Linux Essencial/História do Linux: diferenças entre revisões

[edição verificada][edição verificada]
* Projeto GNU: o projeto GNU, criado por Richard Stallman em 1984, surgiu com o intuito de apoiar a liberdade de software (veja seção mais adiante sobre Software Livre). Na época do surgimento do Linux, Stallman apoiava e pretendia adotar o kernel Hurd, porém este não estava utilizável, com isso, o Linux acabou sendo o kernel (componente central do sistema operacional ligando aplicativos e o processamento real de dados feito pelo hardware) preferido para rodar as centenas de programas livres disponibilizados pelo projeto, porém o Hurd continua sendo o kernel oficial do sistema operacional GNU.
* Distribuições Linux: no sentido de tornar o Linux o mais utilizável possível, surgiram instituições comerciais e não-comerciais que se dedicaram a criar uma combinação ideal de aplicativos (livres ou não) que rodassem no kernel Linux. As instituições com objetivos comerciais mantiveram o licenciamento livre, através de serviços agregados, tais como: suporte, treinamento e desenvolvimento customizado. Veja seção mais adiante sobre distribuições Linux.
 
=== Software Livre ===
Conforme citado, uma das principais razões do sucesso do Linux foi a sua adoção como kernel preferido para rodar os aplicativos do projeto GNU pré-existentes na época. Conforme é apresentado nesta seção, o projeto GNU teve como objetivo inicial juntar softwares livres no intuito de formar um sistema todo completo. Dessa forma, a fim de reconhecer o mérito desses dois grandes projetos, a partir desse ponto trataremos o S.O. como “GNU/Linux” e não simplesmente “Linux”.
 
=== Projeto GNU ===
[IMAGEM]
 
Desde 1971, quando trabalhava nos laboratórios de inteligência artificial do MIT, Richard Stallman fez parte de uma comunidade de programadores que distribuíam livremente seus códigos-fonte de programas.
 
[IMAGEM]
 
O ambiente colaborativo que existia desde essa época entre diversos programadores, foi ideal para que Stallman idealizasse um movimento que apoiasse a liberdade de uso de software. Assim, Stallman resolveu lançar as '''bases filosóficas do software livre''' , que fornecia liberdade para os usuários executarem, copiarem, distribuírem, estudarem, modificarem e aperfeiçoarem o software. Veremos mais sobre isso, logo adiante, onde serão apresentadas as 4 liberdades fundamentais do software livre.
 
Além da manutenção da base ideológica do software livre, Stallman também se empenhou em colocar a idéia em prática. Ele tinha como projeto, criar um sistema operacional todo composto por código-fonte livre, visando abandonar todo software proprietário. Surgiu assim, o projeto GNU, ou o início do movimento de software livre.
 
Stallman decidiu também que o S.O. seria compatível com Unix, de forma que fosse fácil de portar aplicativos e obter adeptos. Ele próprio desenvolveu dois grandes componentes que auxiliaram no projeto GNU: O emacs, um ambiente de desenvolvimento usado por Stallman para o desenvolvimento dos outros componentes de software; e o gcc, que é atualmente o compilador C mais popular.
 
Visando preservar legalmente o status de liberdade de software, Stallman, assistido por vários advogados, criou uma licença de uso de software denominada GNU GPL - (Licença Pública Geral GNU), ou simplesmente GPL. Assim, desenvolvedores que resolveram liberar seus códigos-fonte, puderam utilizar a licença GPL. O kernel Linux, por exemplo, foi um dos que se licenciou sob a GPL. Veremos sobre esse assunto mais adiante.
 
No sentido de promover o software livre de forma mais eficiente, Stallman criou a Fundação do Software Livre (veja link [14], FSF) em 1985. A partir de então, várias pessoas (usuários e desenvolvedores) e instituições (empresas e governo) puderam se beneficiarem e colaborarem com o projeto: doando recursos financeiros, utilizando software GNU, hospedando e divulgando o seu projeto de software GNU, mantendo-se informado da filosofia e aspectos legais, etc.
 
Há também outras iniciativas que promovem o uso do código aberto, com a ideia de um melhor ambiente de desenvolvimento. Elas surgiram depois da FSF, algumas com atuação mais local e outras de nível internacional. A OSI, Open Source Initiative - http://www.opensource.org - liderada por Eric Raymond, é um exemplo de instituição sem fins lucrativos que promove a abertura do código. Aqui no Brasil temos o Projeto Software Livre Brasil (http://www.softwarelivre.org) mantido pela Associação de Software Livre, que já realizou vários eventos internacionais anuais, divulgando internamente os projetos nacionais e internacionais de Software Livre.