Diferenças entre edições de "Civilização Egípcia/Período dinástico antigo"

acrescimo nos faraós
(faraós da primeira (a terminar))
(acrescimo nos faraós)
Algumas dessas listas sobreviveram até nosso tempo e entre elas podemos citar a Pedra de Palermo, que está em Turim, e a Tábua de Karnak, encontrada no Museu do Louvre.
[[Image:DSC00083 - Pietra di Palermo (geroglifici)1.jpg|thumb|300px|center|pedra de Palermo]]
A lista abaixo está de acordo com a página do ''The British Museum''
 
*Narmer<br>
*Aha<br>
*Hórus Djer<br>
*MerNeith ? (não consta da lista do Museu Britânico)<br>
*Hórus Djet<br>
*Hórus Den<br>
*Hórus Anedjib<br>
*Hórus Semerkhet<br>
*Hórus Qa’a<br>
 
'''Narmer''' - alguns estudiosos acreditam que Narmer e Menes foram a mesma pessoa. Menes seria o nome grego para Narmer e quem teria dado este nome seria Maneton (que escreveu em grego uma história sobre a civilização egípcia e fez uma cronologia dos faraós).<br>
Pode ser que o nome '''Men''', que significa ''estabelecido'', seja a origem de Menes, porque o primeiro rei da Primeira Dinastia, Aha, deve ter sido filho de Menes com a rainha Nithotep e há um selo de marfim na tumba da rainha Nithotep, em Naqada, que mostra o nome Aha com o nome Men na frente dele.
 
'''Aha''' - talvez o filho de Narmer e da rainha Nithotep. É provável que seu túmulo esteja em Abydos.
 
'''Hórus Djer'''- seu nome significa ''Hórus que socorre''. Do seu reinado vêm as primeiras notícias que se tem, de expedições militares fora das terras do Egito, uma expedição à Ásia. Segundo o mesmo Maneton (já citado acima), Djer foi um grande médico. Maneton afirma que Djer escreveu tratados de anatomia e tratamento de doenças e que 3000 anos após sua morte esses tratados ainda eram usados. <br>
O túmulo de Djer está em Umm el-Quab, em Abydos.
 
'''MerNeith'''- embora não conste da lista do Museu Britânico, é curioso mencionar. Seu nome significa ''Amado de Neith'', é possível que tenha reinado após Djer, ou talvez após Djet, como regente por seu filho Den caso ela fosse esposa de Djet. Num selo pode ser vista a inscrição MerNeith como A Mãe do Rei. Não há palavra para significar rainha na língua usada pelos antigos egípcios.Pode se usar os títulos ''Ela que une as Duas Terras'' e ''Ela que vê Horus e Set''. <br>
Não é um fato bem explicado mas, num selo que pertenceu ao faraó Qaa, o nome de MerNeith foi omitido da lista de faraós (talvez porque fosse apenas a mãe do faraó). De qualquer forma ela deve ter sido importante porque foi sepultada em Abydos e sua tumba possuía 41 tumbas associadas para os servos.
 
'''Hórus Djet'''- Hórus Cobra, seu nome aparece numa estela, hoje no Museu do Louvre, que mostra uma serpente erguida no céu sobre muralhas fortificadas. <br>
[[Image:Egypte louvre 290.jpg|thumb|100px|left|Estela de Djet no Louvre]]
Não se sabe muito a seu respeito, apenas que fez uma expedição ao Mar Vermelho e talvez até mais longe. <br>
A tumba em Abydos que se acredita seja desse faraó ainda é motivo de controvérsia entre pesquisadores.
 
'''Hórus Den'''- seu nome significa o ''Hórus que golpeia'', também chamado Udimu. <br>
No seu reinado, pela primeira vez, o faraó é mostrado usando a Coroa Dupla, ou seja, a Coroa Vermelha e a Branca juntas. <br>
Assim como Djer, parece que Den também foi médico e um dos estudos que se acredita seja de sua autoria, versa sobre o tratamento de fraturas. <br>
Em seu túmulo foi usado granito no chão e blocos também de granito para apoiar o teto de madeira. O túmulo de seu chanceler, Hemaka, também foi encontrado e era muito rico.
 
'''Hórus Anedjib'''- Anedjib ou ''Seguro é seu coração'', deve ter enfrentado alguma convulsão entre norte e sul por causa da sucessão dinástica, porque de acordo com a lista de reis de Saqara, seu nome consta como o primeiro rei a unir o Egito. Anedjib adotou o título ''Os dois Senhores''. <br>
Sua tumba era modesta comparada às de Den e Djet. Havia sessenta e quatro sepulturas para os servos, mas seu nome foi raspado dos vasos de pedra, talvez por seu sucessor.
'''Hórus Semerkhet'''- o nome Semerkhet significa ''Amigo Considerado'' e segundo Maneton (que já foi citado acima), no reinado deste faraó ocorreu uma calamidade no Egito. Não se conhece muito a respeito de seu reinado e não deve ser levado em consideração o fato de vasos inscritos com o nome do faraó predecessor terem sido reinscritos com seu nome. Isso era muito comum e o que se pode afirmar é que em vasos encontrados na pirâmide de Djoser (terceira dinastia) constava o nome de Semerkhet, coisa que não ocorreu com Merneith ou com Hatshepsut. <br>
Seu túmulo está em Abydos.
[[Image:StelaOfQaa.JPG|thumb|100px|right|Estela de Qaa]]
'''Hórus Qaa'''- seu nome significa ''Seu braço está erguido'', e ele foi o último rei da primeira dinastia.<br>
As informações sobre seu reinado são poucas, ele é mencionado em inscrições em vasos e numa estela danificada onde aparece usando a Coroa Branca do Alto Egito e sendo abraçado pelo deus Horus.<br>
Provavelmente foi sepultado em Abydos, na tumba Q. Nesta mesma tumba foram encontrados selos e artefatos com o nome de Hetepsekhemwy, o primeiro faraó da segunda dinastia. Isso sugere que não houve um período vazio entre as duas dinastias.
 
 
 
 
2 904

edições