A evolução tecnológica/Considerações finais


Evoluções Tecnológicas ocorrem durante toda a existência do homem, sendo impulsionadas pela necessidade — e também pelo instinto humano de desenvolver-se. Há também a evolução que ocorre espontaneamente, mas é somente observada quanto à descoberta do fogo. Nesse caso, fala-se em descoberta, e não em desenvolvimento, criação, construção, etc. Entretanto, esta descoberta pode ser considerada como tecnologia, pois foi uma simplificação do modo de vida do ser humano e amplificação de sua atuação no planeta, que abrangeu em grandiosa amplitude, permitindo um avanço geral, e não só focalizado em uma única situação.

À questão da necessidade, pode-se dizer que impulsionou cada vez mais a criação de tecnologia, pois o homem sempre precisou estar evoluindo e adaptando-se ao mundo. Essa questão está relacionada aos determinados períodos históricos, e tendo diferentes intensidades de evolução em cada um. Dessa forma, é na atualidade que a necessidade impõe uma maior evolução tecnológica, de maneira alguma alcançada antes desse período contemporâneo. Esses fatores explicam como a evolução tecnológica ocorreu, sendo, basicamente, iniciado por instrumentos rudimentares de caça (em tempos dos hominídeos), passando a desenvolver-se mais em tempos modernos, e chegando ao intenso grau de evolução atual.

Pode-se afirmar, então, que a tecnologia tem a tendência de aumentar a intensidade de sua evolução, cada vez em um compasso maior, bem como o homem quanto à sua necessidade de obter mais tecnologia para a sua adaptação às mudanças globais — estas causadas pela própria evolução da tecnologia que implica ao homem uma dependência gradativa por ela.

("A Evolução Tecnológica" foi escrito originalmente, no ano 2000, por Alexandre Gaeta Toth).


Referências BibliográficasEditar