Software livre/As Políticas Públicas para o uso e migração: diferenças entre revisões

 
 
 
O presente e o futuro na era pós-fordista trouxe para a nossa sociedade a Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC, que se apresenta como um dos meios para que a Mundialização e financeirização do Capital sejam viabilizadas.
 
Os computadores cada vez mais potentes, os softwares cada vez mais abrangentes e as redes de comunicações de dados, cada vez mais velozes, facilitam o controle, a regulação e a acumulação do Capital, pois as grandes empresas podem monitorarem suas filiais internacionais com menor custo, através de sistemas de dados e de telecomunicações, em tempo real (real time). O grande problema instalado com esse modo de produção é o monopólio dos softwares. Para os equipamentos e as telecomunicações foram adotadas acordos internacionais de arquitetura de construção de hardware e de protocolos para telecomunicações, de forma que existe compatibilidade entre produtos desses setores, devido a sua regulamentação.
 
Segundo o historiador econômico Landes – 2000, afirmou em entrevista:
 
''“.... estamos assistindo a uma mudança profunda. Os países que tiveram a oportunidade de não apenas usar, mas também de melhorar as novas tecnologias estarão em posição de vantagem na nova economia. Foi está capacidade que salvou os Estados Unidos depois de anos de estagnação. Os Estados Unidos apostaram na importância do que chamamos software. O hardware é muito importante. Mas creio que a longo prazo é o software que vai dominar. Qualquer um pode aprender como fazer um computador. Ou você pode importar uma fábrica de hardware – correndo o risco de que ela se mude para o vizinho se ele oferecer trabalho mais barato .... Por isso, é na área de software que os novos países devem fazer suas apostas atualmente.”''[[http://pt.wikibooks.org/wiki/Wikibooks:Cite_suas_fontes]]
 
Se analisarmos o que vem ocorrendo nas últimas duas décadas do século XX, e neste início do século XXI, vemos que a Microsoft têm dominado o mercado de software, fazendo com que o mundo se torne apenas um consumidor tecnológico, pagando royaltis pelo uso de seus softwares.
 
De encontro a este monopólio surge em .........., no Manshessusset Institut of Tecnology – MIT, uma nova possilidade o Sofware Livre (Free Software), que por conceito usaremos a definição da Free Software Fundation – FSF, ''“é um software de código aberto que se pode utilizar, copiar, modificar e redistribuir, de acordo com a licença definida pelo autor”''[[http://pt.wikibooks.org/wiki/Wikibooks:Cite_suas_fontes]], portanto'' “Software Livre é questão de licenciamento que visa preservar os direitos do autor e ainda assim trazer liberdade”''[[http://pt.wikibooks.org/wiki/Wikibooks:Cite_suas_fontes]], pois usa a General Public Licence – GPL.
 
Visando a autonômia tecnológica no setor de TIC, movimentos sociais surgiram no Brasil para promoverem a dissiminação e o uso do Software Livre. Devido a pressão destes movimentos
 
 
35

edições