Diferenças entre edições de "Engenharia genética/Os vetores do sistema pET"

sem resumo de edição
{{NavegaçãoNa''Texto em itálico''vegação| [[Engenharia Genética:ÍNDICE|'''ÍNDICE''']]
|[[Engenharia Genética:As DNA Polimerases Taq e Pfu|As DNA Polimerases Taq e Pfu]]|
[[Engenharia Genética:Clonagem por PCR|Clonagem por PCR]]
}}
 
Para amplificar as DNA polimerases Taq e Pfu, utilizaram-se os vectores pET.
 
O sistema pET da Novagen tem sido reconhecido como uma das mais poderosas abordagens disponíveis para produção de proteínas recombinantes. Existe uma vasta variedade de vectores pET, todos derivados do pBR322 e com base num sistema comandado pelo promotor T7 (do bacteriófago T7) para dirigir a expressão de genes-alvo.
 
Para amplificar as DNA polimerases Taq e Pfu, utilizaram-se os vectores pET. O sistema pET da Novagen tem sido reconhecido como uma das mais poderosas abordagens disponíveis para produção de proteínas recombinantes. Existe uma vasta variedade de vectores pET, todos derivados do pBR322 e com base num sistema comandado pelo promotor T7 (do bacteriófago T7) para dirigir a expressão de genes-alvo. Considerando que a RNA polimerase da ''E. coli'' não reconhece o promotor T7, supõe-se que não ocorre transcrição do gene-alvo na ausência duma fonte de T7 RNA polimerase e o passo de clonagem está, deste modo, efectivamente desacoplado do passo de expressão.
O hospedeiro mais comummente utilizado é o BL21, o qual tem a vantagem de ser deficiente em ambas as proteases ''lon'' ande ''ompT''. Recentemente, a Novagen introduziu dois derivados do BL21 para finalidades especiais, dos quais salientamos a série B834 que é um auxotrófico deficiente em metionina e, então, permite elevada actividade específica marcando as proteínas-alvo com 35S-metionina ou selenometionina.
 
Utilizámos Escherichia coli BL21(DE3) pET-Pfu e pET-Taq.
Recentemente, a Novagen introduziu dois derivados do BL21 para finalidades especiais, dos quais salientamos a série B834 que é um auxotrófico deficiente em metionina e, então, permite elevada actividade específica marcando as proteínas-alvo com 35S-metionina ou selenometionina.
 
Como estirpe hospedeira do Sistema pET utilizámos ''Escherichia coli'' BL21(DE3) pET-Pfu e pET-Taq.
 
 
Derivação
=====Descrição da Estirpe Hospedeira do Sistema pET=====
Características Especiais
 
Resistência a Antibióticos
<center>
Competência das Células
{| border Estirpe
BL21(DE3)
| Estirpe|| Derivação|| Características Especiais|| Resistência a Antibióticos|| Competência das Células
B834
|-
Faltam as proteases lon e ompT
| BL21(DE3)|| B834|| Faltam as proteases ''lon'' e ''ompT''|| Nenhuma|| Sim
Nenhuma
|}
Sim
</center>
 
 
== '''=Vantagens do Sistema pET:''' ===
* '''Poderoso''': níveis de expressão mais elevados, maior controlo sobre a expressão basal; adequação da escolha de vectores e estirpes hospedeiras ao controlo dos níveis de expressão basal e induzido.
* '''Versátil''': escolha das tags de fusão em N-terminal e C-terminal para detecção, purificação e localização; Existência de multiple cloning sites expandidas nas três reading frames; Origem de replicação f1 para mutagénese e sequenciação.
187

edições