Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 8


Capítulo 8
O CasamentoEditar

spoilerEditar

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

SinopseEditar

O casamento tão esperado de Bill e Fleur acontece na Toca. Harry está disfarçado pela poção polissuco como o primo dos Weasleys, “Barny.” Chegam muitos convidados, inclusive Luna (que irritantemente consegue ver Harry através do disfarce da poção polissuco) e seu pai, Xenophilius Lovegood, alguns primos dos Delacours, a tia Muriel dos Weasleys e o mais famoso, Viktor Krum. Viktor, aliás, fica encantado ao ver Hermione, o que aborrece Ron. Hermione, nervosa, deixa cair sua pequena bolsinha de contas, que faz um barulho pesado ao bater no chão.

Durante a festa, Viktor pergunta ao disfarçado Harry quem é Xenophilius, porque se não fosse um convidado de Fleur, ele iria o chamar para um duelo imediatamente, por usar “aquele símbolo nojento no peito”. Krum diz que o medalhão, que tem um estranho olho triangular, representa Grindelwald, um bruxo do mal que aterrorizou a Europa, matando muitas pessoas, inclusive o avô de Krum. Grindelwald finalmente foi derrotado há muitos anos, por Dumbledore. Muitos alunos de Durmstrang chegaram a copiar o símbolo, mas Viktor o despreza.

Harry começa a lembrar do Torneio Tribruxo, durante a pesagem das varinhas, Mr. Ollivander reconheceu a varinha de Krum como uma “criação” de Gregorovitch. É esse que Voldemort estava procurando no sonho de Harry. Harry conclui que Voldemort pode estar procurando por uma varinha mais poderosa do que a de Harry, e Gregorovitch pode ser um fabricante de varinhas mais habilidoso do que Ollivander.

Harry deixa Viktor depois que os comentários do rapaz sobre Ginny fazem com que Harry fique enciumado. Então ele encontra e revela sua identidade para Elphias Doge que escreveu o obituário de Dumbledore para o Profeta Diário. Quando Harry pergunta sobre a biografia que Rita Skeeter escreveu do diretor, e se Dumbledore estava envolvido nas artes das trevas, Elphias fica furioso, negando a história de Skeeter. Ele fica ainda mais feroz, quando a tia Muriel interrompe, dizendo que ela apoia as afirmações de Skeeter e pensa que o obituário de Doge passou por cima do passado sujo de Dumbledore.

As alegações de Muriel são chocantes: ela afirma que a irmã doente de Albus, Ariana, era um Aborto, uma desgraça para sua mãe, Kendra, escondida e mantendo Ariana presa no porão. Muriel especula que Ariana foi morta por Kendra numa tentativa malograda de fuga, tudo isso enquanto Albus estava em Hogwarts criando fama e ganhando elogios. Depois da morte misteriosa de Kendra, Albus foi forçado a cuidar da família, mas não o fez bem; logo depois Ariana também morreu, possivelmente, Muriel sugere, morta por Albus. Muriel também afirma que, de acordo com sua amiga, Bathilda Bagshot, que conhecia bem os Dumbledores, Aberforth culpou Albus pela morte da irmã e, durante o funeral deu um soco na cara de Albus que lhe quebrou o nariz. Tia Muriel nega que Ariana alguma vez tenha estado doente, ela diz que seu sobrinho era um curandeiro em St. Mungo na época, e Kendra nunca levou Ariana até lá. No entanto, o que mais deixa Harry surpreso é que os Dumbledores moravam em Godric´s Hollow, a antiga casa de Harry e onde seus pais estão sepultados.

De repente, o Patrono de Kingsley Shacklebolt surge anunciando que Rufus Scrimgeour está morto e que Voldemort está no controle do Ministério da Magia . Ele avisa “Eles estão vindo” – os Comensais da Morte estão caçando os convidados do casamento, especialmente Harry.

AnáliseEditar

O passado de Dumbledore é muito mais secreto, complexo e intrigante do que Harry poderia imaginar, e sua fé no seu mentor, já sacudida pelas “revelações” de Rita Skeeter na sua entrevista do Profeta Diário, depois levemente consertada pela conversa com Elphias Doge, leva outro golpe vindo de tia Muriel.

Lentamente, Harry está percebendo como ele sabia pouco e entendia pouco Dumbledore. Assim como seu pai e seu padrinho, o homem que Harry tanto admirava e confiava tinha um lado negro. Os jovens, no entanto, tendem a ver apenas as características brilhantes de seus heróis, não conseguem perceber que toda a pessoa é um quadro multidimensional que contém defeitos e qualidades, e embora essas características possam colidir, elas também criam um equilíbrio.

Harry também precisa aprender que são os erros do passado de alguém e as transgressões, que, em geral, fazem dessa pessoa alguém que se torna melhor. Ninguém será totalmente sem falhas, embora Harry veja, em geral, o mundo em preto e branco, ignorando os tons multicoloridos e às vezes turvos que misturam, sombreiam e contrastam a vida. No livro dois, Dumbledore disse a Harry que, “são nossas escolhas, que mostram verdadeiramente o que somos, muito mais do que nossas habilidades.” Harry fica aliviado porque pode usar isso em si mesmo, de modo a se distinguir de Tom Riddle, mais ainda não consegue aplicar isso aos outros, especialmente a Dumbledore.

Harry também logo acredita em fontes duvidosas como tia Muriel e Rita Skeeter, ao mesmo tempo que, de alguma forma, descarta as lembranças mais agradáveis de Elphias Doge. Harry quer acreditar em Doge e procurou confiar nele sobre Dumbledore, mas duvida das palavras de Doge. Muriel é assertiva e específica, fazendo se fazer mais fácil para Harry de acreditar, do que Doge, que parece muito vago. Também não podemos assumir que as lembranças de Doge são mais acuradas do que as de Muriel ou a pesquisa de Skeeter, simplesmente porque são favoráveis. E Skeeter, a despeito de seus métodos jornalísticos ilegítimos, em geral descobre fatos verdadeiros, embora sempre sejam sensacionalistas ou distorcidos a ponto de serem irreconhecíveis quando chegam aos seus leitores.

No entanto, Harry, que já estava perturbado por essas muitas “verdades” vai ficando mais aflito por essa confusão crescente e pelas várias referências sobre Dumbledore, inclusive aquelas envolvendo seu passado negro, o que seriam suas intenções atuais e se ele, de fato, amava Harry ou apenas o criou como um instrumento para executar seu plano secreto.

Embora Harry esteja dedicado a completar sua missão, ele será distraído por essas revelações sobre o passado de Dumbledore e sua motivação, e pela sua confusão e frustração com as poucas e espantosas informações que lhe deram. Harry vai ficar consumido por descobrir o passado de Dumbledore, tanto, que vai afetar sua missão.

Sabendo que Gregorovitch é ou era, um artesão de varinhas, podemos supor que Voldemort decidiu que a varinha de Harry com o miolo da pena de Fênix será sua maior ameaça. Isso, certamente, combina com a crença de Harry: tendo sentido que sua varinha lançou um feitiço por conta própria durante a fuga da casa dos Dursleys, a fé de Harry em sua varinha é incrível. Nesse livro, no primeiro capítulo, descobrimos que Voldemort considera a varinha de Harry uma ameaça. Não se sabe se Voldemort descobriu sobre a ligação de sua varinha com a de Harry; como ele mantém Ollivander preso, não se sabe se ele interrogou o artesão com relação a isso. Se ele pretende que Gregorovitch faça para ele uma varinha mais poderosa que possa derrotar a de Harry, ou se ele acredita simplesmente, que uma varinha de um artesão diferente não vai sofrer o mesmo destino que a varinha de Malfoy, que também foi feita por Ollivander, ou se apenas ele deseja saber mais informações sobre a tradição do artesanato de varinhas, ainda não sabemos.

Diversos personagens são mostrados aqui. Embora não se saiba como Luna descobriu Harry, mesmo disfarçado pela poção polissuco, isso pode indicar que a despeito ou até mesmo, por causa de sua personalidade diferente, ela possua alguma habilidade mágica incomum, que pode ter sido herdada de sua falecida mãe, ao invés de seu pai. Isso pode ser outro exemplo da percepção não mágica e sim normal, de Luna. É uma característica bem humana ver apenas o que esperamos ver, então, Draco, quando viu Harry disfarçado como Goyle não observou alguma característica de Harry, porque esperava apenas vê-lo agir como Goyle. Nesse caso, ninguém sabe como é o “primo Barny” ou como ele age, e Luna reconhece as características, os gestos, sendo de Harry. Se essa habilidade é por causa de seus poderes mágicos, uma percepção aumentada, ou a combinação de ambos, isso pode fazer dela uma aliada mais poderosa para Harry.

Enquanto isso, a inesperada reaparição de Viktor Krum, tem um efeito forte sobre Ron, que imediatamente sente ciúmes e se sente ameaçado pelo carinhoso interesse de Krum por Hermione, embora Ron ainda tenha que reconhecer totalmente seus sentimentos profundos por ela. Harry também se sente ameaçado por Krum, quando ele demonstra interesse por Ginny, embora Harry, saiba muito bem quais são seus sentimentos.


PerguntasEditar

RevisãoEditar

  1. Qual o símbolo que Mr. Lovegood está usando? Por que isso provoca uma reação forte em Viktor Krum?
  2. Quem é Gregorovitch e por que Voldemort o está procurando?
  3. Por que Voldemort estaria procurando uma nova varinha?


Estudos AdicionaisEditar

  1. Quem está dizendo a verdade sobre o passado e a família de Dumbledore?
  2. Por que Harry parece dar mais crédito às lembranças de tia Muriel e de Rita Skeeter sobre Dumbledore, do que as de Elphias Doge? Quais as lembranças que tem mais credibilidade? Por que?
  3. Como Luna Lovegood pode enxergar através do disfarce de Harry? O que isso diz das habilidades de Luna?
  4. Por que a bolsinha de Hermione quando cai faz um barulho alto?
  5. Por que a irmã de Dumbledore seria tratada como um Aborto por sua mãe?
  6. Existem símbolos no mundo real que podem provocar uma reação tão forte como a expressada por Krum? Dê, pelo menos um exemplo específico e explique por quê.


Visão CompletaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Harry está certo em supor que Voldemort está procurando por uma nova varinha. Embora as varinhas de Harry e de Voldemort sejam “irmãs”, descobriremos que, durante o duelo deles no cemitério no livro quatro, a varinha de Harry, não apenas superou a de Voldemort como criou uma ligação tão profunda que retirou para ela alguns dos poderes da outra, se tornando uma arma muito superior. Voldemort, no entanto, sem saber desse acontecimento, aparentemente está procurando uma varinha mais poderosa que possa derrotar a varinha de Harry, especificamente uma feita pelo lengendário artesão Gregorovitch. Ollivander, que foi torturado por Voldemort para entregar informações, irá admitir que revelou ao Lorde das Trevas, que sua varinha e a de Harry são “irmãs”.

Hermione enfeitiçou sua bolsinha de contas de modo que ela ficou enorme por dentro e do mesmo tamanho por fora. Ela já empacotou tudo que acha que vai precisar dentro dela, e a leva junto para onde vai, de modo que está pronta a ir embora com Harry a qualquer momento. Isso será muito útil no final desse capítulo e início do outro, quando os Comensais da Morte chegarem subitamente no casamento e o Trio tiver que escapar rápido.

Foi dito que o símbolo que Xeno Lovegood está usando é o símbolo de Grindelwald, e isso deixou Krum furioso, ele estava lutando contra alunos de Durmstrang que tinham tendência de idolatrar Grindelwald, que foi aluno dessa escola. Vamos descobrir que Xeno, é um crente no mito das Relíquias da Morte, e esse símbolo foi usado pelos crentes nas Relíquias da Morte durante séculos, antes de Grindelwald, que também era crente e se apropriou do símbolo para seu movimento. Isso, é claro, é muito parecido com o uso da suástica, um símbolo do Budismo durante milênios antes que se tornasse símbolo do Partido Nacional Socialista na Alemanha. Podemos assumir que esse paralelo foi deliberado por parte da autora, como ela mesma disse que muitos aspectos da série, especialmente nos atos do Ministério da Magia e através da Ordem da Fênix, os acontecimentos foram baseados conscientemente em situações da Segunda Guerra Mundial, e que há algumas ligações entre a guerra e os atos de Grindelwald.