Charuto/História: diferenças entre revisões

243 bytes adicionados ,  14h11min de 12 de outubro de 2008
sem resumo de edição
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
 
O tabaco continuou a sofrer muitas perseguições por parte dos governos de países como Pérsia, Rússia, Japão e Turquia. Porém, com a publicação de um estudo científico do alemão Johan Neander sobre os efeitos terapêuticos do tabaco, a situação se reverteu, e o tabaco passou a ser encarado como um remédio para diversos males. A rainha francesa Catarina de Médici, por exemplo, passou a usar o tabaco aspirado sob a forma de pó para curar sua enxaqueca, sob orientação médica. Vale lembrar que o tabaco foi apresentado a ela por Jean Nicot, o embaixador francês em Portugal. Do sobrenome Nicot surgiu denominação científica da planta, ''Nicotiana''.
 
Mais recentemente, no entanto, diversos estudos científicos começaram a apontar uma relação positiva entre tabaco e diversas doenças, como câncer. Como resultado, diversos países aprovaram leis restringindo o fumo em locais públicos.
 
Hoje em dia, existem grandes países produtores de fumo para charuto fora do continente americano, como Camarões e Indonésia. Porém os melhores charutos ainda são produzidos a partir de plantas cultivadas na América Central, em países como República Dominicana, Nicarágua e especialmente Cuba, na região de Pinar del Río.
Utilizador anónimo