Atma e o Ferromodelismo no Brasil/Introdução: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
(Ajustando os links para dentro do livro...)
Sem resumo de edição
O principal meio de transporte da época, o trem, havia fomentado o hobby do [[/Ferromodelismo/]] no mundo todo, impulsionado pelo fascínio desta era secular. E, até então, seus aficionados brasileiros dependiam totalmente de produtos importados.
 
O '''Trem Elétrico ATMA''' logo se notabilizou pela sofisticação mecânica, suas proporções fiéis à [[/escala HO/]] e seu controlador elétrico (110 ou 220V). Seus concorrentes locais ([[/Metalúrgica Matarazzo|Metalma]], [[/Estrela (empresa)|Estrela]], etc) no entanto, só fabricavam brinquedos inspirados em trens, sem compromisso com detalhes, proporções e escalas consagradas pelo hobby. Eram movidos a corda ou a pilha, alguns deles exigindo a manipulação direta de botões na locomotiva, para entrar em funcionamento. Ou seja, eram apenas [[/Brinquedo|brinquedos infantis]] e não réplicas em escala dos fascinantes trens.
 
Na verdade, o famoso nome ATMA (e seu memorável slogan "a ATMA é ótima!") foi incorporado somente no final da década de 50, já que o nome inicial do produto era '''Trem Elétrico MIRIM'''.