Experiência religiosa/Como se ter uma experiência religiosa?

Capítulo 6 - Como se ter uma experiência religiosa?Editar

Neste capítulo varias perguntas tentem ser respondidas, como:

Quais técnicas existem para ser ter uma experiência religiosa? Existem substancias ou equipamentos que causam experiências religiosas? Quais são as causas passivas que causam experiências religiosas?

Os processos e técnicas para conseguir uma experiência religiosa têm diferentes nomes dependendo da religião ou filosofia como:

  • Faqr (Sufismo)
  • Dhyana or bhakti (Hinduísmo)
  • Wu-wei (Taoísmo)
  • Fana (Sufismo/Árabe e Persa)
  • Makhafah/Mahabbah/Ma'rifah (Sufismo/Egito)
  • Nobre Caminho Óctuplo(Budismo)
  • O caminho


Pré-requisitos para se ter uma experiência religiosaEditar

Com o conhecimento atual não e possível saber exatamente como cérebro funciona durante uma experiência religiosa, e por este motivo, e quase impossível dizer com certeza quais são os pré-requisitos para uma pessoa poder ter uma experiência religiosa ou ter propensão.

Futuramente com o crescimento do conhecimento humano sobre o cérebro vai ser possível saber quais são todos os pré-requisitos para uma pessoa poder ter uma experiência religiosa, enquanto não sabemos quais são eles podemos formular algumas perguntas para serem respondidas futuramente, como:

  • É preciso ter inteligência acima da media?
  • É preciso ter perfeita saúde cerebral, sem nenhuma doença mental?
  • Existem diferenças na capacidade de se ter experiências religiosas entre mulheres e homens?
  • É preciso chegar a certa idade para se ter experiência religiosas ou pessoas de qualquer idade (como crianças) podem ter experiências religiosas?
 
Meditação

TécnicasEditar

MeditaçãoEditar

A meditação consiste na prática de focar a atenção, freqüentemente formalizada em uma rotina específica. A meditação pode ser utilizada para se ter experiências religiosas. [1]

ZazenEditar

Zazen é um tipo de meditação e também é a base da prática Zen Budista. O objetivo do zazen é "apenas sentar", com a mente aberta, sem apegar-se aos pensamentos que fluem livremente. Isto é feito tanto através do uso de koans, o principal método Rinzai, ou o sentar-se completamente alerta (o "apenas sentar", shikantaza), o qual é o método da escola Soto. [2] O princípio do zazen é o de que uma vez que a mente esteja livre de suas diversas camadas, pode-se realizar a natureza búdica, atingindo-se a iluminação (satori).

 
Teresa de Ávila

OraçãoEditar

Oração é prática religiosa comum a diversas tradições religiosas. É um ato de reconhecimento e louvor diante de um ser transcendente. A oração assim como a meditação pode ser utilizada para se ter experiências religiosas. [3]

Oração contemplativaEditar

No Cristianismo místico, a oração contemplativa é uma oração em que o praticante controla a respiração, ou repete cantos ou apenas se concentra para acalmar os pensamentos e sentimentos e entra em comunicação com uma entidade que muitos acreditam ser Deus.

Oração de JesusEditar

Oração de Jesus também chamada Oração do Coração, é uma oração curta cuja fórmula é orada de forma repetida. Ela foi amplamente praticada, ensinada e discutida através da história do Cristianismo Oriental. As palavras exatas da oração variam da forma mais simples, como Jesus tende piedade à forma mais estendida: Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tende piedade de mim, pecador.

A Oração de Jesus é, para os ortodoxos orientais e os católicos orientais, uma das orações mais profundas e místicas; é frequentemente repetida continuamente coma parte de uma prática ascética. Apesar de existirem muitos textos da Igreja Católica sobre a Oração de Jesus, sua prática nunca atingiu a mesma popularidade da Igreja Católica Ortodoxa.

Lectio divinaEditar

Lectio divina é um método de oração que pode levar à mais alta contemplação, muito praticado na Igreja desde os seus primórdios, particularmente nos mosteiros beneditinos.

Oração de quietudeEditar

Oração de quietude.[4]

Oração da uniãoEditar

Oração da união. [5]


Exercicios de RespiraçãoEditar

JejumEditar

MúsicaEditar

  • Música Sacra (Música Religiosa) [6]

DançaEditar

Dança SufistaEditar
 
Dança Sufista

A order sufista Mevlevi nas suas práticas dhikr atribuem grande importância à música e à dança. O exercício de meditação da ordem, denominado sama, envolve a recitação de orações e hinos, após os quais os participantes realizam voltas à sala, numa dança em que abrem os braços à altura dos ombros, com a palma da mão direita virada para cima e a da mão esquerda para baixo. Os membros desta ordem são mais conhecidos no Ocidente como os "dervixes rodopiantes". Sufistas procuram experiencias religiosas por meio trances misticos e estados alterados da mente induzidos por meio da desta dança. [7]

Danças da paz universalEditar

Dances of Universal Peace

ChacrasEditar

 
Mandala.
 
Sri Yantra

Chacras são, segundo a filosofia ioga, canais dentro do corpo humano (nadis) por onde circula a energia vital (prana) que nutre órgãos e sistemas. Existem várias rotas diferentes e independentes por onde circulam esta energia. Os chakras são os pontos onde essas rotas energéticas estão mais próximos da superfície do corpo.

Várias terapias, como o Reiki e a cromoterapia se utilizam dos chakras como base para o tratamento do corpo físico até o espiritual. Concentrar-se no que está fazendo, pensando na região do chakra já é uma forma de reativá-lo. Procure ficar em um lugar tranqüilo, para que nenhum barulho possa tirar sua concentração. " Coloque uma de suas mãos aberta em frente ao chakra, sem tocar no corpo, e faça movimentos circulares no sentido horário, como se estivesse massageando o local, mas à distância. " Sentar-se na posição de lótus - pernas cruzadas - tronco ereto - e fixar o olhar na ponta do nariz estimula o chakra frontal ou do terceiro olho.

KundaliníEditar

Kundaliní é o poder espiritual primordial ou energia cósmica que jaz adormecida no Múládhára Chakra, o centro de força situado próximo à base da coluna, e aos órgãos genitais. É a energia que transita entre os chakras.

Enquanto está adormecida, assemelha-se a uma chama congelada. O "despertar" da energia divina Shakti Kundalini requer a orientação de um mestre realizado, para que o ativamento e desenvolvimento sejam apropriados e conduzam à meta suprema do Yoga que é a paz interior e a realização divina.

Estímulo visualEditar

Símbolos religiososEditar
Geometria SagradaEditar
MandalasEditar

Mandala é a palavra sânscrita que significa círculo, uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualização de um tempo divino.

Em termos de artes plásticas, a mandala apresenta sempre grande profusão de cores e representa um objeto ou figura que ajuda na concentração para se atingir outros níveis de contemplação. Há toda uma simbologia envolvida e uma grande variedade de desenhos de acordo com a origem.

A mandala representa para o homem o seu abrigo interior onde se permite um reencontro com Deus.

Uso de EnteógenosEditar

Algumas substâncias psicoaticas, particularmente enteógenos , tem sido utilizado para propositos religiosos desde tempos pre-historicos.


DMTEditar

 
O chá de ayahuasca contém DMT, podem induzir a pessoa a ter experiências religiosas
 
Delosperma contém DMT [10]

DMT é a abreviação da substância N,N-dimetiltriptamina . DMT é encontrada in natura em vários gêneros de plantas (Acacia, Mimosa, Anadenanthera, Chrysanthemum, Psychotria, Desmanthus, Pilocarpus, Virola, Prestonia, Diplopterys, Arundo, Phalaris, dentre outros), em alguns animais (Bufo alvarius possui 5-Meo-DMT, um alcalóide bastante parecido em estrutura e em propriedades químicas) e também produzida pelo corpo humano.[11]

DMT é o princípio ativo da mistura do ayahuasca.

O uso da ayahuasca está associado a práticas religiosas e parece ser utilizada por tribos indígenas da Amazônia há séculos. As seitas religiosas e espiritualistas mais conhecidas no Brasil cujos rituais envolvem o consumo do ayahuasca são a União do Vegetal (CEBUDV), Santo Daime (com duas vertentes principais, o Cefluris e o Alto Santo), A Barquinha e Irmandade Natureza Divina, além de núcleos e igrejas dissidentes e outros grupos independentes.

 
Salvia Divinorum contém Salvinorin A

Salvinorin AEditar

Salvinorin A é a principal molécula psicotrópica na Salvia divinorum, uma planta Mexicana que tem um longo histórico de uso como enteógeno pelos indigenas Xamãs e Mazatecas.[12]

Os "curanderos" mexicanos a usam mascando suas folhas, uma pessoa necessita de cerca de 50 a 100 folhas para obter uma experiência religiosa. Tal método é menos eficiente do que fumar extratos da planta. Embora os efeitos sejam menos intensos, são mais prolongados, pois a absorção das Salvinorinas ocorre na realidade pelo tecido sublingual durante a mastigação e não pelo estômago. Por isso o uso tradicional em forma de maceração tem eficiência muito sutil, perceptível apenas aos mais experientes.


MescalineEditar

 
Echinopsis spachiana contém Mescaline

Nativos americanos tem usado mescalina, extraida do peyote para cerimonias religiosas a mais de 5700 anos[13] [14].

PsilocibinaEditar

Psilocibina está presente em cogumelos usados na medicina tradicional asteca-nahuatl da Meso-América. Os astecas o chamavam genericamente de teonanacatyl ou carne dos deuses, os mazatecos o denominam ntsi-si-tho onde ntsi é um diminutivo carinhoso e o restante da palavra poderia ser traduzido como "aquele que brota"[15].

A elevada freqüência de provas arqueológicas, na forma de estatuetas de cogumelos, encontrados na Guatemala evidenciam seu uso da cultura Maia.

MuscimolEditar

A substancia muscimol, encontrada no cogumelo Amanita muscaria foi utilizada em rituais por toda a Europa pre-historica[16][17].

BufoteninaEditar

A bufotenina (N-dimetil-5-hidroxitriptamina) é um alcaloide derivado da serotonina, por dimetilação do seu grupo amina.

Pode ser encontrado na pele de determinados sapos do gênero Bufo, como o Bufo marinus. Pode também ser encontrada em pelo menos duas espécies do género Anadenanthera, árvore que cresce no noroeste da Argentina, sul da Bolívia, Peru e provavelmente em outras regiões da América.

É um enteógeno, que atua por via inalatória ou digestiva, sobre os receptores específicos do córtex cerebral.

Estimulo do cérebro com campos magnéticosEditar

Durante a década de 1980s o Dr. Michael Persinger estimulou o lobo temporal de pacientes humanos com um campo magnético fraco usando um equipamento que ele chamava de capacete de Deus (God helmet)[18] [19]. Os pacientes relataram ter a sensação de "uma presença celestial no quarto". Esse trabalho ganhou atenção na época, mas não foi explicado o mecanismo que causava esses efeitos. Em 1987, Michael Persinger publicou um livro sobre o assunto intitulado "Neuropsychological Bases of God Beliefs".

Causas passivasEditar


ReferênciasEditar

  1. "'Divining the brain" Salon.com (URL accessed on September 20, 2006)
  2. Rinzai e Soto são as principais escolas de Zen no Japão; ambas tiveram origem na China como as escolas Linji e Caodong, respectivamente.
  3. "'Exploring the biology of religious experience" NRC online
  4. Oração de quietude
  5. Prayer of union
  6. "'The Emotional Effects of Music on Religious Experience: A Study of the Pentecostal-Charismatic Style of Music and Worship " Sage Journals
  7. "'ufis seek ultimate religious experience through mystic trances or altered states of consciousness, often induced through twirling dances " Sufism: New Age Spirituality Dictionary
  8. "'Self-inflicted Pain in Religious Experience " www.faithfaq.com (URL accessed on july 11, 2006)
  9. *Deida, David. Finding God Through Sex ISBN 1-59179-273-8
  10. Delosperma Erowid
  11. "'Psychedelics and Religious Experience " Alan Watts http://deoxy.org/ (URL accessed on july 11, 2006)
  12. "'Those who think of the salvia experience in religious, spiritual, or mystical terms may speak of such things as enlightenment, satori, and "cleansing the doors of perception." " sagewisdom.org (URL accessed on august 26, 2007)
  13. El-Seedi HR, De Smet PA, Beck O, Possnert G, Bruhn JG (2005). "Prehistoric peyote use: alkaloid analysis and radiocarbon dating of archaeological specimens of Lophophora from Texas". Journal of ethnopharmacology 101 (1-3): 238–42. doi:10.1016/j.jep.2005.04.022. PMID 15990261. 
  14. "'A Note on the Safety of Peyote when Used Religiously. " www.csp.org Council on Spiritual Practices (URL accessed on july 11, 2006)
  15. "'Drug's Mystical Properties Confirmed " www.washingtonpost.com (URL accessed on july 11, 2006)
  16. Vetulani J (2001). "Drug addiction. Part I. Psychoactive substances in the past and presence". Polish journal of pharmacology 53 (3): 201–14. PMID 11785921. 
  17. "'The Psychology of Religion: An Empirical Approach. " Conuncil on Spiritual Practices (URL accessed on july 11, 2006)
  18. God On The Brain
  19. God Helmet
  20. Katie, Byron. Loving What Is page xi ISBN 1-4000-4537-1
  21. "'God on the Brain " http://news.bbc.co.uk (URL accessed on March 20, 2003)
  22. "My Stroke of Insight" http://www.ted.com/index.php/talks/jill_bolte_taylor_s_powerful_stroke_of_insight.html (URL accessed on July 22008)
  23. Moody, Raymond. Life After Life ISBN 0-06-251739-2