Guia dos Trouxas para Harry Potter/Grandes Eventos/Duelo no Cemitério


Duelo no Cemitério
  • localização = Cemitério - Little Hangleton
  • época = No quarto livro da série
  • Personagens = Harry Potter, Lord Voldemort, Peter Pettigrew (Rabicho), Cedric Diggory, vários Comensais da Morte

Visão GeralEditar

SpoilerEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Tendo chegado a um cemitério através de uma Chave de Portal, Harry vê seu companheiro Cedric ser morto, e depois é forçado a assistir Lord Voldemort retornar à vida. Depois de conjurar seus Comensais da Morte e de descrever de que forma voltou, Voldemort libera Harry e eles duelam. Harry e Voldemort lançam feitiços no mesmo instante, e o resultado é uma redoma de luz que surge em volta dos dois, e várias vítimas de Voldemort aparecem como sombras ou fantasmas. Os fantasmas se reúnem em volta de Voldemort enquanto Harry quebra a ligação entre as varinhas, e Harry corre para o corpo de Cedric e o Troféu Tribruxo. O Troféu, novamente atuando como um Portal leva de Harry de volta a Hogwarts.


Detalhes do EventoEditar

Quando a Terceira Tarefa chega ao fim, Harry e Cedric concordam em tocar o Troféu Tribruxo no mesmo instante, assim fechando a Tarefa como empate entre os dois. O Troféu, no entanto, é uma Chave de Portal que transporta os dois para um cemitério. Quando uma misteriosa figura se aproxima dos garotos carregando alguma coisa, a cicatriz de Harry explode com uma dor tão forte que ele até larga sua varinha. A pessoa que se aproxima lança Avada Kedavra e mata Cedric e também amarra Harry a um túmulo próximo.

Deixando no chão próximo de Harry, o que estava carregando, a pessoa que Harry agora reconhece como Peter Pettigrew, se afasta da vista de Harry. A trouxa que Pettigrew colocou perto de Harry tem o tamanho e a forma de um bebê, mas estranhamente sua aparência é demoníaca. Pettigrew agora traz um grande caldeirão de pedra e cria fogo sob ele. A esse caldeirão ele adiciona ossos do túmulo sob os pés de Harry e sua própria mão, que ele corta, enquanto Harry olha. Ele também faz um corte no braço de Harry com uma faca, e coloca um bocado do sangue de Harry, que ele recolhe num vidrinho, dentro do caldeirão. Depois, então, ele coloca a trouxa demoníaca dentro do caldeirão, e Lord Voldemort, reanimado, emerge.

Ignorando o sofrimento de Pettigrew, Voldemort usa a Marca Negra para conjurar os Comensais da Morte. Alguns ele tortura por acreditarem que ele havia sumido para sempre, Pettigrew, por sua lealdade, ele presenteia como uma nova, magicamente forte mão de prata para substituir a que foi cortada.

Em resposta a uma pergunta de um Comensal da Morte falando com a voz de Lucius Malfoy, Voldemort explica onde ele esteve, como sobreviveu e como ele preparou tudo para a presença de Harry. Então ele manda Pettigrew libertar Harry e lhe entregar sua varinha de volta.

Voldemort pergunta a Harry se ele sabe como duelar. “Primeiro, nos cumprimentamos” e Voldemort obriga Harry a abaixar a cabeça. Voldemort então usa Crucio para mostrar a Harry como é feito. Harry, sabendo que a próxima maldição de Voldemort seria o Avada Kedavra, ele se abaixou por trás da lápide. Ali ele decidiu que seria melhor morrer lutando do que se escondendo, então fica de pé encarando Voldemort, tentando desarmá-lo no momento em que ele lança a Maldição Mortal.

No mesmo instante, as varinhas de Harry e de Voldemort se unem através de uma fita de luz dourada, e os dois combatentes são erguidos no ar e descem a alguma distância dos Comensais da Morte que zombavam, enquanto uma redoma de luz se forma em volta deles. A varinha de Harry está vibrando e aquecendo terrivelmente. Harry observa umas gotas de luz na fita que liga as duas varinhas, e algo lhe diz que elas não devem chegar até sua varinha. Se concentrando em empurrá-las para longe da ponta de sua varinha e na direção da varinha de Voldemort. Assim que a primeira gota de luz encosta na varinha de Voldemort, ela grita e a sombra de Cedric emerge.

Confusos, os Comensais da Morte se juntam do lado de fora da redoma, perguntando o que devem fazer; Voldemort, parecendo assustado, diz a eles que fiquem longe, enquanto a sombra de Cedric vagueia do lado de dentro da redoma. Harry ainda está concentrado no link entre as varinhas, forçando mais gotas de luz para a varinha de Voldemort. Cada gota resulta em outro grito, fortes vibrações, e o surgimento de outra sombra, Frank Bryce, um Trouxa idoso, Bertha Jorkins, Lily Potter e James Potter. As sombras falam com Harry, dizendo a ele que quando o link entre as varinhas se quebrar, eles vão permanecer por alguns segundos; eles vão se reunir em torno de Voldemort dando a Harry tempo para fugir. A sombra de Cedric pede que Harry leve seu corpo para seus pais. Ao sinal, Harry sacode a varinha para cima, quebrando o link, e a redoma dourada some. Harry vê as sombras se reunindo em torno de Voldemort, e corre, se abaixando entre os túmulos, até onde o corpo de Cedric está. Chegando lá, ele usa Accio para trazer o Troféu, que o leva, com o corpo de Cedric, de volta ao labirinto da Terceira Tarefa.

Na confusão que se seguiu ao retorno de Harry, o garoto é levado até o escritório do Professor Moody. Lá o professor faz perguntas sobre o que ocorreu enquanto ele estava longe da escola. Harry começa a estranhar as perguntas de Moody que parecem ter mais a ver com as interações de Voldemort com os Comensais da Morte, do que sobre a volta de Voldemort; e finalmente, Moody revela que ele é um Comensal da Morte e que planeja matar Harry para ganhar a maior glória aos olhos de Voldemort. Conforme Moody se prepara para atacar com a varinha, a porta é arrebentada e o Professor Dumbledore estupora Moody, depois entra no escritório junto com a Professor McGonagall e o Professor Snape. Moody, que, aparentemente esqueceu sua poção Polissuco, volta à sua forma real, Barty Crouch Jr. Snape traz o Veritaserum e Barty revela os detalhes da trama que fez com que Harry entrasse no Torneio Tribruxo e os planos que terminaram com a volta de Voldemort.

Dumbledore então leva Harry ao seu escritório, onde, com Sirius presente para ter apoio, e Fawkes com suas lágrimas curativas, Harry relata os eventos do duelo. Dumbledore parece satisfeito porque Voldemort usou o sangue de Harry para sua reanimação, mas não diz por quê. Depois de ouvir a história de Harry, Dumbledore leva Harry até a ala hospitalar e diz a Madam Pomfrey que ele precisa de um longo sono sem sonhos.


Consequências ImportantesEditar

Cedric Diggory morre. Isso certamente assombra Harry; podemos ver que Harry se sente responsável por ter trazido Cedric por um caminho perigoso. Voldemort volta ao mundo dos vivos. Ele se anuncia a todos os Comensais da Morte, e a Harry, que leva a notícia para Dumbledore. Nós já adivinhávamos, e isso é confirmado depois, que Dumbledore é a última pessoa que Voldemort gostaria que soubesse de seu retorno, e, graças a Harry ele fica sabendo horas depois, Voldemort gostaria de ter ficado completamente escondido durante, pelo menos, outro ano. Essa revelação vai apressar a agenda de Voldemort, e pode fazer com que ele cometa alguns erros em seu planejamento.

Sabemos, com certeza, onde fica a fidelidade de Lucius Malfoy. Também descobrimos a existência de Barty Crouch Jr. , e suas ações disfarçado durante todo o ano.

O inesperado efeito criado pelas varinhas de Harry e de Voldemort parece ter assustado Voldemort. Sua Maldição da Morte havia falhado apenas uma vez e o efeito não foi nada como o que ele viu nessa noite; e com seu medo da morte, suas vítimas voltando de sua própria varinha para assombrá-lo, deve ter sido absolutamente aterrorizante. Além disso, Harry parece conseguir forçar a varinha de Voldemort a fazer coisas contra a vontade do dono; isso pode significar que Harry é o bruxo mais forte?

Dumbledore parece satisfeito porque Voldemort usou o sangue de Harry para se recriar, embora não explique por que.

Cornelius Fudge se revela como um político, interessado apenas em manter o poder que tem, ao invés de lidar com a ameaça que se apresenta. Negando a evidência exposta por Dumbledore, Harry e Snape, Fudge claramente prepara o terreno para o Ministério oficial no próximo livro, que a autora disse ter sido modelado conscientemente, nas ações do governo da Grã Bretanha sob Neville Chamberlain.

Harry ganhou o Torneio Tribruxo e portanto recebe o dinheiro do prêmio. Isso é mais do que embaraçoso para ele, uma vez que ele esperava ganhar apenas a metade mas assim foi por causa da morte de Cedric. Ele tenta dar o prêmio para os pais de Cedric, mas eles recusam. Isso deixa Harry com uma quantidade de dinheiro que ele não quer e não pode usar.

No livro três, Dumbledore disse, “você acha que os mortos que nós amamos, nos deixam de verdade?” Harry viu as sombras de seus pais nesse episódio, o que, de alguma forma lhe dá a certeza de que seus pais não se foram, mas apenas mudaram de local.

AnáliseEditar

É uma característica do herói na ficção, como na série Harry Potter, que o herói e o vilão se enfrentem diversas vezes durante o decorrer da história, com, cada um exibindo mais poder em cada encontro até o encontro final. Na maioria das ficções heroicas, o herói é derrotado e precisa se recuperar de sua derrota inicial, desse modo criando poderes novos.

Na série Harry Potter, o vilão foi derrotado logo no início, e precisa se recuperar, enquanto o herói sem grandes poderes, precisa crescer e se fortalecer. Essa pequena diferença faz com que o amadurecimento de Harry e o aumento de seus poderes sejam orgânicos, uma consequência natural de seu crescimento físico, e assim evita a ocorrência da batalha inicial, onde o herói perde, mas de alguma forma sobrevive.

Um componente chave desse aumento de poder é a força do herói, e portanto o vilão deve ser testado. Durante a série ocorrerão encontros entre Harry e Voldemort, para mostrar que as habilidades deles vão aumentando, de maneira mais ou menos equivalente. Nessa altura, vemos que Harry é agora, com certeza, forte o bastante para enfrentar um Voldemort ressurgido.


PerguntasEditar

Visão CompletaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A morte de Cedric vai fazer os Thestrals da escola visíveis para Harry. Isso vai assustá-lo; eles não são as criaturas mais agradáveis de se ver, e Harry fica a imaginar se eles são criaturas do lado mal e se o poder dele ver os Thestrals, sendo que Ron e Hermione não veem, significa que ele está ficando louco. O fato de Luna reafirmar que ela também os vê, dificilmente acalma Harry, uma vez que Luna é muito excêntrica.

Como foi mencionado, o prêmio do Torneio deixou Harry com uma quantia em dinheiro que ele não quer. Harry vai dar o premio para Fred e George, como inicio para a montagem da loja que eles tanto querem. A loja de logros, e os itens mágicos que os gêmeos inventam para vender, terá um papel de média importância nos outros livros da série.

Dumbledore mais tarde, diz que, de fato, durante a batalha no cemitério, Harry foi o bruxo mais poderoso do que Voldemort, porque enquanto Voldemort viu a morte e sentiu medo, Harry viu a morte e estava pronto para ela. O fato de Harry estar preparado para morrer, se fosse o caso, deu a ele a força que Voldemort não conseguiu. Isso será inesperado para o leitor, que nesse ponto, ainda estará fixado em Dumbledore como sendo “o único a quem ele (Voldemort) sempre temeu” A revelação de que Harry é nessa altura, é o bruxo mais forte, será uma espécie de surpresa quando chegar o final do último livro.

O efeito da varinha de Harry sobre a de Voldemort vai resultar em Voldemort perdendo muito tempo tentando encontrar uma varinha que possa derrotar a de Harry. Ele irá, no último livro, caçar uma varinha possivelmente mítica, a chamada Varinha da Morte. Como parte desse processo, Voldemort irá sequestrar Ollivander, irá pegar emprestada a varinha de Lucius Malfoy que vai acabar destruída em suas mãos, e irá caçar o artesão de varinhas Gregorovitch, o bruxo do mal Grindelwald e terminar no túmulo de Dumbledore em busca da varinha.

Como resultado da varinha de Harry, aparentemente de forma independente destruir a varinha de Malfoy nas mãos de Voldemort, Harry também vai começar a achar que sua varinha tem algo de mágico, e vai ficar desesperado quando ela for destruída acidentalmente.

Vamos saber depois que a fé de Harry em sua própria varinha, e o medo que Voldemort tem dela, são justificados. Uma vez que Harry foi o bruxo mais forte no duelo deles, alguns poderes da varinha de Voldemort, e de fato, alguns poderes de Voldemort, se transferiram para Harry e sua varinha. No entanto, Dumbledore irá contar a Harry que esse poder só poderia ser usado contra Voldemort e a varinha que ele usava. A varinha de Harry não reconheceu apenas a varinha de Voldemort como parente sua, por causa de seus miolos iguais, mas reconheceu Voldemort como parente de Harry por causa de partilharem o sangue. Por causa disso, a varinha de Harry irá aparentemente, agir de forma independente em algumas circunstâncias para evitar que Voldemort ataque Harry outra vez.

Vimos isso no início do último livro. Aqui, sem que Harry quisesse, sua varinha agiu contra Voldemort e a varinha que ele estava usando, que era a de Lucius Malfoy. Também vimos que a força da varinha de Harry funciona apenas contra Voldemort, uma vez que, mais tarde no mesmo livro, ela é acidentalmente destruída por um feitiço lançado por Hermione.

Os leitores se reuniram por causa desse ponto, que a proteção que tinha na casa da Rua dos Alfeneiros era por causa da relação de sangue entre a sua mãe, que se sacrificou por ele, e a tia de Harry Petunia; isso não é apresentado como verdade até o final do quinto livro. Mais tarde vamos descobrir que pegando o sangue de Harry para se reanimar estendeu essa proteção, se tornando impossível para Harry morrer pelas mãos de Voldemort enquanto Voldemort vivesse.