Fotografia Panorâmica Imersiva 360x180°/Pós editando

InspeçãoEditar

O primeiro passo da pós edição é a inspeção detalhada da imagem. Há naturalmente inúmeras maneiras de fazer isso, mas em resumo todas elas deve procurar olhar a imagem de perto, pois num visualizador de panorâmicas, como os mostrados na seção anterior, não garantem que olhemos de perto nem que vasculhemos toda a imagem.

A seguir mostro meu fluxo de trabalho para a inspeção, inspirado no que o colega Fernando Henrique me passou um dia.

  • Crio as faces do cubo convertendo a projeção equirretangular para o formato cúbico
  • Para cada imagem, cada face do cubo:
    • Abro a imagem no GIMP
    • Coloco o zoom em 100% (atalho de teclado '1')
    • Seleciono a ferramenta de seleção livre (atalho de teclado 'f')
      • Se você selecionar a ferramenta com o mouse é necessário colocar o foco de volta na imagem:
      • Clique em qualquer ponto da imagem
      • Tecle ESC
    • Vou para o extremo esquerdo com Ctrl + seta para a esquerda
    • Vou para o extremo superior com Ctrl + seta para cima

Nesse ponto estou com o zoom em 100%, ou seja, cada pixel da imagem está em um pixel da tela, e estou no canto superior esquerdo da imagem.

O uso da ferramenta de seleção é apenas por que ela te deixa passear pela imagem usando o teclado.

    • Começo então a navegar pela imagem em passos com Shift + seta para a direita
    • Ao chegar no extremo direito da imagem clico Shift + seta para baixo
    • Em seguida vou voltando com Shift + seta para a esquerda

Dessa forma vou varrendo a imagem toda, garantidamente passando por toda ela e parando em cada passo em busca de erros de junção.

Ajustes de linhas desencontradasEditar

Tapando buracos com a ferramenta CloneEditar

Ajustes de coresEditar

Ajustando o nadir na equirretangularEditar

Esse é um ajuste que é possível dependendo do tipo de acerto necessário. Normalmente se adéqua bem quando o nadir é abstrato, ou seja, sem linhas geométricas. Tipicamente em gramados, asfalto, concreto, areia e outros tipos de solo esse ajuste se aplica bem. Já vimos que isso pode ser definido na escolha do local a partir de onde fotografar. Deixar um piso desse tipo no nadir pode ajudar e facilitar sua finalização e nesses casos poderemos fechar a visão pra baixo na pós edição ou de forma mais fácil no próprio Hugin, como veremos também na próxima sessão.

Para gerar a equirretangular deslocada, permitindo a edição do nadir:

  • Abra a janela de pré visualização rápida
  • Vá na aba Mover/Arrastar
  • No campo "Inclinação" coloque 90 e clique em "Aplicar"
  • Gere o panorama equirretangular como de costume

Isso te permitirá editar o nadir mais facilmente, até um certo ângulo de visão, antes de começar a distorcer muito. Repito que isso não funcionará bem no caso de linhas geométricas no nadir, pois pode ficar difícil acertar a curvatura delas para que voltem a ficar retas na visualização.

Em seguida é só fazer o processo inverso, trocando a "Inclinação" por -90, aplicando e gerando novamente a equirretangular, já com o nadir acertado.

Ajustando o nadir com uma cópia de imagemEditar

Nos mesmos casos de nadir abstrato é possível já corrigí-lo no Hugin, usando uma cópia deslocada de uma das imagens. Claro que isso vai depender da cena, mas depois que você entender, espero que consiga identificar se isso é possível. Um buraco no zênite em casos de fotografia externa com céu em cima também é viável da mesma forma.

  • Carregue mais uma vez uma das fotos já usada e que tenha chão ali perto, bem como um pedaço suficiente de textura para tapar o buraco (ou o maior possível)
  • Crie uma máscara (ou máscaras) nessa foto pra deixar só a parte do chão aparecendo, esconda todo o resto da foto
  • Na pré-visualização rápida, vá na aba Mover/Arrastar
  • Escolha o modo de arrasto Normal, individual
  • Nos números das fotos selecione, marcando o quadradinho, apenas a foto que você mascarou
  • Arraste, num primeiro momento apenas na horizontal (não tem problema se escapar um pouco), a foto para o local onde a cópia dela se encontra
  • Num segundo arrasto, arraste ela para baixo até cobrir o buraco que ficou no nadir
  • Com a tecla Ctrl pressionada, passe o mouse pela imagem usada para tapar e veja se ela não invade áreas indesejadas
  • Se necessário ajuste sua posição e/ou suas máscaras para deixá-la apenas tapando o chão abstrato
  • Se necessário, no caso da "tampa" ficar pequena, repita o processo criando nova "tampa" complementar

Notas:

  • Não precisa ponto de controle nenhum, o objetivo é usar a parte da foto que tem a mesma textura pra cobrir o pedaço que falta.
  • O primeiro arrasto, botando a imagem no lugar da que a cópia original dela está formalmente, vai ajudar a deixar esse remendo com a luz incidindo pelo mesmo lado e com cores mais parecidas. Pode dar errado ainda, mas tentando é que será possível verificar.