na Evidência''' tem importância. Esta não é mais queumaque uma tentativa de aplicar à prática clínica de forma uniforme e coerente os dados obtidos na investigação científica. Estes dados podem ser agrupados em três grandes grupos: os relacionados com a epidemiologia das doenças, os relacionados com a fidedignidade da informação recolhida (ou fidedignidade dos testes diagnósticos) e a efectividade das intervenções médicas.
 
Relativamente à Medicina Baseada na Evidência importa ainda compreender de que forma foi obtida a informação científica de forma a conhecer melhor a qualidade da evidência científica.
A '''Prevalência''' é a proporção de todos os casos existentes na população num determinado momento temporal.
 
A '''Incidência''' é a proporção de novos casos surgidos na população num determinado intervalo de tempo.
 
==Interpretação dos testes diagnósticos==
* '''Verdadeiro Negativo''' - quando o teste dá negativo e o indivíduo não tem doença
 
De acordo com estes podemos obter alguns indicadores da fidedignidade dos testes, nomadamentenomeadamente:
 
De acordo com estes podemos obter alguns indicadores da fidedignidade dos testes, nomadamente:
 
'''Sensibilidade''' é a proporção de indivíduos doentes que tem o teste positivo. Um teste muito sensível "apanha" a maioria dos doentes, enquanto que um teste pouco sensível gera muitos falsos negativos.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad positivos} {total \quad de \quad doentes}</math></center>
 
 
 
'''Especificidade''' é a proporção de indivíduos sadios que apresentam teste negativo. Um teste muito específico exclui a maioria dos indivíduos sadios enquanto que um teste pouco específico pode identificar incorrectamente um indivíduo saudável como doente (falso positivo). A principal aplicação dos testes muito específicos é a confirmação de um diagnóstico.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad negativos} {total \quad de \quad saudaveis}</math></center>
 
 
 
'''Likelihood Ratio Positivo''' expressa em quantas vezes o diagnóstico de uma doença se torna mais provável se o resultado do teste for positivo.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad positivos} {falsos \quad positivos }</math> ou <math>\frac{sensibilidade} {1 - especificidade }</math></center>
 
 
 
'''Likelihood Ratio Negativo''' expressa em quantas vezes o diagnóstico de uma doença se torna menos provável se o resultado do teste for negativo.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad negativos} {falsos \quad negativos }</math> ou <math>\frac{1 - sensibilidade} {especificidade }</math></center>
 
 
 
'''Valor Preditivo Positivo''' é a proporção de verdadeiros positivos entre todos os indivíduos com teste positivo. Expressa a probabilidade de um paciente com o teste positivo ter a doença.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad positivos} {total \quad de \quad positivos}</math></center>
 
 
 
'''Valor Preditivo Negativo'''́ é a proporção de verdadeiros negativos entre todos os indivíduos com teste negativo. Expressa a probabilidade de um paciente com o teste negativo não ter a doença.
 
<center><math>\frac{verdadeiros \quad negativos} {total \quad de \quad negativos}</math></center>
 
==Efectividade das intervenções==
 
'''Risco Absoluto''' é a probabilidade de ocorrência de um evento adverso.
 
 
'''Risco Relativo''' é a razão entre os riscos absolutos dos indivíduos expostos e dos não expostos ao factor estudado.
 
 
'''Redução de Risco Relativo''' é a redução proporcional dos eventos evitados pela não exposição ao factor em estudo (o factor em estudo pode ser um factor de risco ou uma intervenção terapêutica, alterando a ordem da equação)
 
 
'''Redução de Risco Absoluta''' é a redução absoluta do risco obtida pela (não) exposição ao factor em estudo (o factor em estudo pode ser um factor de risco ou uma intervenção terapêutica, alterando a ordem da equação)
 
'''Número necessário para causar danotratar''' (NNHNNT) é o númerornúmero de indivíduos que é necessário tratar para queobter umuma delesresposta sofrapositiva umà efeito adversoterapêutica ou complicaçãopara daevitar 1 evento adverso terapêutica
 
'''Número necessário tratarpara causar dano''' (NNTNNH) é o número de indivíduos que é necessário tratar para obterque umaum respostadeles positivasofra àum terapêuticaefeito adverso ou paracomplicação da terapêutica
evitar 1 evento adverso
 
 
==Tipos de Estudosestudos==
'''Número necessário para causar dano''' (NNH) é o númeror de indivíduos que é necessário tratar para que um deles sofra um efeito adverso ou complicação da terapêutica
 
==Qualidade da Evidênciaevidência Científicacientífica==
==Tipos de Estudos==
 
[[Categoria:Medicina|{{SUBPAGENAME}}]]
==Qualidade da Evidência Científica==
11 788

edições