Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 18


Capítulo 18
A Vida e as Mentiras de Albus DumbledoreEditar

spoilerEditar

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

SinopseEditar

Na manhã seguinte, Harry ainda está sofrendo a perda de sua varinha. Sem ela ele se sente fraco, vulnerável e completamente nu, como se o seu poder mágico tivesse morrido com ela. Ela pega os dois pedaços, que mal se aguentam juntos, presos pela pena da Fênix e os guarda dentro da bolsa de Mokeskin em volta de seu pescoço. O Pomo também está lá dentro e Harry fica tentado a jogá-lo longe, acreditando que ele é tão sem utilidade como tudo que Dumbledore deixou deixou para trás. Sua fúria contra Dumbledore explode. Em desespero eles foram a Godric´s Hollow acreditando que iriam achar respostas e abrir algum caminho secreto deixado por Dumbledore. Ao invés, eles foram largados tateando cegamente, sem um plano ou um mapa e quase perderam as vidas. Agora Harry não tem a varinha, nem a Espada, e deixou cair a foto do ladrão que seria informação vital para Voldemort.

Ainda chateada, Hermione timidamente leva chá para Harry e mostra a ele o livro da Rita Skeeter, “A Vida e as Mentiras de Albus Dumbledore” que ela pegou na casa de Bathilda. Um bilhete preso ao livro diz: “Querida Batty, obrigada por sua ajuda. Aqui está um exemplar do livro, espero que goste. Você disse tudo, mesmo que não lembre disso. Rita.” Harry assegura a Hermione que não está zangado por causa da varinha, foi um acidente, e ele está grato por ela ter salvado a vida dele. Enquanto folheia o livro, Harry sente um prazer perverso – agora ele vai descobrir os segredos de Dumbledore. Ele vê as fotos do jovem Dumbledore e do colega, bonito, que ele reconhece como o ladrão da lembrança de Gregorovitch. A legenda diz: “Albus Dumbledore, logo após a morte de sua mãe com seu amigo Gellert Grindelwald]].

Harry e Hermione se olham incrédulos – Grindelwald! Um capitulo intitulado “O Bem Maior” revela que Dumbledore se formou em Hogwarts com muitas honrarias e elogios. Ele e seu amigo Elphias Doge cancelaram um Grande Tour pela Europa depois da morte repentina de Kendra. Embora Doge tenha afirmado que Dumbledore fez um grande sacrifício para cuidar de sua família, o livro insinua outra coisa, citando diversos moradores de Godric´s Hollow. Enid Smeek fez pouco para controlar o comportamento selvagem de seu irmão Aberforth e que manteve sua irmã Ariana escondida.

Embora os Dumbledores permanecessem reclusos, Bathilda Bagshot conta que tinha muita amizade com a família. Skeeter afirma que embora a memória de Bathilda estivesse afetada pela idade, ela pode extrair muitos detalhes para conseguir juntar a história escandalosa da morte de Kendra, que ocorreu por um feitiço que ricocheteou. Ela também explica a doença de Ariana e afirma que Albus tinha uma afinidade com as artes das trevas e pode ter apoiado a opressão dos Trouxas.

No mesmo verão em que Albus retornou para cuidar da família, Bathilda recebeu seu sobrinho neto, Gellert Grindelwald, um estudante tão brilhante quanto Dumbledore, que foi expulso do Instituto Durmstrang. Ele, mais tarde se tornou um famoso bruxo das trevas, embora fosse relativamente pouco conhecido na Grã Bretanha. Ele e Albus logo ficaram amigos. Numa carta para Gellert, Dumbledore escreve que concorda que a dominação dos bruxos sobre os Trouxas é para o bem maior, mas eles devem governar com responsabilidade e apenas usar a força quando necessário. Ele acredita que foi um erro de Gellert em Durmstrang, embora diga que se Gellert não tivesse sido expulso, então eles não teriam se conhecido. Rita afirma que essa carta prova que Albus uma vez na vida, pretendia usar o Estatuto de Sigilo e estabelecer a dominação dos bruxos sobre os Trouxas. Isso contradiz sua última posição apoiando os bruxos e bruxas nascidos Trouxas e protegendo os direitos dos Trouxas.

Porém, apenas dois meses depois que sua amizade começou, Dumbledore e Grindelwald se separaram até seu lendário duelo. Bathilda acreditava que a separação envolvia a morte de Ariana. Gellert estava presente quando aconteceu, e então ele voltou para casa nervoso, usando uma Chave de Portal no dia seguinte. Aberforth culpou Albus pela morte de Ariana embora se especule que foi culpa da amizade Albus com Gellert, que foi expulso de Durmstrang por ataques quase fatais a seus colegas.

Gellert prosseguiu, algumas décadas depois, a liderar um reinado de terror no continente, eventualmente se tornando o mais temido bruxo das trevas da história, na época. Cinco anos depois da subida de Grindelwald ao poder, Dumbledore finalmente aceitou os pedidos do mundo para terminar com sua fúria destruidora na Europa. No entanto, perguntas surgiram após a derrota de Grindelwald. Foi o carinho de Albus por Grindelwald que o fez demorar a se decidir? Como e por que Ariana morreu? Foi um acidente ou a primeira tentativa de implementar seu plano de “Um Bem Maior”²?

O capitulo termina aqui, e Harry está atordoado enquanto ele ainda suporta outra perda: Ron, sua varinha de Fênix, e agora sua confiança inabalável em Dumbledore, que representava apenas a bondade e sabedoria. Hermione relembra a ele, que Rita Skeeter é a autora, mas Harry mostra as próprias palavras de Dumbledore na carta para Grindelwald. Hermione acredita que o slogan de Grindelwald, “Para o Bem Maior” provavelmente criado pelas idéias de Dumbledore, se tornou a justificativa de Grindelwald para suas atrocidades. Essas palavras foram vistas na entrada de “Nurmengard” a prisão onde ficavam os inimigos de Grindelwald.

Hermione atribui os atos de Dumbledore à sua juventude e à perda de sua família, embora Harry replique que eles eram da mesma idade que ele, e ele está lutando contra as artes das trevas e não as defendendo. Harry também lembra que Albus tinha um irmão e ele manteve sua irmã Aborto, trancada. Hermione duvida que Ariana fosse um Aborto e insiste que, o Dumbledore que eles conheciam jamais aceitaria a opressão dos Trouxas; não importa no que ele acreditava quando tinha dezessete anos, ele escolheu, quando adulto, um caminho diferente e passou o resto de sua vida lutando contra o mal. Hermione desconfia que Harry está muito zangado porque Dumbledore nunca revelou um pouco do seu passado, que Harry acredita ser verdade. Mas ele pensa em como Dumbledore pode deixá-lo nessa tamanha confusão, e se Dumbledore algum dia se importou com ele.

AnáliseEditar

Godric´s Hollow não foi apenas quase fatal, mas Harry e Hermione acham que foi um beco sem saída, uma perda de tempo, e Harry está mais furioso do que nunca com Dumbledore por ter dado a ele tão pouca informação para essa missão. Não se sabe se Dumbledore tencionava que eles fossem a Godric´s Hollow, mas ele teve ter imaginado que Harry iria querer visitar seu local de nascimento e suspeitaria que alguma informação estivesse escondida ali, embora Dumbledore poderia ter achado isso muito arriscado e um lugar óbvio para pistas secretas.

A despeito dos cálculos errados, a viagem se mostrou de alguma maneira, produtiva. Como foi visto, Harry e Hermione viram o símbolo estranho num túmulo bem antigo, que é idêntico ao símbolo desenhado no livro “Os Contos de Beedle o Bardo”, aquele que Dumbledore deixou para Hermione, e também é o mesmo símbolo que Xeno usou no casamento. De acordo com a reação irada de Viktor Krum, ao ver Xeno usando o símbolo, parece que ele é pode ser de alguma forma, importante, talvez algo ligado às artes das trevas. Esse símbolo está relacionado com "Ignotus", o nome na lápide, que talvez seja importante e por isso Dumbledore esperava que Harry o encontrasse.

Hermione também consegue o livro da Rita Skeeter, que entrega informações valiosas sobre o passado de Dumbledore e sua desconhecida ligação anterior com o famoso bruxo das trevas, Gellert Grindelwald, que ele eventualmente derrotou num duelo. Devemos atentar para o fato de que a subida ao poder de Grindelwald no continente parece ter ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial, 1939-1945, enquanto que outras evidências na série date a amizade dos dois em 1899. A foto de Grindelwald na casa de Bathilda também o liga a ela e a Godric´s Hollow. Harry também confronta seu passado em Godric´s Hollow, e visitar sua antiga casa e os túmulos de seus pais cria uma sensação de finalização desse capitulo triste em sua vida e vai permitir que ele avance emocionalmente daí em diante.

Novamente Harry se sentiu profundamente desapontado com alguém que ele amava e admirava. Antes, James, Sirius e Lupin tinham, na opinião de Harry, falhado em seu comportamento. Agora é Dumbledore. Dessa vez, no entanto, Harry não está apenas desapontado, sua fé e lealdade quase desapareceram, e Rita Skeeter parece ter provado suas suspeitas sobre Dumbledore.

Curiosamente, a despeito da reputação suja de Skeeter, de fabricar ou tornar fatos sensacionalistas, e Harry tem experiência própria disso, ele acredita rapidamente em tudo o que livro conta. Até as próprias palavras de Dumbledore parecem dar crédito às afirmações de Skeeter. A crença de Harry pode ter sido parcialmente estimulada por isso, assim como sua raiva e preocupação, além das dúvidas de que Dumbledore algum dia o amou. Mas Harry erra, ao não recordar Dumbledore dizendo a ele, “são nossas escolhas, Harry, que mostra quem somos realmente.” Hermione está correta ao achar que Harry está mais aborrecido porque Dumbledore escondeu seu passado dele, ao invés daquilo que o diretor disse ou fez. Ela afirma que a despeito do interesse de juventude e pouco duradouro com pelas artes das trevas e sua ingênua atração pelos seus poderes sedutores, esse Dumbledore não é o homem que eles conheceram. Assim como James, ele escolheu superar seus delírios juvenis e dedicar o resto de sua vida a lutar contra o mal e a opressão dos Trouxas.

Ainda muito jovem, de alguma forma um tanto ingênuo e idealista, Harry acredita que a bondade e a sabedoria são rígidas, uma única estrada desde o nascimento em diante, e não consegue compreender que, em geral, é uma estrada cheia de bloqueios, retornos, estradas laterais e ocasionais becos escuros. Ainda que Dumbledore possa ter saído de sua verdadeira estrada, ele, ao contrário de Grindelwald, encontrou seu caminho de volta.

Harry sofrendo por sua varinha perdida, mostra a falta de confiança em si mesmo e parcialmente explica sua raiva fora de lugar dirigida à Hermione. Ele acredita mais em sua varinha, e não em suas habilidades mágicas, como fonte de seus poderes mágicos. É como se perdesse outro ente querido que desse a ele orientação e força. Assim como sua coruja Hedwig, e, em anos anteriores sua Nimbus 2000 que foi destruída, a varinha dava a ele uma confortável segurança e familiaridade, assim como era um símbolo de sua entrada no mundo dos bruxos. No entanto ele está correto ao pensar que sua varinha era especial, e que ela desenvolveu poderes únicos e qualidades, que mais tarde o ligaram a Voldemort e sua própria varinha, embora não conseguisse impedir a maldição de Hermione. Sua perda é um enorme atraso na missão, e enquanto bruxos possam usar outras varinhas, nem todas funcionam tão bem. Até que Harry possa conseguir uma substituição decente, ele vai ter que dividir a de Hermione. E com Ollivander aparentemente prisioneiro de Voldemort, procurar outra varinha será difícil.

Lembramos bem de como Harry ficou devastado quando perdeu sua vassoura Nimbus 2000. Curiosamente, a perda de sua Firebolt, presente de seu falecido padrinho, o afetou menos profundamente. Outros acontecimentos, como a morte de Hedwig ao mesmo tempo que de Moody durante o ataque, e as mortes recentes de Sirius e Dumbledore podem ter ofuscado sua importância. Ao mesmo tempo, a crescente maturidade de Harry tem substituído sua necessidade de viver extremamente grudado e dependente de objetos inanimados como segurança emocional, ao invés disso depender dos amigos e aliados para apoio e conforto, embora sua varinha partida é claramente uma exceção.

Como nota aos leitores, vocês talvez observaram que J.K. Rowling está usando um tanto de humor quando informalmente fala de Bathilda, em seu bilhete para “Batty”. Isso, obviamente, é um termo para quem é mentalmente confuso, e assim Bathilda estava nos seus últimos anos, e provavelmente foi por isso que Skeeter conseguiu manipular a coitada a contar suas lembranças.


PerguntasEditar

RevisãoEditar

  1. Harry considera a ida até Godric's Hollow como inútil. E foi? Se não foi, por que?
  2. Não é estranho que um bruxo tenha mais de uma varinha durante sua vida. Além do momento inconveniente, por que Harry está sofrendo tanto com a perda de sua varinha?
  3. O que é o “Bem Maior” e para quem esse bem estava de fato dirigido?
  4. Por que Harry está tão desapontado com Dumbledore, a despeito do homem bom que ele era? A opinião de Harry é justa?
  5. Qual é a opinião de Hermione sobre o por que Harry estar zangado com Dumbledore, ela está certa?
  6. Por que Dumbledore manteve seu passado em segredo? Ele era obrigado a revelá-lo a Harry? Explique.


Estudos AdicionaisEditar

  1. Como Rita Skeeter persuadiu Bathilda Bagshot a contar suas lembranças sobre Dumbledore e Grindelwald? Essas lembranças eram confiáveis e isso fazia diferença para Skeeter?
  2. O que deve ter causado o desentendimento entre Dumbledore e Grindelwald?
  3. Albus estava cego quanto a verdadeira natureza de Grindelwald, embora soubesse o que aconteceu em Durmstrang? O que explicaria isso?
  4. Por que Grindelwald deixou Godric's Hollow imediatamente após a morte de Ariana?
  5. Por que Albus demorou tanto para confrontar Grindelwald no histórico duelo? Quais foram as consequências dessa demora?
  6. Considerando a reputação de Rita Skeeter para o sensacionalismo e histórias fabricadas, por que Harry acreditou tão rápido que tudo no livro sobre Dumbledore é verdade? As afirmações dela podem ser corretas?
  7. Por que Hermione duvida de que Ariana era um “Aborto “? Existe alguma prova concreta para comprovar a opinião dela?


Visão CompletaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Nos capítulos finais do último livro, descobrimos que o comentário que um dia Dumbledore fez para Harry, que são as escolhas de cada um que fazem uma pessoa ser o que é, foi baseado nos trágicos eventos que envolveram sua própria família e que mudaram para sempre seu caminho pessoal. Embora essas palavras tivessem sido um conforto para Harry quando foram ditas, desde então ele teve dificuldades em usá-las para outras pessoas que não ele mesmo.

Nós vimos que no livro cinco, Harry ficou deprimido ao descobrir que seu pai (e Sirius) foi um metido a valentão, e ele teve dificuldades para compreender como um adolescente insuportável pode se tornar o adulto muito respeitado, de quem todos falavam bem. Ele não compreendia que seu pai escolheu mudar, e não consegue entender agora que Dumbledore também tomou uma decisão consciente de se tornar um homem diferente, talvez muito melhor e mais forte do que se persistisse no caminho das trevas.

O símbolo de Grindelwald até agora foi visto três vezes: uma, no pescoço de Xeno Lovegood no casamento, no exemplar de “Os Contos de Beedle o Bardo” que Dumbledore deixou para Hermione e no túmulo em Godric´s Hollow. Quando Hermione, procurando no exemplar do livro de Rita Skeeter, lê citações da carta de Dumbledore, ela descobre que o jovem Albus usava o mesmo símbolo em sua assinatura.

Embora saibamos que Grindelwald usava esse símbolo, também foi dito que isso foi muito antes de seu reino de terror, foi então que ele se apoderou desse símbolo, mais ou menos como o partido Nacional Socialista Alemão, se apoderou da suástica. Ao descobrir que esse símbolo estava muito ligado à Dumbledore, Hermione sente necessidade de visitar a pessoa que ela acha que pode explicar seu simbolismo pré-Grindelwald: Xeno Lovegood. Nessa empreitada eles serão auxiliados por Ron recém retornado, que sabe aonde vivem os Lovegood.

Leitores maduros podem achar a carta de Dumbledore, como aqui revelada, bastante interessante, porque pode ser lida de duas maneiras. A interpretação de Rita Skeeter é que Dumbledore e Grindelwald estavam planejando derrubar as leis que governam as relações entre bruxos e Trouxas, com a intenção de revelar a existência dos bruxos e então criar uma nova ordem social. Igualmente, no entanto, isso pode ser visto como os planos de um jovem bruxo, que ainda tem que descobrir que, para conseguir algo você precisa trabalhar com o sistema, mudando lentamente a estrutura existente. Com certeza seria necessário um bruxo com raros poderes para transformar a estrutura social dessa forma, mas Dumbledore se tornou exatamente esse bruxo. Antes de compreender isso, talvez, ele deve ter sonhado em refazer a sociedade mais completamente, como vemos na carta publicada, e, aparentemente, ele falhou em compreender totalmente que os métodos de Grindelwald de alcançar esse sonho seriam muito mais extremos, e provavelmente mortais. Eventualmente, Dumbledore foi importante nas relações gentis com os Trouxas da mesma forma que Arthur Weasley poderia usar as leis de proteção aos Trouxas. No entanto sendo emocionalmente imaturo e ainda ingênuo sobre a natureza da sociedade, Harry está mais favorável a aceitar a interpretação de Skeeter.

Assim que o livro final foi publicado, a autora revelou numa entrevista que Dumbledore era homossexual. Sob a luz dessa revelação, podemos ver que o relacionamento entre Grindelwald e Dumbledore era, certamente, mais do que amizade; pelo menos pelo lado de Dumbledore era provavelmente paixão, e isso resulta numa dificuldade para enxergar a natureza mais violenta de Grindelwald.

Que Harry vai conseguir diversas varinhas diferentes durante sua missão se torna importante para a trama. Ele aprende que sob certas condições as varinhas podem mudar de fidelidade. Mr. Ollivander afirma que a “a varinha escolhe o bruxo” e isso é mais importante do que Harry imaginava e vai afetar seu confronto final com Voldemort.