Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Dobby


Dobby
  • sexo = Masculino
  • cabelos = não tem
  • olhos = verdes
  • família = desconhecido
  • lealdade = Seu dono (após os avisos de spoiler)

Visão GeralEditar

Dobby, um elfo doméstico é essencialmente uma propriedade, pertencendo à “sua família”, e não pode agir contra as instruções ou interesses de seu dono. Aparentemente, de acordo com a autora, seu aniversário é no dia 28 de junho.


Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Câmara SecretaEditar

Dobby chega à casa dos Dursleys, para avisar Harry que ele não deve retornar a Hogwarts para o seu segundo ano, dizendo que será perigoso demais para ele. Dobby admite que estava tentando impedir a correspondência de Harry; ele imaginou que, se Harry não recebesse cartas de seus amigos, ele iria pensar que os amigos eram falsos e não iria querer retornar para eles.

Dobby, então, trancou a barreira da Plaforma 9 e 3/4 na esperança de que se Harry não conseguisse entrar no Expresso de Hogwarts, ele não chegaria à escola. Harry e Ron resolvem o problema, usando o carro voador do pai de Ron.

Dobby enfeitiçou um dos balaços para atacar Harry repetidamente no jogo de Quadribol contra a Slytherin; visitando Harry na ala hospitalar, nessa noite, ele admitiu que, esperava que pudesse machucar Harry o bastante, para que ele voltasse para casa. Foi durante essa visita que ele explicou como um elfo doméstico poderia ser libertado, e admitiu que a Câmara Secreta já tinha sido aberta antes.

No final desse livro, Lucius Malfoy leva Dobby com ele até a escola, o que confirma que ele é o elfo doméstico da família Malfoy, como Harry já desconfiava. Dobby dá a dica a Harry, de onde o diário de Riddle saiu; Harry confronta Lucius com isso na frente do Professor Dumbledore. Harry então, perturba Lucius Malfoy até que ele sem querer, liberte Dobby do serviço dos Malfoys, dando a Dobby um artigo de vestuário, a confusão salva Harry da ira de Lucius por ter libertado seu servo.

O Cálice de FogoEditar

Dobby passa pelo menos um ano, procurando uma família que pudesse pagar a ele para ser seu elfo doméstico, afinal isso jamais aconteceu no mundo mágico. Eventualmente, o Professor Dumbledore concorda em pagar a Dobby um Galeão por semana para trabalhar em Hogwarts – ele ofereceu mais, mas Dobby discutiu o valor para que o Diretor pagasse menos. Quando vemos Dobby nas cozinhas de Hogwarts, ele tinha acabado de entrar para trabalhar na escola, junto com Winky.

No Natal, Dobby acorda Harry subindo em cima dele na cama; Dobby dá a Harry um par de meias; elas foram tricotadas pelo próprio Dobby. Em troca, Harry dá a Dobby um par de meias – aquelas que estavam embrulhando o Bisbilhoscópio durante anos. Ron também dá a Dobby um par de meias e um suéter. Dobby fica totalmente emocionado com isso tudo.

Por acaso, Dobby escuta a Professora McGonagall e o Professor Moody discutindo a Segunda Tarefa do Torneio Tribruxo, e descobre que Harry vai precisar de um pouco de Guelricho, para salvar “seu amigo enferrujado” (Ron Weasley); assim, ele rouba um pouco do armário do escritório do Professor Snape, e dá para Harry, acordando o garoto que tinha caído no sono na biblioteca poucos minutos antes da tarefa começar.

Harry mais tarde, visita as cozinhas de Hogwarts com Ron e Hermione, para agradecer a Dobby com meias de presente (o presente favorito de Dobby), pela ajuda na Segunda Tarefa. Ron aproveita a oportunidade para pegar mais um pouco de comida para Sirius Black, que está morando numa caverna próxima a Hogsmeade.

Mais tarde vamos descobrir, que o Professor Moody tinha deixado escapar propositalmente a informação sobre o Guelricho, quando Dobby estava próximo, justamente para Dobby tentar ajudar.

A Ordem da FênixEditar

Quando a Professora Grubbly-Plank curou Hedwig, Dobby a trouxe de volta para Harry. Claro que Harry ficou muito feliz de tê-la de volta e conversa com Dobby a respeito de como ele e Winky estão indo nas cozinhas. Nessa altura, Harry está tentando encontrar um local para fazer as reuniões da Armada de Dumbledore, um local onde possam praticar, e ele pergunta a Dobby se sabe de algum local. Surpreendentemente, Dobby sabe, e fala para Harry sobre a Sala Precisa. Ele já usou a Sala diversas vezes quando precisava de um local para esconder Winky até ela ficar sóbria. Ele se oferece para mostrar a Harry a Sala, mas Harry decide que está muito cansado, e já é tarde da noite; ao invés, ele pede para Dobby para ensinar como chegar lá.

Dobby dá um jeito de entrar na Sala, antes da última reunião da Armada de Dumbledore antes do Natal, e a decora com enfeites embaraçosos tipo - "Have a Very Harry Christmas". Harry consegue tirar tudo antes do resto da turma da Armada chegar.

Contra as ordens diretas da Professora Umbridge, Dobby corre até a Sala Precisa, para avisar aos membros da Armada que Umbridge está chegando. Porque ele violou as ordens, ele sente que tem que se punir; e faz isso batendo a cabeça na parede. Harry impede que ele se machuque. Mas, Harry consegue avisar a todos rápido, de modo que o único a ser pego foi ele mesmo.

O Enigma do PríncipeEditar

Em deteminado momento, Harry acha que é preciso seguir Draco Malfoy, para isso chama Monstro, que parece estar enrolado com Dobby – eles estavam brigando quando Harry chamou Monstro.

Quando Monstro chama Harry de “amigo nojento dos sangue-impuros” Dobby dá um soco na boca dele, e arranca seus dentes. Dobby também se oferece para seguir Malfoy. Logo depois, Monstro e Dobby entregam seu relatório para Harry. O relatório de Monstro só faz elogios a Malfoy e seu sangue puro, além de insultar Harry, mas Dobby reporta a Harry que Malfoy está passando muito tempo na Sala Precisa.

As Relíquias da MorteEditar

Quando estava preso nos porões da Mansão Malfoy, Harry vê um olho azul, no espelho mágico que ele carrega para todo lugar junto com ele, e pede que mande ajuda. Logo, logo Dobby aparata no porão onde estão presos Harry, Ron, Ollivander, Luna Lovegood e Dean Thomas. Dobby parece estar extremamente nervoso por estar na casa dos Malfoys, onde ele foi tratado com muita crueldade, antes de Harry conseguir a liberdade dele.

Harry pede que Dobby leve Luna, Dean e Ollivander até a Casa das Conchas. O barulho de Dobby desaparatando, atrai a atenção do pessoal que estava em cima; Rabicho é enviado para descer ao porão e investigar. Harry e Ron tentam derrotá-lo. Quando Harry lembra a Rabicho que ele tem uma dívida de vida com ele, Rabicho hesita; ao hesitar, a mão de prata que Voldemort havia lhe dado, sente sua dúvida e lê isso como deslealdade, ela sufoca Rabicho até a morte.


Harry e Ron subiram para tentar salvar Hermione e Grampo. Embora desarmada, Bellatrix Lestrange surge com uma faca de prata e ameaça Hermione; ela manda Draco pegar as varinhas que Harry e Ron estão segurando. Dobby reaparece e faz com que o candelabro caia sobre Bellatrix; pegando de volta as varinhas que estavam com Draco, Harry pega Grampo e Dobby e Ron pega Hermione e juntos eles aparatam na Casa das Conchas. Quando Harry está desaparatando, ele percebe que Bellatrix joga sua faca; chegando na Casa das Conchas, ele descobre que a faca acertou Dobby, o matando. Harry cava uma sepultura para Dobby, e o enterra, perto de uma árvore nos terrenos da Casa das Conchas.

Mais tarde, Aberforth Dumbledore pergunta por Dobby, dizendo que esperava que ele estivesse viajando com Harry; Harry conta que ele foi morto por Bellatrix, Aberforth fica muito triste; ele diz “eu gostava muito daquele elfo”.

Pontos FortesEditar

Dobby é muito leal às pessoas com quem se preocupa. Ele fazia o que os Malfoys mandavam porque não tinha escolha. Embora ele devesse lealdade à família Malfoy, bem que Dobby tenta proteger Harry, sem sucesso, no segundo livro. Mais tarde ele ajuda Harry na Segunda Tarefa no quarto livro, conta sobre a Sala Precisa para as reuniões da Armada de Dumbledore e segue Draco Malfoy. Ele também é leal a Dumbledore que dá emprego a ele, e ajuda sua amiga Winky quando está bêbada. Ele também trabalha duro. Dobby é uma criatura muito grata, em geral é um grande amigo para se ter.

Pontos FracosEditar

Como todos os elfos domésticos, certas sutilezas do comportamento humano estão além da sua compreensão; seu modo de falar, por exemplo, é um tanto imaturo, ele fala na terceira pessoa, aparentemente não consegue entender as diferenças entre “eu” e “você”. Ele é humilde demais, parecendo só existir para cumprir as ordens de um bruxo ou de outro. Ele parece, no entanto, ter sua própria vontade, podemos ver isso quando ele tenta avisar e manter Harry longe de Hogwarts, contra a vontade de seu dono. Mas, ele precisa fazer um esforço supremo para conseguir se expressar e, porque está indo contra a vontade de seu dono, ele precisa se punir. Ele ficou tão dominado por sua submissão, que ele vai se punir mesmo que não seja obrigado a fazê-lo, se, por acaso, ele fizer algo que acredita que seu dono não vai gostar.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Dobby, sendo emocionalmente muito simples, as vezes até mesmo infantil, cria amizades muito rápido, mesmo que seja em nível infantil. Inicialmente, é claro, ele tem que ser fiel à família Malfoy, mas mesmo com as obrigações que essa lealdade exige, ele tenta proteger Harry, que ele enxerga como um sábio, das tentativas de feri-lo. Dobby diz que isso se deve ao fato de Harry ter derrotado Lord Voldemort; os elfos domésticos eram terrivelmente maltratados nos tempos de Voldemort. “Claro que Dobby ainda é muito mal tratado...” ele diria; mas Harry é respeitado por tudo o que fez pela população de elfos domésticos em geral. Depois que Harry arranjou que ele se libertasse dos Malfoys, Dobby teve que correr atrás de outro mestre para servir, assim acabou por ficar em Hogwarts e servir a Dumbledore; embora sua lealdade seja para com a escola, ele claramente é leal e protege Harry, até mesmo dos insultos de Monstro. Além disso ele cuida de Winky, por quem ele, aparentemente, se sente responsável, inclusive arranjando emprego para ela em Hogwarts. Dobby também acaba gostando de Ron, quando recebe dele um dos suéteres de Natal, de presente.

AnáliseEditar

É possivel que Rowling tenha usado a amizade entre Harry e Dobby, para mandar uma mensagem para os leitores, ensinando que todos são iguais e usando a diferença entre as espécies, para falar de racismo. Nós ouvimos repetidamente, seja por um bruxo ou por outro, que os elfos domésticos são felizes com seus iguais, e que eles existem para servir, e que dar liberdade a eles seria uma injustiça; mas Dobby, perfeitamente feliz por ser um elfo livre, mostra que essa generalização é apenas simplista. No entanto, mostrando como progride a relação de Harry e Dobby, e a natureza essencialmente infantil de Dobby, podemos ver como os bruxos em geral podem perpetuar essa discriminação.

Da mesma forma, podemos notar que o prazer de Dobby por ter sido libertado, se deve ao fato de que ele era maltratado por seus donos, a família Malfoy. O tratamento a que Dobby era submetido nas mãos dos Malfoys mostra o contraste com o tratamento dos elfos domésticos em Hogwarts; mesmo sendo também servis, os elfos domésticos de Hogwarts são tratados como indivíduos de valor, e não são abusados e nem menosprezados.

Também é importante mencionar que a aparente alegria de Dobby com sua liberdade, é um dos principais motivos que faz com que Hermione tente lutar pela libertação dos elfos domésticos. Nenhum dos outros elfos de Hogwarts parece querer liberdade, ao ponto de se recusarem a limpar a Torre da Gryffindor, por causa dos gorros que Hermione tricota e deixa lá para eles. Dobby, como um elfo livre e que já tem roupas, acaba limpando o dormitório da Gryffindor sozinho. Provavelmente isso se deve à diferença de tratamento, é isso que define quando a liberdade é boa ou não, e é apenas o tratamento ruim que faz com que um elfo arrisque a incerteza da liberdade.

PerguntasEditar

  1. Porque Dobby morreu, se ele tinha poderes para mantê-lo vivo?
  2. Como Dobby conseguiu levar Harry até a Casa das Conchas, com uma faca cravada em seu coração?

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar