Bioquímica/Glossário

Glossário

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ

GlossárioEditar

AEditar

  • Ácido forte – ácido que se dissocia totalmente na sua base conjugada e prótons quando em solução.
  • Ácido fraco – ácido que se dissocia parcialmente na sua base conjugada e prótons quando em solução, estabelecendo-se um equilíbrio entre as espécies ionizadas e o ácido.
  • Ácido gordo (Br. ácido graxo) - ácido composto por um grupo carboxilato ligado a uma cadeia de carbonos, geralmente longa e linear.
  • Acilglicerol - composto de glicerol ligado a ácidos gordos através de ligações éster.
  • Aeróbio – processo, mecanismo ou organismo que utiliza dioxigênio.
  • Aeróbio facultativo – organismo que pode utilizar dioxigênio no seu metabolismo mas sobrevive sem este. Por exemplo: Escherichia coli.
  • Aeróbio obrigatório – organismo que não sobrevive na ausência de dioxigênio, necessitando deste para o seu metabolismo energético. Por exemplo: humanos.
  • Aldose - monossacarídeo contendo um grupo aldeído na sua estrutura.
  • Aminoácido – molécula contendo um grupo amina e um grupo carboxílico; bloco básico de construção de péptidos e proteínas.
  • Anabolismo – tipo de metabolismo em que é consumida energia para a síntese de biomoléculas necessárias à célula.
  • Anaeróbio – processo, mecanismo ou organismo que não utiliza dioxigênio, podendo ou não ser destruído/inutilizado na presença deste.
  • Anaeróbio aerotolerante – organismo que não utiliza dioxigênio no seu metabolismo mas é capaz de sobreviver na sua presença.
  • Anfipático – diz-se do composto que possui uma parte hidrofílica e uma parte hidrofóbica. Por exemplo: fosfoacilgliceróis.
  • Anfotérico – diz-se do composto que pode atuar como base e como ácido simultaneamente.
  • Ångström – unidade de comprimento equivalente a 10−10m, muito usada na apresentação de distâncias entre átomos em estruturas tridimensionais de biomoléculas (especialmente proteínas).
  • Anião – espécie química carregada negativamente (íon com carga elétrica negativa).
  • Animalia – reino (divisão taxonômica) à qual pertencem todos os animais.
  • Antibiótico – substância sintetizada por microrganismos (ou artificialmente) que destrói ou inibe o crescimento de outros microrganismos. Por exemplo: a penicilina.
  • Anticodão – sequência de três nucleótidos de tRNA complementar a uma sequência de três nucleótidos de mRNA (codão) que identifica qual o aminoácido correspondente a esse codão.
  • Antiparalelo – diz-se do arranjo das duas cadeias de DNA em dupla hélice por se entrelaçarem em sentidos opostos (ou seja, uma cadeia no sentido 5'–3' entrelaça-se com uma cadeia no sentido 3'–5').
  • Apoenzima – parte proteica de uma enzima, ou seja, sem a presença de cofatores não proteicos.
  • Átomo – a mais pequena partícula da matéria que conserva identidade química.
  • Autotrofia – síntese de biomoléculas usando CO2 como fonte de carbono. Por exemplo, a fotossíntese é um processo autotrófico.

BEditar

  • Bactéria – microrganismo unicelular procariótico, que não possui organelas ou um núcleo definido.
  • Beta-oxidação (β-oxidação) – via catabólica de oxidação de ácidos gordos, em que estes são degradados a pequenas moléculas orgânicas.
  • Bicamada lipídica – camada de natureza dupla constituída por fosfoacilgliceróis, de tal modo que a parte hidrofílica ("cabeças") destes esteja em contato com o meio aquoso envolvente e a parte hidrofóbica ("caudas") esteja no interior da camada.
  • Biorremediação – processo que emprega microrganismos com capacidade de transformar substâncias tóxicas em não-tóxicas. Usada, por exemplo, na limpeza de águas efluentes contaminadas.
  • Biossíntese – síntese de moléculas usadas em processos bioquímicos. Requer o gasto de energia química, normalmente sob a forma de ATP.

CEditar

  • Cascata – em Bioquímica, refere-se à transmissão de informação através de várias reações, observando-se um aumento progressivo do sinal pretendido.
  • Catabolismo – tipo de metabolismo em que existe degradação de biomoléculas mais ou menos complexas para haver libertação de energia.
  • Catião – espécie química carregada positivamente (íon com carga elétrica positiva).
  • Centro ativo – Zona de uma enzima onde o substrato se liga e é transformado a produto.
  • Centro alostérico – Zona de uma enzima onde uma molécula (que não o substrato) se liga, modulando a atividade enzimática (estimulando-a, especificando-a ou inibindo-a).
  • Cetose - monossacarídeo contendo um grupo cetona na sua estrutura.
  • Cloroplasto – organela presente em células eucarióticas fotossintéticas, que contêm a maquinaria necessária para a fotossíntese.
  • Constante de acidez – constante de dissociação de um ácido, definida como a razão entre o produto das concentrações de H+ e da base conjugada e a concentração do ácido. Dá uma medida da extensão da dissociação do ácido em solução.

DEditar

  • Desprotonação – perda de um ou mais prótons (H+) por uma molécula, dizendo-se que fica desprotonada.

EEditar

  • Energia de ativação – energia necessária para iniciar uma reação química. É diminuída na presença de enzimas.
  • Enzima – proteína com características catalíticas, ou seja, que catalisa reações químicas em sistemas vivos.
  • Epímero - monossacarídeo que difere de outro apenas na conformação quiral de um carbono.
  • Equilíbrio químico – situação de estado estacionário de uma reação química reversível em que não existe uma variação líquida da concentração de reagentes ou de produtos, ou seja, em que a reação direta procede à mesma velocidade que a reação inversa.

FEditar

  • Fermentação alcoólica – processo metabólico em que o piruvato é reduzido pelo NADH a etanol.
  • Fórmula de projeção de Fischer - forma de representação da estrutura de monossacarídeos em que o grupo carbonilo se desenha próximo do topo, ligações químicas desenhadas na vertical consideram-se atrás do plano e na horizontal acima do plano. É particularmente útil para determinar o tipo de enantiômero (D ou L) representado.

GEditar

  • Glícido – substância química composta por carbono, hidrogênio e oxigênio, que tem um papel de reserva/fonte de energia, estrutural ou de sinalização celular (quando ligado a proteínas membranares).

HEditar

  • Hexose - monossacarídeo contendo seis carbonos na sua estrutura.
  • Heptose - monossacarídeo contendo sete carbonos na sua estrutura.
  • Hidrofílico – diz-se do composto que possui afinidade para a água, sendo solúvel nesta. Por exemplo: glucose.
  • Hidrofóbico – diz-se do composto que repele a água, sendo insolúvel nesta. Por exemplo: ácidos gordos.
  • Holoenzima – enzima completa com cofatores não proteicos. O termo é aplicado quando é necessário distinguir esta da apoenzima.

IEditar

  • Íon – espécie química com carga elétrica, adquirida pelo ganho ânion ou perda cátion de elétrons.
  • Isótopo – diz-se de átomos que, possuindo a mesma massa atômica, diferem no seu número atômico.

JEditar

LEditar

  • Ligação de hidrogênio – ligação química fraca (23 kJ/mol) que se estabelece entre um átomo com alta eletronegatividade (como o oxigênio) e um átomo de hidrogênio.
  • Ligação química – interação entre os elétrons de valência de átomos de modo a que estes atinjam uma configuração eletrônica de valência estável (de menor energia).
  • Lipofílico – diz-se do composto que é solúvel num meio constituído por lípidos, como as membranas celulares (cf. hidrofóbico).
  • Lípido ou lipídio - compostos orgânicos insolúveis em água com funções estruturais, de armazenamento de energia ou outras funções diversas, incluindo mensageiros intracelulares, alguns hormônios e pigmentos.

MEditar

  • Massa atômica – soma do número de prótons e de neutrões existentes num átomo.
  • Membrana citoplasmática – bicamada lipídica que determina a divisão entre o interior da célula (meio intracelular) e o seu ambiente (meio extracelular), tendo entre outros um papel de compartimentação, regulação osmótica e transporte de substâncias.
  • Molécula orgânica – designação geral dada a moléculas constituídas por pelo menos uma cadeia de átomos de carbono ligados entre si.

NEditar

  • Nomenclatura binomial – sistema de nomenclatura dos organismos vivos, criado por Lineu, para a designação de uma espécie por dois nomes, o primeiro designando o gênero a que pertence a espécie (em maiúscula) e o segundo sendo um epíteto específico (em minúscula). O nome deve ser destacado usando sublinhado ou itálico. Por exemplo: Helicobacter pylori (uma bactéria existente no estômago de parte da população humana).
  • Número atômico – número de prótons de um átomo, que define a que elemento químico esse átomo pertence.

OEditar

PEditar

  • Par conjugado ácido/base – par constituído por um ácido e respectiva forma desprotonada (base). Por exemplo: HCl/Cl-.
  • Parede celular – invólucro exterior presente na maioria das células de plantas, fungos e procariontes que confere rigidez e forma à célula, protegendo-a também da entrada de substâncias nocivas e evitando a ruptura celular em condições hipotônicas.
  • Pentose - monossacarídeo contendo cinco carbonos na sua estrutura.
  • Peso atômico – o mesmo que (e mais corretamente designado como) massa atômica.
  • pH – escala logarítmica que relaciona a concentração de iões H+ em solução aquosa com a acidez dessa solução.
  • Ponte de hidrogênio – o mesmo que (e mais corretamente designada como) ligação de hidrogênio.
  • Proteína transmembranar – diz-se da proteína que atravessa totalmente uma membrana, estabelecendo uma via de comunicação entre os dois compartimentos definidos por essa membrana. Têm geralmente uma função de sinalização celular ou transporte.
  • Protonação – ganho de um ou mais prótons (H+) por uma molécula, dizendo-se que fica protonada.

QEditar

  • Quimioautotrofia – tipo de autotrofia em que é usada a oxidação de compostos inorgânicos simples (por exemplo, nitritos) para a produção de energia química.
  • Quimiosmose – processo de produção de ATP através de um gradiente de prótons, criado previamente através de uma membrana por transporte ativo.
  • Quiralidade - diz-se das moléculas que, tendo a mesma composição química, diferem estruturalmente entre si como se fossem imagens de espelho.
  • Quitina – homopolissacarídeo estrutural, constituído por N-acetilglucosamina. Encontra-se na parede celular de diversos fungos e é um componente essencial do exoesqueleto de artrópodes.

REditar

  • Respiração aeróbia – denominação do processo global de catabolismo energético em que moléculas orgânicas são oxidadas através do ciclo dos ácidos tricarboxílicos e da fosforilação oxidativa a produtos como o CO2 e H2O.

SEditar

  • Solução aquosa – solução em que o solvente principal (ou o único solvente) é água. Todos os fluidos biológicos são soluções aquosas.

TEditar

  • Teoria celular – teoria desenvolvida por Matthias Schleiden e Theodor Schwann, em meados do século XIX, que afirma que todos os organismos são constituídos por células e estas são então a unidade fundamental de construção da vida.
  • Tetrose - monossacarídeo contendo quatro carbonos na sua estrutura.
  • Transporte ativo – tipo de transporte de espécies químicas através de membranas celulares contrariando o gradiente de concentração existente através dessa membrana. Requer energia (ATP) para ser efetuado e dá-se através de proteínas transmembranares.
  • Triose - monossacarídeo contendo três carbonos na sua estrutura.

UEditar

VEditar

  • Via anabólica – via metabólica cujo balanço global energético é negativo (é consumida energia) para a síntese de moléculas necessárias à célula.
  • Via anfibólica – via metabólica que, em determinadas condições, serve para produzir energia e noutras condições para a síntese de metabolitos.

XEditar

ZEditar