Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Harry Potter


Harry James Potter
  • sexo = Masculino
  • cabelos = negros
  • olhos = verdes
  • família = James Potter (pai)
    Lily Evans Potter (mãe)
    Sirius Black (padrinho)
    Petunia Dursley (tia)
    Dudley Dursley (primo)
    Vernon Dursley (tio)
  • lealdade = Ron Weasley
    Hermione Granger
    Albus Dumbledore
    Rubeus Hagrid


Visão GeralEditar

Harry James Potter é o personagem principal da série de livros de J.K. Rowling. Ambos, Harry e seus pais eram bruxos. Seu pai, James, era o único filho de uma família de bruxos puro sangue, enquanto que sua mãe, Lily era nascida Trouxa, ou seja, seus pais não eram bruxos. Isso faz com que Harry seja um bruxo mestiço.

Quando Harry tinha um ano e três meses, o maligno Lord Voldemort matou seus pais. Quando Voldemort lançou uma maldição mortal sobre o bebê Harry, ela ricocheteou arrancando a alma de Voldemort de seu corpo e deixando o bebê incólume a não ser por uma cicatriz em forma de raio em sua testa.

Harry passou os dez anos seguintes, vivendo com seus parentes negligentes, os Dursleys. No seu aniversário de 11 anos, Rubeus Hagrid o guarda caças da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, levou para ele uma carta convite para ir à escola.

Agora Harry passa a maior parte do ano em Hogwarts, com seus dois melhores amigos Ron Weasley e Hermione Granger. A cada verão ele tem que retornar à casa dos Dursleys, uma obrigação que vai durar até que ele complete 17 anos de idade.

O aniversário de Harry, de acordo com a autora é dia 31 de julho (nascido no ano de 1980). Isso o torna quase um ano mais novo do que Hermione e cinco meses mais novo do que Ron.

A varinha de Harry é de azevinho com uma pena de fênix no miolo. Azevinho é conhecido por repelir o mal e representa proteção, alegria, felicidade, masculinidade e que supera a raiva. A palavra holly (azevinho) é derivada de “holy” (santo). Uma fênix é o pássaro mítico que morre continuamente se consumindo em chamas e depois renasce de suas próprias cinzas, um ato que simboliza ressurreição e pureza. A varinha de Harry é considerada “irmã” da de Voldemort. Embora sejam feitas de madeiras diferentes, a pena que existe em cada uma foi doada por Fawkes, o pet de Albus Dumbledore. Azevinho também faz parte do Calendário Celta de Árvores. O aniversário de Harry cai no intervalo de 8 de julho até 4 de agosto, período representado por essa árvore.

EtimologiaEditar

A etimologia do nome do personagem é:

  • Harry: um diminutivo tanto de Henry e Harold, significando “aquele que tem poder, um líder ou governante.”
  • Potter: um nome de comércio ou profissão, “aquele que faz vasos de barro.

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.


Nota: Harry Potter é o personagem principal da série, e portanto toma parte em todos os eventos. Repetir seu papel nos livros, aqui, seria repetir o resumo dos livros. Para saber todo o papel de Harry na série, é melhor começar pelo sumário do primeiro livro capitulo 1, e depois prosseguir por cada livro resumido aqui nesse guia. As seções abaixo mostram uma breve visão de seu papel.

A Pedra FilosofalEditar

Os pais de Harry Potter acabavam de ser assassinados e, o órfão de apenas um ano foi deixado por conta de sua tia e seu tio, Petúnia e Vernon Dursley, por três bruxos Albus Dumbledore, Minerva McGonagall e Rubeus Hagrid. Todos os três fazem magia, Dumbledore em silêncio extingue as luzes da rua, McGonagall se transforma de gato em humana e o meio gigante Hagrid chega com o bebê Harry numa motocicleta voadora.

Dez anos mais tarde, novamente encontramos Harry e seu primo Dudley no 11º aniversário. A maneira de tratarem Harry foi sempre abusiva. Ele dorme num armário sob as escadas, enquanto Dudley tem dois quartos. Coisas estranhas parecem acontecer à volta de Harry, pelas quais ele sempre é punido, mesmo que não possa controlá-las.

Harry embora cruelmente oprimido, se adapta bastante bem às circunstâncias. Quando uma coruja deixa uma carta para Harry, tio Vernon o proíbe de abri-la. Logo centenas de cartas começam a chegar, deixando todos da casa em pânico. Hagrid aparece no 11º aniversário de Harry para entregar pessoalmente a carta convite, em que ele aceita freqüentar a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts – Harry é um bruxo.

Hagrid leva Harry ao Beco Diagonal, o centro comercial dos bruxos, escondido dentro do centro de Londres. Hagrid compra para Harry, de presente de aniversário, uma coruja das neves que o garoto chama Hedwig. Ela se torna a companheira constante durante a série.

Harry também aprende que é famoso. O bruxo diabólico, Lord Voldemort matou os pais de Harry, embora ele supostamente tenha morrido, quando a maldição letal atingiu o bebê Harry e ricocheteou, deixando uma cicatriz em forma de raio na testa de Harry. Desde então, Harry é a única pessoa que se sabe, sobreviveu a essa maldição, por isso ele foi sempre conhecido como “O garoto Que Viveu.”

Na Estação de King´s Cross, Harry é largado para encontrar seu próprio caminho até a Plataforma 9 e Três Quartos, e para o Expresso de Hogwarts, o trem que transporta os alunos para a Escola. Lá Harry encontra os Weasleys, uma família bruxa, que mostra a ele o segredo de alcançar a Plataforma.

Ron Weasley, também com 11 anos se torna o primeiro verdadeiro amigo de Harry. No trem, Hermione Grange uma garota espera e mandona, se apresenta. Harry e Ron, a principio não gostam dela, mas depois se tornam amigos inseparáveis.

O primeiro ano de Harry em Hogwarts é cheio de novidades. O Chapéu Seletor quer colocá-lo na Casa Slytherin, mas Harry não aceita. Como resultado então, o Chapéu o coloca na Gryffindor, a mesma Casa para onde Ron e Hermione foram escolhidos.

Como para Harry voar era algo natural, ele foi recrutado para o time de Quadribol da Casa, o mais jovem Apanhador em mais de um século. Em Hogwarts Harry é guiado com carinho pelo Professor Dumbledore, o Diretor de Hogwarts, e pela séria mas gentil Professora McGonagall, que dá aulas de Transfiguração e é Chefe da Casa Gryffindor, e também pelo gentil meio gigante Hagrid.

É claro que nem todo mundo gosta de Harry, por exemplo, o Mestre de Poções, Severus Snape instantaneamente desgosta dele, e Harry se torna inimigo de Draco Malfoy, um aluno do primeiro ano da Slytherin, após Draco humilhar os nascidos Trouxas como Hermione e insultar os Weasleys. Os Malfoys os consideram inferiores, mesmo sendo uma família de sangue puro.

Enquanto o primeiro livro basicamente introduz o mundo mágico e seus personagens, uma questão importante logo aparece. Harry suspeita que o Professor Snape está procurando a Pedra Filosofal, um objeto mágico e poderoso que está sendo guardado em Hogwarts. Usando a Pedra e a Magia Negra, Lord Voldemort poderia provavelmente restaurar seu corpo. Embora Harry acredite que o Professor Snape é cúmplice de Voldemort, na realidade, é o Professor Quirrell. Com a ajuda de Ron e Hermione, Harry desvenda o plano de Quirrell que era roubar a Pedra para Voldemort.

A Câmara SecretaEditar

Ron, Hermione e Hagrid prometeram escrever para Harry, mas quando nenhuma carta chegou até o meio do verão, as esperanças de Harry em seus amigos começaram a se esvanecer. Uma noite Harry fica espantado ao encontrar um Elfo Doméstico chamado Dobby em seu quarto. Dobby avisa que não é seguro para Harry retornar à Hogwarts, e admite que interceptou as cartas de Harry para fazê-lo crer que seus amigos não se preocupavam mais com ele. Depois que Dobby cria uma perturbação, tio Vernon tranca Harry em seu quarto e coloca grades na janela. Ron, Fred e George chegam no Ford Anglia voador e o resgatam. Harry então, cheio de felicidade passa o resto do verão na Toca, a casa dos Weasleys. Quando vai ao Beco Diagonal com os Weasleys e Hermione, Harry vê Draco Malfoy e seu pai na loja de magia negra, agindo de modo suspeito.

Na Festa de Boas Vindas a Hogwarts, Dumbledore apresenta Gilderoy Lockhart como o novo professor de DCAT. Estranhos acontecimentos começam a acontecer, e Harry começa a ouvir uma voz estranha e incorpórea. Uma mensagem misteriosa dizendo, “A Câmara Secreta foi aberta. Inimigos do Herdeiro, Cuidado,” apareceu escrita na parede, e a gata de Argus Filch, Mrs. Norris é encontrada petrificada, embora ainda viva. Começa então a especulação sobre a Câmara Secreta e quem poderia ser o Herdeiro, depois que o Professor Binns, explica que a Câmara foi supostamente criada sob Hogwarts por Salazar Slytherin mais de mil anos antes. Embora nunca tivesse sido encontrada, a Câmara é famosa pela lenda de abrigar um monstro. As suspeitas de que Harry seja o Herdeiro, crescem, embora Harry suspeite de Draco Malfoy. Mas como as evidências crescem sobre Harry, até ele fica pensando se poderá ser o descendente de Slytherin. A tensão aumenta quando outros alunos, inclusive Hermione aparece petrificada, fazendo com que Dumbledore declare que a escola já não é segura.

Harry e Ron encontram um velho diário que pertenceu, alguma vez a Tom Riddle. Embora as páginas estejam aparentemente em branco, Harry descobre que pode se comunicar com as lembranças de Riddle que estão guardadas no diário. Riddle mostra a Harry que a Câmara foi aberta há cinqüenta anos atrás, e um aluno foi morto. Hagrid então, era aluno e foi acusado de libertar o monstro. Logo depois o quarto de Harry é invadido e o diário é roubado. Uma página arrancada de um livro presa na mão petrificada de Hermione sugere que o monstro é um Basilisco, uma enorme serpente, que está usando os encanamentos para se mover dentro do castelo.

Quando Ginny Weasley é levada para dentro da Câmara, Gilderoy Lockhart é enviado para salvá-la, no entanto, as habilidades mágicas de Lockhart e suas explorações são uma farsa. Impedindo que ele tente fugir, Harry e Ron o obrigam a ir ao banheiro da Murta-Que-Geme, onde fica a entrada da Câmara; uma vez lá embaixo, Harry acaba separado dos outros e encontra Ginny viva mas muito mal. Tom Riddle, que agora é Lord Voldemort está roubando a força vital de Ginny para reanimar a si mesmo. Soltando o imenso Basilisco, ele ordena que mate Harry, mas Fawkes, a Fênix de Dumbledore aparece, trazendo o Chapéu Seletor, depois cega o Basilisco. Harry mata o Basilisco com a Espada de Gryffindor que estava dentro do Chapéu Seletor, e fura o diário com uma das presas do Basilisco, assim destruindo a lembrança de Riddle e revivendo Ginny. Hermione e os outros alunos petrificados são curados pela Professora Sprout.

Harry usa uma artimanha para fazer com que Lucius Malfoy, o mestre de Dobby o liberte. Harry suspeita que foi Lucius quem colocou o diário de Riddle no caldeirão de Ginny quando se encontraram no Beco Diagonal, mas não tem provas disso.

O Prisioneiro de AzkabanEditar

Essa história se desenvolve num clima muito mais sombrio enquanto Harry passa mais um verão melancólico nos Dursleys. Dessa vez ele tem que aturar a presença da tia Marge, a irmã de Vernon que chega de visita, que censura e diminui Harry. Os Dursleys nem dão suporte e nem reclamam do comportamento dela, parece que estão começando a temer Harry conforme ele cresce. Depois que Marge profere uns insultos especialmente horríveis sobre seus pais, Harry reage com fúria, sem querer fazendo Marge inflar e sair flutuando pelo ar. Harry foge e pega o Nôitebus Andante até o Beco Diagonal, mas antes ele vê um sinistro cão negro, o observando nas sombras.

O Ministro da Magia intervém, esvaziando tia Marge e modificando a memória dela, enquanto Harry recebe permissão para permanecer no Caldeirão Furado até o inicio das aulas. Logo ele se une à família Weasley e Hermione, que compra um gato estranho que ela chama de Bichento. O bicho ataca Perebas, o rato de Ron, constantemente enfurecendo Ron.

Harry ouve Mr. e Mrs. Weasley conversando sobre Sirius Black que escapou da prisão de Azkaban, aparentemente com o propósito de matar Harry. Mr. Weasley pede a Harry para não ir atrás de Sirius Black, Harry embora confuso, geralmente não fica perturbado com esses acontecimentos sombrios.

Indo para Hogwarts, Harry tem um encontro inesperado com um Dementador, um fantasmagórico guarda de Azkaban que está caçando Black, fazendo com que ele escute uma mulher gritando antes de desmaiar. Remus Lupin que está no mesmo compartimento que Harry, no trem, lança um feitiço desconhecido que repele a criatura.

Na Festa de Boas Vindas a Hogwarts, o Professor Dumbledore apresenta Lupin como o novo professor de DCAT. Ele também avisa aos alunos para tomar cuidado com os perigosos Dementadores que estão patrulhando Hogwarts e a vila de Hogsmeade, enquanto Black está a solta. Hermione, nesse meio tempo, parece estar assistindo a todas as aulas possíveis, até mesmo àquelas que são simultâneas, e continuamente ela desaparece e reaparece durante o dia.

Após Sirius Black entrar no castelo, não se sabe como, Harry descobre mais sobre o passado de seus pais e as circunstâncias em que ocorreu sua morte. Doze anos atrás, Black que era o melhor amigo de Lily e James, os traiu para Voldemort e matou Peter Pettigrew, outro amigo. Harry fica chocado ao saber que Black é seu padrinho; Harry jura vingança, mas durante o confronto com Black e Lupin dentro da Casa dos Gritos, Perebas, o rato de Ron, é exposto como o supostamente morto Pettigrew. Ambos, Pettigrew e Black são Animagos ilegais, como o era James Potter; Lupin é um lobisomem. Todos os quatro eram os melhores amigos enquanto estavam em Hogwarts, mas foi Pettigrew, e não Black quem revelou a localização secreta dos Potters para Lord Voldemort, que então os matou e atacou Harry. Para escapar Pettigrew fingiu sua própria morte matando doze Trouxas, culpando Sirius pelo crime. Black ao saber que Pettigrew ainda estava vivo e disfarçado como Perebas, escapa de Azkaban para matar Pettigrew como vingança.

Após descobrir a verdade, Harry faz amizade com seu padrinho recém descoberto e fica deslumbrado ao pensar que poderia abandonar os Dursleys para sempre. Mas Pettigrew, e a verdade, rapidamente fogem, enquanto Sirius é capturado pelos Dementadores que querem chupar sua alma imediatamente. Hermione, que estava usando um Vira-Tempo para assistir as diversas aulas do ano, retorna a si mesma e a Harry três horas no passado. Refazendo seus passos, eles libertam Sirius Black, mas ele continua sendo um fugitivo caçado. Harry, infelizmente tem que continuar com os Dursleys, o único ponto feliz é que Sirius passa a ser o guardião legal de Harry e manda uma carta dando a Harry a permissão para visitar Hogsmeade.

O Cálice de FogoEditar

Enquanto Harry está assistindo a Copa do Mundo de Quadribol com os Weasleys e Hermione, figuras encapuzadas que se imagina serem Comensais da Morte tocam terror no acampamento causando um caos entre os bruxos nascidos Trouxas. O símbolo de Voldemort, um crânio e a serpente (a marca negra) é visto no céu escuro, mas o Ministério não aceita o seu retorno.

Voltando para Hogwarts, Harry é escolhido misteriosamente como um quarto Campeão no Torneio Tribruxo, uma competição inter-escolas, ainda que ele seja menor de idade e que seu nome jamais tenha sido posto dentro do Cálice de Fogo. Além de ser forçado a competir nesse torneio tão difícil, Harry é desprezado pelos outros alunos que, acreditam que ele trapaceou para entrar, e também por Ron, que acha que Harry quer atenção. Entre os seus colegas, somente Hermione acredita que ele não colocou seu nome, e o ajuda em cada evento. Depois que Harry é quase morto por um dragão na Primeira Tarefa, é que Ron percebe que Harry jamais ia querer trapacear para participar de um torneio tão perigoso, e os dois se reconciliam. Nesse meio tempo, está ficando claro que existe uma trama contra Harry.

Harry logo enfrenta um desafio mais dificil – um romance. Quando ele desenvolve uma paixonite por Cho Chang, uma linda aluna da Ravenclaw, ele, sem jeito, a convida para o Baile de Inverno. Então fica sabendo que ela está namorando Cedric Diggory, o outro Campeão de Hogwarts. Harry precisa lidar com o ciúme e o desapontamento com relação a Cho, enquanto luta contra o ressentimento e animosidade contra Diggory, mesmo sendo Cedric gentil e honesto. Embora sendo competidores, os dois rapazes desenvolvem uma admiração mútua e durante o Torneio eles se ajudam e dão força um ao outro.

Durante o desafio final, Harry e Diggory são transportados, inesperadamente para um cemitério, onde Peter Pettigrew (Rabicho) na mesma hora mata Cedric. Harry é amarrado e forçado a ver Lord Voldemort ressuscitar, num ritual macabro usando o sangue de Harry, que anula o feitiço protetor que o salvou de Voldemort. O Lord das Trevas ressuscitado trava um duelo mortal com Harry, mas as sombras de seus pais mortos, de Cedric, de Bertha Jorkins e do Trouxa, Frank Bryce saem da varinha de Voldemort para ajudar Harry, e ele foge para Hogwarts levando o corpo de Cedric, para anunciar a volta de Voldemort.

Alastor "Olho-Tonto" Moody, que é o professor de DCAT desse ano, quase mata Harry, mas ele é salvo por Dumbledore, Snape e McGonagall. "Moody" é desmascarado, na verdade ele é Barty Crouch Jr. o servo fiel do Lord das Trevas, que vinha usando a Poção Polissuco para se disfarçar como Moody e manipulou o Torneio para transportar Harry para o cemitério. O verdadeiro Alastor Moody é resgatado do malão que contem um compartimento secreto. Nesse meio tempo, os Dementadores chupam a alma de Crouch, tornando impossível verificar a história de Harry.

A Ordem da FênixEditar

Esse é o ano mais sombrio que Harry passa no mundo mágico. Depois que os Dementadores o atacam junto com seu primo Dudley, próximo da casa dos Dursleys, Harry é levado secretamente para 12 Grimmauld Place, o novo quartel general da Ordem da Fênix, um movimento subterrâneo contra Voldemort. Um Harry zangado porque não recebe informações sobre Voldemort ou os planos da Ordem, acaba brigando com Ron e Hermione, embora eles não saibam nada a mais do que ele. Ele também tem dificuldade de ficar quieto sobre o retorno de Voldemort, enquanto o Ministério da Magia não apenas tenta condenar Harry pelo uso de magia sendo menor de idade, mas também lançando uma campanha nojenta contra ele e contra Dumbledore, negando suas afirmações de que Voldemort voltou. Consequentemente, muitos na comunidade mágica duvidam da volta de Voldemort.

Funcionária e espiã do Ministério da Magia, Dolores Umbridge é escolhida pessoalmente por Cornelius Fudge como professora de DCAT e mais tarde como Alta Inquisidora. Umbridge proíbe os alunos de aprender feitiços defensivos e trabalha todo o tempo para evitar que Hogwarts e o mundo mágico acreditem que Voldemort voltou. Os estudantes ficam rebeldes sob suas regras cada vez mais repressoras, e Harry forma um grupo secreto chamado A Armada de Dumbledore (AD) para ensinar magia defensiva verdadeira. Ele também embarca num romance com Cho Chang, mas suas personalidades diferentes e a angústia constante dela, por causa da morte de Cedric logo acaba com o namoro.

Depois que a AD é descoberta, Dumbledore é destituído, e Umbridge assume o comando total. Os gêmeos Weasley lançam uma revolta, causando um caos total dentro do castelo, antes de partirem de Hogwarts, de maneira espetacular em suas vassouras, para sempre. Os professores nada fazem para ajudar Umbridge a restaurar a ordem. Ela finalmente é iludida por Hermione e levada embora pelos centauros zangados.

Através de uma conexão telepática desconhecida, Voldemort, que está procurando por uma profecia que pertence a ele e Harry, e que está guardada dentro do Minstério da Magia, conduz Harry para uma armadilha. Numa batalha terrível, Harry vê com horror quando Bellatrix Lestrange mata seu padrinho, Sirius Black; Harry confronta Voldemort novamente e, dessa vez, o Ministro da Magia, Cornelius Fudge, chega a tempo de ver o Lord das Trevas escapar. Fudge agora é forçado a aceitar publicamente o fato do retorno de Voldemort. Dumbledore recupera o cargo de Diretor e revela a Harry mais sobre sua conexão com Voldemort.

O Enigma do PríncipeEditar

A leve esperança de Harry de se tornar um Auror é renovada quando Horace Slughorn entra para Hogwarts como novo professor de Poções. Os N.O.M.s de Harry eram muito baixos para a aula avançada de Poções do Professor Snape, um passo básico para se tornar Auror, mas Slughorn aceita alunos com notas inferiores

Enquanto isso, Snape assumiu a cadeira de DCAT. Harry parece se superar em poções sob a batuta do Professor Slughorn, mas na verdade, ele está sendo ajudado por um velho livro texto que pertenceu a um antigo aluno, conhecido apenas como “O Príncipe Mestiço”. Nessa altura, enquanto os Comensais da Morte estão detonando o caos tanto no mundo mágico quanto no mundo Trouxa, Harry descobre seu lugar na guerra contra o Lord das Trevas.

Convencido de que Draco Malfoy se tornou um Comensal da Morte, Harry suspeita que ele está envolvido em alguma trama sinistra, mas não consegue provar nada, e Dumbledore parece não se preocupar. Ron e Hermione também acham as suspeitas de Harry excessivas, deixando o rapaz frustrado. Sem Harry saber, no entanto, Snape fez um Voto Pérpetuo com Narcissa Malfoy, a mãe de Draco, para ajudar Draco na tarefa que o Lord das Trevas estipulou para ele.

Harry e Dumbledore começam a descobrir o passado de Voldemort vendo suas lembranças guardadas na Penseira. Só depois que o Professor Slughorn relutantemente entrega sua lembrança escondida, que Dumbledore determina que Voldemort dividiu sua alma em seis partes para fazer Horcruxes, guardando os pedaços em vários objetos, incluindo alguns que pertenceram aos fundadores de Hogwarts. Dois dos Horcruxes (o diário de Tom Riddle e um anel da família Gaunt) já foram destruídos, e Harry e Dumbledore potencialmente encontram um terceiro, o medalhão de Slytherin, escondido numa caverna secreta à beira-mar, embora seja um falso.

No final desse livro, Harry e a Ordem da Fênix e a Armada de Dumbledore lutam contra os Comensais da Morte de Voldemort dentro do castelo de Hogwarts. Harry sofre uma terrível perda quando Dumbledore é morto por Severus Snape, que revela a Harry que ele é o Príncipe Mestiço, antes de fugir carregando Draco.

Harry promete que vai destruir Voldemort e seus Horcruxes restantes e vai vingar o assassinato de Dumbledore. Harry anuncia que está deixando Hogwarts , Ron e Hermione pedem para acompanhá-lo em sua missão. Harry termina o namoro com Ginny com medo de que Voldemort faça algum mal a ela.

As Relíquias da MorteEditar

Harry, Ron e Hermione deixam Hogwarts para embarcar na missão do Professor Dumbledore, caçar e destruir os Horcruxes restantes de Voldemort. Embora Dumbledore tenha confiado a Harry uma tarefa perigosa praticamente impossível, ele deixou apenas poucas e enigmáticas pistas para ajudar na missão. Ele também deixou para o Trio alguns objetos pouco usuais: um Pomo e a Espada de Gryffindor para Harry; para Ron o Apagueiro; e Hermione recebe um livro infantil chamado “Os Contos de Beedle, O Bardo”, contendo símbolos misteriosos feitos a mão junto com uma história de três irmãos. O Ministério da Magia retém a Espada de Gryffindor, dizendo que ela nunca pertenceu a Dumbledore. Entendendo que a Espada seria útil para destruir os Horcruxes que o Trio tem que encontrar.

Embora Ginny Weasley diga a Harry que ainda o ama e vai esperar por ele, Harry acreditando que essa missão vai demorar anos, espera que ela encontre outra pessoa.

Conforme o poder e a dominação de Voldemort crescem, Harry corre em busca dos Horcruxes, mas a lealdade dele para com Dumbledore falta, quando ele descobre segredos escusos escondidos no passado de Dumbledore: - ele não é o homem que Harry acreditou que ele era.

A missão do Trio fica também comprometida, quando Harry fica com a obsessão de encontrar As Relíquias da Morte, os três únicos e mágicos objetos mencionados no livro de Hermione. Eles descobrem que o emblema das Relíquias foi também adotado pelo Bruxo das Trevas, Grindelwald, que Dumbledore derrotou em duelo há muitos anos atrás. A existência de cada Relíquia é possível: a Capa da Invisibilidade poderia ser a de Harry, enquanto a Elder Wand poderia ser a mesma que Dumbledore capturou de Grindelwald. Apenas a Pedra da Ressurreição para dúvida para Hermione, embora Harry tenha esperança de que pudesse ressuscitar seus pais mortos. Voldemort, enquanto isso procura a Elder Wand (A Varinha das Varinhas) certo de que ela é uma arma invencível.

Fisicamente sob o fardo da missão difícil e dominado por dúvidas crescentes, a decisão de Harry é testada depois que Ron, frustrado com a dureza da realidade, parte raivosamente. Hermione fica devastada pela deserção de Ron, mas continua fiel a Harry e fica com ele. Conforme a fé de Harry em Dumbledore diminui, Hermione o ajuda a ver além das transgressões do jovem Albus, o homem bom em que ele se tornou através de suas escolhas e ações.

Ron se integra novamente ao grupo a tempo de salvar a vida de Harry, encontrar a Espada de Gryffindor e com ela destruir o Medalhão Horcrux.

Harry também deseja se vingar de sua odiada nêmesis, Severus Snape, embora Snape, assim como Dumbledore seja uma coisa diferente do que parece ser. Embora Dumbledore esteja morto, e Harry agora se questione quais eram os verdadeiros motivos de Albus, uma pessoa desconhecida ou pessoas, parece estar guiando o Trio. Agora Harry precisa decidir se pode colocar sua fé cega.

Os Horcruxes de Voldemort são eventualmente encontrados e destruídos, mas a terrível batalha em Hogwarts entre o Lord das Trevas e seus Comensais da Morte, e a Ordem da Fênix e seus aliados culmina numa confrontação final entre Harry e Voldemort. Apenas Harry sobrevive.

Vida PosteriorEditar

Num post no seu web site, a autora havia dito que, depois da Segunda Guerra Bruxa, Harry se torna Auror e Ministro da Magia. Em 2007 Harry se tornou o mais jovem chefe do Escritório de Aurores, com a idade de 27 anos. Ele também casou com Ginny e eles tiveram três filhos: James Sirius, Albus Severus e Lily Luna.


Pontos FortesEditar

“Você é talentoso, famoso e poderoso – tudo aquilo que Horace valoriza. O Professor Slughorn vai tentar cooptar você, Harry. Você vai ser a jóia da coroa dele.” – Professor Dumbledore para Harry Potter.

Harry é um bruxo muito esperto e poderoso. Ele é mais habilidoso em DCAT e foi um dos 12 alunos que conseguiu notas no N.I.E.M. de Poções no seu sexto ano. No terceiro ano ele já conseguia projetar um Patrono corpóreo: uma parte da magia muito avançada que muitos bruxos adultos não conseguem fazer.

Além de suas fortes habilidades mágicas, Harry é muito nobre e bravo, ele faz qualquer coisa para proteger seus amigos. Durante a série ele se vê em diversas situações muito difíceis e perigosas mas sempre mantém a cabeça fria. Ele também é muito maleável, permanecendo forte embora tenha passado por uma tremenda quantidade de sofrimentos. Ele está sempre pronto a reagir emocionalmente em certas situações e, como resultado, em geral age impulsivamente. No entanto, ele sempre vai ouvir os conselhos dos amigos, mais lógicos e calmos, especialmente Ron e Hermione, embora de modo relutante. Harry tem um sentido forte sobre o que é bem e mal, e ele sempre fica do lado do que está certo. Apesar de toda a dificuldade e das muitas provas pelas quais ele passa, Harry é extremamente compassivo e amável. Ele é leal a seus amigos e fará tudo possível para protegê-los e ajudá-los, assim como eles farão por ele. “Eu fiquei muito satisfeita com sua nota de Transfiguração, Potter, muito satisfeita.” ; - Professora McGonagall falando sobre a nota do N.O.M. de Transfiguração de Harry.

Embora Harry seja um verdadeiro Gryffindor, a Casa que é notável por sua bravura e nobreza, ele partilha traços comuns com a Slytherin e que não tem relação com o pedaço de alma de Voldemort dentro dele. Isso inclui a esperteza, desenvoltura, determinação e desinteresse pelas regras. Foi isso que, com certeza o Chapéu Seletor considerou ao pensar em colocá-lo na Slytherin, embora Harry quisesse ir para qualquer outra casa, de modo que o Chapéu o escolheu para Gryffindor. Um ponto muito forte, particularmente apreciado por Albus Dumbledore é a capacidade de Harry de amar, assim como seu coração, extremamente puro.

Harry se sobressai quando o assunto é voar, seja em uma vassoura ou em criaturas mágicas como Hipogrifos e Thestrals. Essa habilidade se traduz em talento para o Quadribol, fazendo dele o mais jovem Apanhador de Hogwarts num século. Durante a Primeira Tarefa do Torneio Tribruxo, sua habilidade em voar é comparada, favoravelmente à de Viktor Krum, até então considerado o melhor Apanhador do mundo. No seu sexto ano Harry se torna o capitão do time de Quadribol da Gryffindor.


Pontos FracosEditar

Harry é conhecido por não conseguir esconder ou controlar seus sentimentos. Em diversas ocasiões ele não conseguiu esconder ou controlar suas emoções, especialmente o aborrecimento e a raiva. Entre outros fatores, isso faz com que Oclumencia seja muito difícil para ele. Ele tem a tendência de atacar a maior parte das situações e dos problemas sozinho, quase sempre tomando atitudes precipitadas antes de considerar outras opções e uma estratégia final. Ele acha, muitas vezes, difícil confiar nos outros; em geral só confia em seus melhores amigos. Sua designação como “O Garoto Que Viveu”, “O Escolhido” fazem com que ele se sinta pressionado e não possa viver com as expectativas do mundo mágico. Seu desejo de se provar, talvez tenha ajudado a criar a necessidade de ser “o herói”. Isso já fez com que ele se comportasse de maneira irresponsável, como fez no Torneio Tribruxo, na Segunda Tarefa (no quarto livro) quando resgatou os reféns do fundo do lago, embora eles não estivessem em real perigo. Esssa tendência se torna algo mortal quando Voldemort explora essa característica natural de Harry, para levá-lo ao Ministério da Magia e que resultou na morte de Sirius Black.

Embora seja um bruxo poderoso e inteligente ainda em treinamento, Harry é academicamente preguiçoso, normalmente recebendo notas apenas pouco acima da média em sua matérias, embora quando estudou bastante para seus N.O.M.s tenha recebido bons resultados. Ele conseguiu "Exceeds Expectations" na maior parte das matérias para as quais ele tem aptidão, e passou para o nível N.I.E.M. na maioria. A exceção foi DCAT, quando ele conseguiu "Outstanding," ultrapassando inclusive Hermione, o que demonstra seu extraordinário talento em magia defensiva. Sua habilidade em Poções é aparentemente maior do que parece, uma vez que ele conseguiu "Exceeds Expectations" no seu exame N.O.M.; no sexto ano ele melhora muito, depois de achar um velho livro de poções no qual um antigo e talentoso estudante (mais tarde se descobre ser Severus Snape) revisou muitas técnicas de fazer poções, e também criou muitos feitiços e azarações.

Harry tem pouca confiança em si mesmo, especialmente no primeiro livro, onde ele expressa sérias dúvidas sobre a possibilidade de ser realmente um bruxo. Ele também se preocupa se vai se encaixar , sendo o “pior da sua turma”. Essa falta de confiança volta a aparecer, embora com menos força, em cada livro, notadamente no segundo livro, onde ele está preocupado se realmente está na Casa certa, e no terceiro livro, quando resiste à sugestão de Ron e Hermione de ensinar DCAT, acreditando que não tem qualificação para isso.

Harry também briga com um complexo de culpa; ele sempre se culpa quando as coisas saem do controle. Por exemplo, ele se culpa por colocar seus amigos em perigo, permitindo que Pettigrew escape e também pelas mortes de Cedric e de Sirius. Enquanto está namorando Ginny Weasley, Harry está completamente apaixonado por ela, assim ela se torna sua “grande fraqueza”, uma vez que Harry irá protegê-la ao custo de sua vida ou de sua missão. Mas da mesma forma, Ginny pode ser considerada sua “grande força” porque ele está lutando por ela contra Voldemort.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Orfão desde bebê, Harry sente falta de uma família de verdade. Os Dursleys seus únicos parentes de sangue o tratam com desdém, com tamanha crueldade que só se poderia esperar que Harry cortasse todos os laços com eles quando se tornasse maior de idade. O primo Dudley ainda mostra um certo remorso do tanto que maltratou Harry e deseja boa sorte quando eles se vêem, presumivelmente pela última vez no último livro, capitulo 3.

Ao invés de família, Harry desenvolve grande amizade com seus amigos da escola, especialmente com Ron, Hermione, Luna e mais tarde Ginny Weasley e toda família Weasley.


FamíliaEditar

Dudley Dursley

Desde muito pequenos, Harry e Dudley já tinham antipatia um pelo outro. Dudley em geral maltratava Harry e fica muito chocado ao ver seu primo inferior se tornar um bruxo. Harry ameaça Dudley com suas novas habilidades quando termina o primeiro ano em Hogwarts, apesar de ser proibido usar magia fora da escola. Embora ele nunca tenha conscientemente levado a cabo qualquer ameaça, saber que Harry tem a habilidade de usar magia faz com que Dudley trate Harry com uma certa reserva.

Conforme o poder de Harry, e portanto sua confiança em si mesmo cresce, o preparo físico de Dudley e seu comportamente característico de quem faz bullying também aumenta, e eles permanecem empatados enquanto Harry não pode usar magia. O aparecimento de um Dementador no livro cinco, capitulo 1, é um divisor de águas no relacionamento deles, uma vez que Dudley parece reconhecer que Harry é capaz de protegê-lo, quando os músculos não servem para nada. Isso é reforçado pela visita de Dumbledore no sexto livro, capitulo 3, quando Dumbledore afirma que os Dursleys deram uma péssima educação a seu próprio filho. Eventos no início do último livro, capitulo 2, nos levam a entender que Dudley está tentando resolver seus problemas, mas as suspeitas de Harry dos motivos de Dudley o impedem assim como a nós leitores, de reconhecer isso até a partida final de Dudley da história.

James e Lily Potter

Os pais de Harry, James and Lily que morreram há muito tempo, ainda têm um papel importante no desenvolvimento da história, uma vez que ele fica sabendo mais sobre eles através de seus amigos e aliados.

Harry ama seu pai, mas a imagem idolatrada do homem que ele nunca conheceu fica manchada quando ele, sem querer, observa as lembranças de Snape na Penseira, que mostra o comportamento de James na juventude, nada exemplar, e tão diferente do de Harry na mesma idade. Embora muito desapontado, Harry, com a ajuda dos outros, eventualmente consegue passar por cima das impressões ruins sobre seu pai, vendo apenas o bom homem que James escolheu se tornar.

Embora Harry se tenha identificado mais com seu pai, ele começa também a compreender a influência de sua mãe sobre ele, também e que sua natureza é mais similar a Lily do que a James. Harry tem alguns encontros rápidos com os espíritos de James e de Lily, que não apenas o protegem (no livro 4 e no 7), mas também expressam o quanto eles amam e admiram seu filho.

O TrioEditar

Ron Weasley

Harry e Ron se tornam os melhores amigos após se conhecerem no Expresso de Hogwarts durante o primeiro ano. Harry se torna tão próximo a Ron, que os outros Weasleys praticamente o adotam na família. Molly Weasley começa a amá-lo como a um filho. Ron em geral educa Harry (criado entre os Trouxas) sobre o mundo mágico. Harry que não liga para sua própria celebridade, nota que ocasionalmente isso torna Ron ciumento, as vezes abalando a amizade. A riqueza de Harry causa um forte contraste com a pobreza de Ron, e também cria conflitos, pelo menos para Ron, que inveja o fato de Harry poder ter qualquer coisa, embora Harry raramente queira bens materiais e trocaria feliz sua fortuna por poder ter seus pais de volta.

Durante sua missão de caçar os Horcruxes de Voldemort, Ron fica frustrado e zangado com a aparente indecisão de Harry, assim como com as dificuldades da missão. Como resultado ele abandona os amigos. Mas, ele retorna a tempo de salvar Harry e nunca mais abandona seu amigo. Seus laços ficam permanentemente atados quando Harry casa com Ginny, tornando Ron seu cunhado.

Hermione Granger

Hermione não apenas se torna a amiga mais próxima de Harry, mas ela torna o Trio completo, tendo uma parte integral junto com Ron, na luta de Harry contra Voldemort. De inicio ela é inferior ao olhos de Ron e Harry, e ambos, após conhecê-la a acham chata e mandona. Isso logo muda, após ela protegê-los para não serem punidos erroneamente, eventualmente tendo um papel tão crucial quanto Ron. Diferente de Ron, no entanto, sua confiança e fé em Harry nunca diminuem. A fé de Harry em Hermione, no entanto falta, quando Hermione que normalmente finge que não vê as coisas irregulares que os dois garotos fazem, conta a Professora McGonagall, que Harry recebeu um presente anônimo, uma vassoura de corrida caríssima, que pode estar enfeitiçada. Furioso, Harry e Ron de modo infantil a evitam durante meses, deixando Hermione profundamente infeliz, embora mais tarde tudo volte ao normal.

De muitas maneiras, Hermione e Harry tem mais em comum do que Harry com Ron, ambos vindos de uma vida Trouxa, embora a família de Hermione seja carinhosa e estável, ao contrário da de Harry. Ambos ela e Harry são filhos únicos, e isso é uma ligação diferente da de Ron, que tem muitos irmãos. Hermione se torna uma espécie de irmã que Harry nunca teve e vice versa, e mais tarde o casamento deles com membros da mesma família cimenta os laços de amizade.

Hermione é praticamente a única pessoa na escola, no livro quatro a acreditar que Harry não trapaceou para entrar no Torneio Tribruxo, até mesmo Ron inicialmente pensou. Ela também entende a natureza de Harry melhor do que qualquer outra pessoa, inclusive Ron, que demora mais a amadurecer do que ela e Harry, e tem menos sensibilidade aos sentimentos alheios.

Os Professores e outros adultosEditar

Albus Dumbledore

Harry também mantém um relacionamento de amizade com diversos adultos, incluindo o Professor Albus Dumbledore, que é seu gentil, embora um tanto excêntrico mentor durante os anos de Harry em Hogwarts. Dumbledore, sabendo que apenas Harry pode derrotar Voldemort, passa muito tempo preparando o rapaz para o fatal encontro com o Lord das Trevas, embora Dumbledore guarde informações cruciais, inclusive que, apenas a morte de Harry vai destruir o Horcrux que ele, carrega dentro dele, sem saber. Dumbledore percebe mais tarde, no entanto, que por ter usado o sangue de Harry para restaurar seu corpo, Voldemort sem querer, deu a Harry toda a proteção que ele precisava para sobreviver. Dumbledore também reconhece as fraquezas de Harry e sua necessidade de “enfrentar tudo sozinho” e encorajou-o com toda força a sempre confiar em Ron e Hermione e buscar o conselho deles. Harry fica devastado com a morte trágica de Dumbledore no livro seis. Embora mais tarde tenha vindo a duvidar das verdadeiras intenções de Dumbledore e da sua missão, quando alguns incidentes desagradáveis do passado de Dumbledore são revelados. No entanto o ácido desapontamento de Harry com o falecido diretor o impede de perceber que, ao contrário de Gellert Grindelwald, a juventude de Dumbledore envolvida no lado da magia das trevas, foi nada mais do que uma breve diversão, cheia de teorias inúteis e crenças nunca usadas, que foram na verdade rejeitadas. Assim como seu pai, Harry finalmente compreende que, foram as escolhas decididas em sua vida que fizeram de Dumbledore o grande homem em que ele se tornou.

Rubeus Hagrid

Hagrid também é importante para Harry, e como Sirius Black, ele o considera sua verdadeira família. No entanto o afetuoso gigante pode ser muito ingênuo, pouco sofisticado e às vezes não tem a capacidade de entender outros personagens e seus motivos, ele sempre acompanha e ajuda Harry conforme ele amadurece e fará qualquer coisa para protegê-lo. Quase sempre é a opinião de Hagrid que mais afeta Harry. Hagrid permanece como uma crescente força e proteção durante a série e depois.

Sirius Black

Sirius Black, o padrinho de Harry, também assume o importante papel de mentor e se torna família de verdade, embora seu relacionamento tenha sido curto e termine tragicamente quando Bellatrix Lestrange mata Sirius no livro cinco. Sirius era um padrinho carinhoso e cuidadoso, mas sua longa prisão em Azkaban por causa de um crime que não cometeu fez grandes estragos no seu desenvolvimento emocional, fazendo dele, às vezes um guardião nada ideal, tratando Harry mais como uma substituição de seu amigo perdido, James Potter do que alguém a quem ele precisa proteger. Hermione mostra a Harry o comportamento muitas vezes estranho de Sirius, mas como ele ama seu padrinho incondicionalmente, está cego, inicialmente aos defeitos de Sirius. Harry eventualmente reconheceu essas falhas, mas sabe que seu amado padrinho o amava e teria feito qualquer coisa para protegê-lo e ajudar no que fosse preciso; sua morte devastou Harry, deixando ainda um enorme vazio em sua vida.

Outros alunosEditar

Cho Chang

Um romance floresce entre Harry e Cho Chang, uma linda Ravenclaw, embora ainda sofrendo pela morte de Cedric Diggory, que ocorreu no livro quatro. Suas emoções frágeis se tornam mais difíceis do que Harry pode compreender ou agüentar, portanto, a relação já complicada, vai esfriando rapidamente sem amargor.

Ginny Weasley

Mais tarde Harry se apaixona por Ginny Weasley, que a autora descreve como “a mulher ideal para Harry”. Ginny já era apaixonada por ele há muito tempo, embora ele sempre a considerasse como uma amiga e a irmã caçula de Ron. Conforme ela se torna uma bela jovem, Harry começa a vê-la de outra maneira e a ficar com ciúmes quando ela tem outros namorados; ele acha que sua chance com ela se foi para sempre. Mas, Ginny nunca deixou de amar Harry e eles finalmente se unem no livro seis.

Mas a recém encontrada felicidade logo termina, quando, para proteger Ginny, Harry termina o namoro e embarca na perigosa missão de Dumbledore para derrotar Lord Voldemort, uma missão que poderia demorar anos. Ginny fica com o coração partido e Harry imagina que ela vai encontrar outra pessoa, embora não fosse o tipo de Ginny sequer considerar um outro namorado. Após a derrota do Lord das Trevas, Harry e Ginny se reúnem, casando e tendo três filhos: James Sirius, Albus Severus e Lily Luna.

Amigos de Hogwarts

Harry também se torna amigo de outros colegas da Gryffindor como Seamus Finnigan, Dean Thomas e Neville Longbottom, que também se tornam grandes aliados contra Voldemort e seus Comensais da Morte, embora inicialmente duvidassem dele.

Tendo perdido seus pais para o reino de terror de Voldemort, Harry e Neville ficam muito próximos no decorrer da série. Luna Lovegood uma garota da Ravenclaw, bastante esquisita, também se torna grande amiga e aliada, arriscando sua vida para ajudar Harry na Batalha do Ministério no livro cinco. Harry a aprecia tanto que inclusive dá o nome dela à sua filha, Lily Luna. Harry também ficou amigo de Cedric Diggory um aluno da Hufflepuff e colega no Torneio Tribruxo, e também rival quando Harry começa a se interessar por Cho Chang. Quando os outros alunos, incluindo Ron, acreditam que Harry trapaceou para entrar no Torneio, Cedric o apóia. Os dois se ajudam durante o Torneio, mas Cedric morre de maneira trágica quando Voldemort ordena que Petter Pettigrew (Rabicho) o mate, enquanto Harry sem poder ajudar só olha. É a morte de Cedric que permite que Harry veja os Thestrals, criaturas mágicas apenas visíveis para aqueles que já viram a morte.

AdversáriosEditar

Draco Malfoy

Nem todo mundo em Hogwarts é amigo de Harry, e muitos Slytherins o desprezam. O principal entre eles é Draco Malfoy, que se torna a principal nêmesis de Harry. Os sempre presentes “coleguinhas” de Draco, Crabbe e Goyle o ajudam sempre a criar novos tormentos e prejudicar Harry. A família Malfoy é composta de bruxos sangue puro e leais apoiadores de Lord Voldemort, e as relações entre Draco e Harry são parcialmente alimentadas pela ideologia elitista enfiada na cabeça de Draco desde o nascimento. Embora Draco deteste Harry e permaneça leal a sua própria família, ele nunca abraçou completamente a crença diabólica de seus pais. Suas ações deliberadas na Mansão Malfoy no sétimo livro, protegem Harry, que mais tarde salva a vida de Draco duas vezes na Batalha de Hogwarts, ainda que aparentemente Draco tente capturá-lo. Os dois nunca ficaram amigos, ao invés disso mantiveram distancia, uma trégua respeitosa na vida adulta.

Severus Snape

A maioria dos professores de Hogwarts gostam de Harry, mas ele vive uma relação conflituosa e difícil com o Professor Severus Snape, Chefe da Casa Slytherin e professor de Poções de Harry. Snape parece implicar com Harry por causa de sua fama, o que sempre acaba em maus tratos para com Harry. Snape na verdade, tem uma mágoa antiga e profunda contra o pai de Harry, James Potter, que era o seu maior inimigo e junto com Sirius Black, zombava de Snape durante os anos em que estudaram em Hogwarts.

A intensa aversão de Harry pelo professor de Poções se transforma em raiva e ódio profundos, quando parece que Snape assassinou Dumbledore e se reuniu a Lord Voldemort no final do livro seis. Apesar da animosidade de Snape com relação a Harry e sua suposta traição, ele, sem Harry saber na época, sempre agiu como protetor de Harry, parcialmente motivado pelo amor profundo pela falecida mãe de Harry, Lily.

Harry poderia até mudar seus sentimentos com relação ao seu beligerante mestre de Poções e aliado secreto, que sem Harry saber na época, era o “Príncipe Mestiço”. Harry tomou posse do antigo livro de poções do Príncipe, que continha muitas fórmulas revisadas, assim como novos feitiços, azarações e maldições escritos a mão nas margens do livro. Em pouco tempo, Harry, inspirado pelo Príncipe aprendeu mais sobre a matéria que em todos os anos dentro da sala de aulas de Snape. Depois de descobrir a verdade sobre Snape e o que ele fez de bem para ele, Harry deu o nome ao seu segundo filho de Albus Severus, em homenagem ao falecido mestre de poções, que, mais tarde ele contou ao seu filho, foi um dos homens mais corajosos que ele conheceu.

Lord Voldemort

Sem dúvida, Lord Voldemort foi o mais formidável inimigo de Harry. Voldemort também, considerava Harry seu inimigo mais perigoso, e se tornou obsessivo em matá-lo. Mesmo antes do nascimento de Harry, Voldemort o temia, acreditando na profecia que um menino que logo nasceria, estava destinado a destruí-lo. Quando Voldemort fez a primeira tentativa de matar o bebê, ele se ligou para sempre com Harry porque, sem intenção, ele fixou um pequeno pedaço de sua alma ao bebê, dando a Harry habilidades similares às de Voldemort. Essa ligação, novamente sem intenção, se tornou mais forte quando Voldemort usou gotas do sangue de Harry para ressuscitar seu próprio corpo.

AnáliseEditar

O personagem de Harry é o protagonist clássico da literatura, conhecido como o “herói épico”. Outros heróis do mesmo tipo são Hércules, Ulysses, Beowulf e outros da mitologia e das fábulas e lendas. O herói épico é tipicamente mortal, mas em geral está relacionado aos deuses ou outros seres divinos imortais. No caso de Harry, seus pais eram bruxos poderosos e poderiam descender diretamente dos Peverells, uma dinastia bruxa ancestral, conectada às Relíquias da Morte (a Elder Wand, a Pedra da Ressurreição e a Capa da Invisibilidade de Harry).

O herói, tipicamente não possui poderes extraordinários, mas tende a ser mais talentoso, corajoso e capaz do que seus iguais. Tradicionalmente, ao herói é confiada uma missão que parece impossível ou uma tarefa que testa sua capacidade de resistir e força moral, e isso ajuda ou beneficia outros, não a si mesmo. Ele precisa confiar em sua própria coragem, moral, inteligência e força para conseguir. Embora Harry tenha habilidades mágicas, isso não o torna diferente de seus colegas ou inimigos, que também são bruxos. Harry precisa se apoiar em sua bravura superior, força e esperteza, assim como procurar ajuda de outros para completar a missão de Dumbledore, de destruir Lord Voldemort e seus Horcruxes. Porque os livros são escritos do ponto de vista de Harry, se sabe mais sobre ele do que sobre qualquer outro personagem.

O tratamento que Harry recebe dos Dursleys era descuidado. Por causa dos constantes insultos e implicâncias do tio Vernon, tia Petunia e do primo Dudley, Harry é tímido e insecuro e tem baixa auto estima embora ele tenha sobrevivido a essa experiência com bastante bom humor. Enquanto os pais mimaram Dudley demais, tornando-o cruel, um implicante egoísta, a falta de atenção para com Harry teve o efeito oposto; ele é carinhoso e compassivo com os outros e tem um conceito de moral muito forte. Quando Hagrid diz a Harry que ele é um bruxo, ele fica durante muito tempo achando que aquilo deve ser um engano.

Harry nunca acreditou na sua fama e nem naqueles que ficam atrás dele para explorar isso. Ele também detesta publicidade, embora mais tarde, na série ele a usa, aproveitando disso para atingir seus objetivos. Muitas vezes Harry é mal compreendido, até porque ele sofreu acontecimentos traumáticas. Alguns alunos de Hogwarts costumam perguntar detalhes excitantes de suas experiências, mas Harry acha que essa turma não está muito interessada nas razões por trás dos fatos. Nos últimos livros, Harry fica cada vez mais irritável, parcialmente pela dificuldade da adolescência, mas também por ser chamado de mentiroso publicamente e ser constantemente espicaçado por informações sobre Lord Voldemort. O quarto e o quinto anos em Hogwarts testam a sua paciência, mas também cimentam seus laços com Ron e Hermione, e também com o diretor Dumbledore.

Já foi dito inúmeras vezes que Harry é muito parecido com seu pai, ele tem os olhos verdes e amendoados de sua mãe. The author has stated a autora afirmou que isso é um fato importante; isso ajudou a convencer o Professor Horace Slughorn a entregar a Harry a lembrança sobre Tom Riddle, que Dumbledore precisava no livro seis. Há mais pra ser revelado indications in other sources sobre os olhos de Harry nos últimos livros. De fato, essa característica física que tanto lembra sua mãe tem um importante papel no último livro da série.

PerguntasEditar

  1. Qual é o tipo de pessoa que Harry considera amigo? Um inimigo? Dê exemplos de cada.
  2. Por que Harry pede ao Chapéu Seletor que não o coloque na Slytherin? Por que o Chapéu aceita seu pedido?
  3. Por que Harry não pediu ao Chapéu Seletor que o colocasse na Gryffindor? Por que o Chapéu escolheu a Gryffindor para ele?
  4. Considerando o histórico da família de Harry, por que o Chapéu Seletor quis colocá-lo na Slytherin?
  5. Por que o Chapéu Seletor deixou Harry recusar a Slytherin? Outros alunos também puderam fazer isso?
  6. Harry compreendeu o papel de Dumbledore na Ordem da Fênix e na guerra contra Lord Voldemort?
  7. Como Harry mudou depois que o retorno de Lord Voldemort foi confirmado e então anunciado ao público do mundo mágico?

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar

Desde que Lord Voldemort retornou Harry se viu confuso em entender como sua vida iria ficar. Praticamente em todo lugar aonde ele vai, algum aspecto do Lord das Trevas e a furiosa guerra bruxa o recepcionam. A vida de Harry tem sido cheia de muita turbulência e mortes trágicas, especialmente durante o quinto e o sexto ano em Hogwarts. Harry perdeu amigos, mentores e família, todos na confusão da guerra que se aproxima. Em muitos casos, Harry não sabe o que fazer, aonde ir ou quem ele irá perder ainda. Quando termina o sexto ano, Harry tira muitas conclusões pensando em seu futuro. Ele sabe que precisa completar aquilo que inocentemente começou com Lord Voldemort muitos anos antes e resolver os muitos mistérios relacionados aos poderes do Lord das Trevas. Ele ou Voldemort, um dos dois tem que derrotar o outro, assim como reza a profecia. No último livro, Harry está prestes a embarcar na missão que é muito mais importante do que tudo o que ele fez nos anos anteriores. Os anos escolares estão quase terminando, se é que ele vai voltar para o sétimo ano, Harry espera ardentemente conseguir responder à pergunta, o quanto é forte o “Garoto que Viveu”?

De acordo com a autora, logo a seguir à derrota de Voldemort, Harry se torna Auror com a idade de 17 anos sob Kingsley Shacklebolt. Mais tarde ele chefia o departamento dos Aurores em 2007. Note que Harry se tornou Auror em 1998, mais ou menos três meses depois que Voldemort morreu; portanto Harry freqüentou apenas por três meses a escola antes de se preparar num treinamento especializado de Aurores. Junto com outras proezas, isso torna Harry o primeiro Auror em séculos a ser aceito sem prestar os exames N.I.E.M.

Similaridades entre Harry e Tom RiddleEditar

Ao ler os sete livros, a gente começa a perceber as similaridades entre Harry e Tom:

  • Ambos foram “abandonados” muito pequenos, tão pequenos que sequer lembram de seus pais.
  • Riddle, o futuro Lord Voldemort nunca conheceu sua mãe. Ele encontrou seu pai apenas para se vingar, matando-o. Harry só lembra vagamente de seus pais, sendo tão novinho quando eles foram mortos que não lembra mais do que vagas imagens e sentimentos fugazes. No entanto ele conseguiu se conectar a eles através de objetos que pertenceram a seu pai, como a Capa da Invisibilidade e o Mapa do Maroto, a carta de sua mãe, velhas fotos, e também com os amigos de seus pais. Ele também encontrou seus espíritos.
  • Ambos os garotos usaram roupas de segunda mão: Harry ganhava as roupas de seu repulsivo primo Dudley (que era muito maior do que ele), e Tom usava roupas muito velhas arranjadas pelo orfanato.
  • Ambos não tinham amigos em criança. Harry era mantido isolado e seu tio e sua tia não permitiam vida social para ele, enquanto Tom expressava seu amargor e sua solidão maltratando os outros órfãos, tão assustados que ficavam distantes dele.
  • Ambos são Parselmouths (bruxos que tem a habilidade de falar com as cobras). Isso é menos uma coincidência do que parece, porque Voldemort transferiu para Harry essa habilidade quando o atacou.
  • O Chapéu Seletor quase colocou Harry na Slytherin, mas Harry pediu para ser colocado em qualquer outra Casa.
  • Ambos os garotos possuiam seguidores. Tom os juntou usando do medo, da intimidação e leves promessas, enquanto muitos alunos ficavam junto de Harry por lealdade e partilhar das mesmas causas, mas também por curiosidade e atração pela fama.
  • Eles também, como visto no livro um, possuiam varinhas irmãs, cada qual contendo uma pena da mesma fênix, que é revelado mais tarde ser de Fawkes, o pet de Dumbledore.
  • Ambos os garotos não sabiam que eram bruxos até a idade de 11 anos, mesmo quando faziam coisas estranhas acontecerem.
  • Dumbledore se preocupou com ambos, Harry e Tom, e os dois sentiram que sua primeira casa era Hogwarts.
  • Ambos adquiriram grande habilidade em DCAT, ainda que por diferentes razões.
  • Ambos eram filhos únicos.
  • Ambos eram mestiços, mas isso só preocupou a Tom Riddle.
  • Todos os dois eram quebradores de regras. Harry claro, se sentia justificado quando fazia coisas como deixar o dormitório depois das horas permitidas, entrar na Floresta Proibida e observar os professores porque acreditava que estava fazendo por um bom motivo. Tom pode ter feito as mesmas coisas, mas por motives escusos e razões egoístas e sem o benefício de uma Capa da Invisibilidade como Harry; enquanto estava na escola, Tom culpou Hagrid pela morte de uma menina, depois partiu para crimes muito piores.

Também há diferenças:

  • Quando foi submetido à seleção, Harry pediu para não ser colocado na Slytherin. Tom Riddle não deve ter feito semelhante pedido, até porque não sabia nada de seus ancestrais.
  • Voldemort nunca teve amigos, apenas seguidores, que o temiam ou esperavam se dar bem. Harry fez muitos amigos, seus colegas de dormitório, a família Weasley e muitos professores, especialmente Hagrid, Remus Lupin, e o verdadeiro Mad-Eye Moody. Eles apóiam Harry porque partilham as mesmas crenças.
  • Enquanto ambos eram mestiços, a mãe de Harry, era bruxa nascida Trouxa, enquanto o “pai” de Lord Voldemort era Trouxa, assim como o de Snape, que, por isso se chama de “O Príncipe Mestiço”.
  • Harry se preocupa com as pessoas a sua volta, ficando até com pena de Draco Malfoy no livro seis. Harry tem a habilidade de amar e ser compassivo, o que o torna mais vulnerável ao sofrimento e à dor, mas também capaz de experimentar profundas amizade e lealdade. Para Voldemort, amor, fidelidade ou compaixão são conceitos desconhecidos e nada bem vindos.