Guia dos Trouxas para Harry Potter/Livros/As Relíquias da Morte/Capítulo 31


Capítulo 31
A Batalha de HogwartsEditar

spoilerEditar

Aviso: Seguem detalhes do enredo.

SinopseEditar

O teto encantado no Grande Salão está escuro com estrelas piscando; os alunos estão sentados embaixo, vestidos com suas roupas de dormir ou capas de viagem. Cada ser em Hogwarts, vivente ou não, está ouvindo a Professora McGonagall: os alunos serão evacuados antes que a batalha comece, os alunos mais velhos que desejarem ficar e lutar podem ficar. A Ordem e os professores concordaram num plano de batalha e começaram a se dividir em grupos. Conforme a tensão aumenta com a aproximação da batalha, Harry procura ansiosamente por Ron e Hermione que ainda estão sumidos.

A voz de Voldemort, estrondosa, parecendo vir de lugar nenhum, exige que, para salvar a escola, Harry Potter deve se entregar até a meia noite. Apontando para Harry, Pansy Parkinson aluna da Slytherin grita para alguém agarrar Harry. Os alunos da Gryffindor, Hufflepuff e Ravenclaw se erguem com as varinhas em punho apontando para a mesa da Slytherin. McGonagall então ordena que os alunos da Slytherin saiam, seguidos pelos de outras Casas, embora muitos dos alunos mais velhos das outras Casas fiquem para trás.

McGonagall lembra a Harry que ele deveria estar procurando uma determinada coisa. Atravessando a escadaria de mármore cheia de defensores, Harry some, descendo por um corredor. Ele está começando a entrar em pânico—ele não tem idéia de onde procurar o Horcrux.

Harry dispara pelos corredores. Olhando o Mapa do Maroto ele não consegue localizar Ron e Hermione. Ele lembra que Voldemort avisou aos Carrows que Harry ia tentar entrar na torre da Ravenclaw. Harry está convencido de que o Horcrux está ligado a essa Casa e deve ser o Diadema; ele fica imaginando como Voldemort encontrou um objeto perdido há séculos e então tem um clique. O Diadema não é visto há muito tempo, mas isso não inclui a vida dos fantasmas. Harry encontra Nick-Quase-Sem-Cabeça o fantasma da Gryffindor, que o envia até a Grey Lady. Ela admite ser a filha de Rowena Ravenclaw, Helena. Invejosa da fama de sua mãe, ela roubou o Diadema e fugiu para Albânia, escondendo a jóia numa floresta. O Barão que estava apaixonado por Helena a encontrou, mas ela o rejeitou. Se tornando violento, ele a apunhalou fatalmente, depois se matou por remorso. Harry percebe que foi o Barão Sangrento. Harry pergunta se ela contou essa história para mais alguéme ela admite que uma vez ela contou para um aluno charmoso. Então Harry compreende que Tom Riddle encontrou o Diadema e criou um Horcrux com ele. Ele o escondeu em Hogwarts num lugar que acreditava que ninguém mais sabia da existência.

Hagrid havia retornado de sua caverna com Grawp depois de ouvir a voz de Voldemort. Enquanto Harry e Hagrid correm pelos corredores, as primeiras vitimas já estão aparecendo. Uma gárgula de pedra arrebentada lembra a Harry da estátua da Ravenclaw na casa dos Lovegood. Outra imagem aparece em suas lembranças: o busto de um velho bruxo onde, uma vez, Harry colocou uma peruca esfarrapada e uma tiara amassada, dentro de uma sala secreta que poucos sabem da existência. De repente Harry percebe que sabe onde está o Diadema—ele é a mesma tiara amassada que ele usava para marcar onde estava escondido seu livro de Poções, na Sala Precisa.

Conforme corre, Harry passa por Aberforth que decidiu se juntar à batalha, e Harry implica com ele por sugerir que os alunos da Slytherin deveriam ter sido feitos reféns. Harry finalmente encontra Ron e Hermione, que, para sua alegria estão carregando as presas do Basilisco que recuperaram da Câmara Secreta e uma taça bem amassada. Ron lembrou as palavras que Harry disse em Parseltongue quando abriu o Medalhão Horcrux. Ron insiste em que Hermione destrua a taça Horcrux, Harry conta a eles sobre o Diadema. Harry, Ron e Hermione correm até a Sala Precisa. Ginny está lá dentro junto com Tonks e Augusta Longbottom que selou o túnel para entrar. Tonks e Mrs. Longbottom saem para se juntar à batalha. Harry pede a Ginny para sair e só voltar depois. Quando Ron diz que vai avisar aos elfos domésticos, Hermione se atira nos braços dele cheia de alegria e o beija.

Todos estão parados no corredor e Harry pensa “Preciso do lugar onde tudo está escondido”. Aparece uma entrada. Lá dentro o enorme salão labiríntico. Eles procuram pelo Diadema. Harry o vê mas Draco, Crabbe e Goyle chegam de repente e um duelo feroz começa em meio à confusão. Nisso Malfoy deixa sua varinha emprestada cair, Harry desarma Crabbe e Goyle dá ínicio a um fogo incontrolável. A Sala fica em chamas e Crabbe se perde em meio ao fogo, mas o Trio escapa são e salvo nas vassouras que Harry encontrou. Eles salvam Malfoy e Goyle e voam para fora da Sala. Harry vendo o Diadema caindo dentro do fogo ainda consegue pegá-lo com o cabo da vassoura e eles voam porta afora. Do lado de fora eles desabam no chão do corredor. O Diadema emite um grito abafado e cai da mão de Harry. Hermione diz que Crabbe deve ter conjurado o Fogomaldito, uma das poucas coisas que pode destruir um Horcrux. Gritos e barulhos enchem os corredores, os Comensais da Morte penetraram no castelo. Logo Percy e Fred aparecem duelando com dois Comensais, um deles é Pius Thicknesse. A parede explode de fora para dentro matando Fred.

AnáliseEditar

Se os leitores estavam com a esperança que alguns Slytherins além de Slughorn se juntariam contra Voldemort, estão agora desapontados. Embora alguns Slytherins, especialmente os nascidos Trouxas, pudessem se opor a Voldemort e aos seus Comensais da Morte, foi negada a eles a oportunidade quando a Casa Slytherin liderada por Pansy Parkinson ergueu as varinhas contra Harry. McGonagall decide mandar a Casa inteira embora, provavelmente para evitar violência e a possibilidade de um confronto letal com as outras Casas que iriam defender Harry. Se algum Slytherin tivesse dúvidas sobre sabedoria de ficar ao lado de Voldemort contra Harry teria sido engulfado pela multidão. Se escolhessem lutar contra Voldemort, teriam que fazê-lo do lado de fora da escola.

No auge da batalha, diversos personagens mostram muito sobre si mesmos. A maior parte de sua vida, Harry se sentiu isolado e sofreu a necessidade de “fazer tudo sozinho” sempre recusando a ajuda dos outros e, aceitando apenas quando pressionado ou quando se tornasse o último recurso. Harry não está apenas espantado pelo fato de seus velhos amigos e aliados retornando para Hogwarts, prontos para lutar contra Voldemort e seus Comensais da Morte, mas enquanto corre procurando Ron e Hermione pelos corredores, ele sente que precisa de ajuda e companheirismo. Harry fez um enorme progresso ao aprender em confiar e se apoiar nos outros.

Hermione fica mega feliz quando Ron decide avisar os elfos domésticos sobre o perigo iminente. Sua crescente maturidade o levou a se preocupar com o bem estar dos outros, não apenas com o seu próprio e o de sua família. Ele agora reconhece os esforços de Hermione a favor dos elfos e que essas criaturas merecem o mesmo respeito e consideração que os outros seres mágicos. Ron também demonstra sua inteligência natural quando, durante a intensa batalha ele recorda que as presas do Basilisco podem destruir os Horcruxes, coisa que Harry havia esquecido, embora tenham destruído o Diário de Riddle. Recordando as palavras em Parseltongue que Harry falou, Ron abre a Câmara e recupera as presas. Com tudo isso Hermione fica mais e mais apaixonada. Pelo fato de Hermione ser um membro igual do Trio, essa foi a vez dela destruir um Horcrux, a taça.

Infelizmente a família Wesley enfrenta uma tragédia, que é a morte de Fred. Isso causa uma intensa dor e tristeza em todos que o amavam. Destruídos pelo pesar, todos precisam focar na batalha e suprimir a angústia, eles precisam derrotar Voldemort. Percy se sente destruído mas pelo menos conseguiu fazer as pazes com o irmão antes que ele morresse e agora está tomado pela raiva do inimigo e quer vingar seu irmão.

O Draco sombrio visto na Mansão Malfoy, voltou a ser o familiar arrogante e valentão agora que está de volta a Hogwarts, mandando em seus fiéis capangas, Crabbe e Goyle. Longe da influência de sua família, Draco adota um comportamento muito diferente daquele que demonstra na presença de seus pais. Embora a máscara caia de vez em quando, quando Draco enfrenta a adversidade, assim como quando confrontou Dumbledore na Torre de Astronomia e quando foi forçado a torturar um Comensal da Morte. Por que ele ficou no castelo quando os outros Slytherins partiram para se juntar a Voldemort não se sabe, suas verdadeiras intenções não são claras, são desconhecidas. Já foi dito que Draco poderia estar planejando capturar Harry e levá-lo para Voldemort, embora ele tenha tido a oportunidade de fazer isso na Mansão Malfoy.

O próprio Draco não sabe bem quais são seus reais motivos, vacilando entre uma indiferença temerosa e a oportunidade de conseguir o perdão do Lorde das Trevas para sua família. Draco é um navio sem bússola e embora tivesse a oportunidade de aprender observando seu mentor Snape, manter uma posição neutra é sempre mais fácil para poder escolher o lado vencedor. Ainda assim, quando Draco percebeu que Harry estava atrás do Diadema, ele pode ter desejado prendê-lo na esperança de livrar os Malfoys da retaliação de Voldemort e assim redimir sua família, especialmente seu pai por não ter identificado Harry na Mansão Malfoy. O interessante é quando Draco e Harry se confrontam na Sala Precisa, Draco exige sua varinha de volta. No entanto, mesmo que Harry estivessem a fim de devolvê-la, o que ele não estava, ela provavelmente seria inútil para Draco. Quando Harry capturou a varinha na Mansão Malfoy, ela certamente transferiu sua lealdade de Draco para Harry, seu novo mestre. Além disso, Harry descobriu que a varinha de Draco estava funcionando excepcionalmente bem para ele.


PerguntasEditar

RevisãoEditar

  1. Por que Ron quer que Hermione seja quem vai destruir a taça Horcrux?
  2. Alguma vez o Trio pensou em usar as presas do Basilisco para destruir os outros Horcruxes? Por que ou por que não?
  3. Por que Hermione ficou encantada quando Ron falou em avisar os elfos domésticos? O que isso diz do caráter de Ron?
  4. Por que Harry não consegue localizar Ron e Hermione no Mapa do Maroto?

Estudos AdicionaisEditar

  1. Harry salva a vida de Malfoy e a seu pedido Ron e Hermione salvam Goyle. Malfoy e Goyle agora devem a Harry uma “dívida de vida” assim como Peter Pettigrew ficou? Goyle tem essa mesma dívida com Ron e Hermione? Explique.
  2. Na Mansão Malfoy, Draco não quis identificar Harry para os Comensais da Morte. Por que agora ele quer capturá-lo para Voldemort?
  3. Como comparar o comportamento atual de Malfoy à maneira como ele se comportou enquanto estavam na Mansão Malfoy? Como comparar com seus primeiros anos em Hogwarts? O que poderia ter feito essa diferença?
  4. A Sala Precisa vai continuar funcionando? Explique por que sim ou por que não.

Visão CompletaEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Ron pedindo para Hermione destruir a taça Horcrux mostra como os laços entre os três se fortaleceram desde que Harry destruiu o Diário Horcrux, e Ron acabou com o Medalhão Horcrux – então, por que não Hermione eliminar o terceiro Horcrux? Harry também colocou sua completa confiança em Neville para destruir o Horcrux final no caso de nenhum componente do Trio estar indisponível. Isso mostra como Harry, que inicialmente acreditava que deveria tomar essa missão sozinho, depende de seus amigos muito mais do que um dia imaginou. Vamos recordar novamente quando, pensamos que Harry havia sido escolhido por Dumbledore para destruir os Horcruxes de Voldemort, no final cada Horcrux foi eventualmente destruído por uma pessoa diferente. E, embora Harry tenha querido procurar pelos Horcruxes sozinho, Dumbledore sempre soube e pretendeu que Ron e Hermione pudessem acompanhá-lo e que outros aliados poderiam ajudá-lo também.

A atitude de Ron querendo avisar os elfos domésticos sobre o ataque é a causa de Hermione se jogar nos braços dele e beijá-lo, cheia de alegria porque ele finalmente os considera seres importantes, até então, como sempre essas criaturas não foram avisadas mas, eles têm um papel importante na batalha final contra Voldemort.

Também Draco escolher ficar em Hogwarts ao invés de sair junto com os outros Slytherins vai ser um fator importante na história. Primeiro foi seu amigo Crabbe quem acidentalmente destruiu o Diadema Horcrux na Sala Precisa. Depois quando Harry revive depois de ser atacado pela Maldição da Morte de Voldemort, que não funcionou. É Narcissa Malfoy, mãe de Draco que é chamada para verificar se Harry está mesmo morto. Como Draco ainda está dentro do castelo, Narcissa sabe que Harry é o único que pode matar Voldemort, assim eliminando qualquer perigo futuro para si e sua família.

Entregando a varinha de Draco para ele, não deixaria Harry menos forte, a última chance de Harry derrotar Voldemort depende dele manter a mesma varinha que desarmou Dumbledore e portanto a varinha que identifica o bruxo a Elder Wand agora lhe deve lealdade&mdashassim Harry espera. Na Casa das Conchas, Ollivander revelou que estava trabalhando em áreas da magia que até aqueles experts em artesanato de varinhas não conseguiam entender por completo. Harry ainda tem dúvidas de quem a Elder Wand determinou como seu mestre. Deveria ser Draco, mas Harry capturou a varinha de Draco, a Elder Wand deveria ser de Harry. Só depois do encontro com Voldemort (cap 34) é que ele fica convencido de que a Elder Wand é totalmente leal a ele, Harry.