Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Igor Karkaroff


Igor Karkaroff
  • sexo = Masculino
  • cabelos = prateados
  • olhos = desconhecido
  • família = desconhecido
  • lealdade = antigamente a Lord Voldemort

Visão GeralEditar

Igor Karkaroff é o director do Instituto Durmstrang, uma das três maiores escolas de magia da Europa (as outras são Beauxbatons e Hogwarts)

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O Cálice de FogoEditar

Encontramos Igor Karkaroff pela primeira vez, quando os representantes do Instituto Durmstrang chegam a Hogwarts para participar do Torneio Tribruxo. Após desembarcarem de seu navio, que apareceu no lago, Karkaroff cumprimenta Dumbledore muito educadamente, mas seu sorriso não chega aos olhos, que permanecem frios e observadores. Ele pergunta se podem entrar imediatamente porque um de seus alunos, Viktor, parece estar pegando uma gripe. Quando eles saem após o jantar, Karkaroff encontra de súbito com Harry. Ele evidentemente fica surpreso ao perceber quem era o garoto e para na repentinamente na frente da porta, de modo que ninguém pode passar. Quem quebra essa situação, é Olho-Tonto Moody, a quem Karkaroff conhece muito bem; eles não gostam nada um do outro, e Karkaroff parece ter um certo medo de Alastor Moody.

Quando o nome de Harry é sorteado pelo Cálice de Fogo como o quarto Campeão, Karkaroff fica irado, diz que tanto Durmstrang quanto Beauxbatons devem poder colocar outros nomes, até que todas as escolas tenham dois Campeões, ou ele vai se retirar do Torneio com toda a sua escola. Moody novamente o interrompe, dizendo que Harry pode competir da mesma forma que Viktor Krum, o Campeão de Durmstrang; e que Ludo Bagman, um dos dois juízes do Ministério avisa que o Cálice foi apagado e só será ativado novamente no próximo Torneio.

Harry escuta Karkaroff conversando com Snape no Jardim das Rosas, no Baile de Inverno. Karkaroff diz que as coisas estão ficando mais sombrias, de maneira mais evidente, e Snape pergunta se ele planeja fugir. Karkaroff não responde diretamente, mas pergunta os planos de Snape. Snape diz que não tem nada a temer. Harry fica imaginando como Snape e Karkaroff se tratam pelos nomes de batismo (tradicionalmente no Reino Unido você não usa o nome de batismo da pessoa até que tenha uma certa intimidade. Durante esses livros pode observar que as pessoas se dirigem às outras em conversas pessoais usando apenas o sobrenome, o que é bem comum os professores usarem com os alunos, e até mesmo entre os próprios professores. Parece que no mundo mágico eles mantiveram essa tradição, mesmo que hoje em dia possa ser usada comumente ou não.)

Karkaroff um dia aparece na aula de Poções de Harry, aparentemente tentando acuar Snape, que ele acredita o estar evitando. Harry então entorna um pouco de bile de tatu de modo a ter uma desculpa para ficar até mais tarde e ouvir. Assim que os outros alunos saem, Karkaroff indica algo no seu antebraço e diz que está ficando mais distinta. Snape percebe Harry e o manda embora antes que possa ouvir algo mais.

Quando Harry olha na Penseira, a primeira das lembranças de Dumbledore que Harry observa é Karkaroff tentando barganhar para não ir para Azkaban. Ante o Wizengamot (tribunal) completo, ele nomeia diversas pessoas como Comensais da Morte (delação premiada): Travers, que ele também acusa da morte de Marlene McKinnon e sua família, Mulciber e Antonin Dolohov e, de cada vez é dito a ele que o Wizengamot já prendeu essas pessoas. Ele também nomeia Severus Snape, embora Dumbledore refute dizendo que Snape se virou contra os Comensais da Morte antes da queda de Voldemort. Ele também nomeia Augustus Rookwood, o primeiro nome que o Wizengamot não sabia.

Voldemort, ao retornar, convoca seus Comensais da Morte. Embora não tenha sido nomeado, acreditamos que Karkaroff é um dos que abandonaram seu mestre e precise ser removido. Quando Harry retorna a Hogwarts Karkaroff não está em lugar nenhum. Ron pergunta como os alunos de Durmstrang vão voltar para a escola se Karkaroff sumiu e Viktor Krum responde que os alunos é que praticamente trouxeram o barco até Hogwarts então saberão levá-lo de volta.

O Enigma do PríncipeEditar

No aniversário de Harry ouvimos que o corpo de Igor Karkaroff foi encontrado numa choupana no Norte, com a Marca Negra flutuando sobre ela.

As Relíquias da MorteEditar

No capitulo 33 do último livro (as lembranças de Snape), descobrimos que Karkaroff já planejava fugir se Voldemort voltasse, ele falou isso no Natal do quarto ano de Harry, o ano do Torneio Tribruxo, e que Snape passou essa informação para Dumbledore.

Pontos FortesEditar

Ele é muito habilidoso nas Artes Negras e as ensina a seus alunos, diretamente ou instruindo aos professores para fazê-lo. Ele entrega evidencias corretas em sua audiência, os nomes de vários Comensais da Morte, mas não parece fazer isso por ser correto e sim por medo.

Pontos FracosEditar

Karkaroff seria uma pessoa muito pouco confiável em qualquer circunstãncia. Nós vemos, na Penseira de Dumbledore, seu desejo profundo de minimizar suas possíveis penas, entregando os outros Comensais da Morte. Podemos ver que ele não acredita que vai escapar quando Voldemort anunciar seu retorno, seja de Voldemort ou dos Comensais que ele entregou. Sua fuga quando Voldemort anuncia seu retorno não é surpresa para nós, uma vez que a conversa que ouvimos no Jardim das Rosas, no Baile de Inverno mostra seu medo e como Snape espera que ele reaja. Também notamos que Karkaroff é preconceituoso com relação à sua própria escola e a determinados alunos. Parece que o único aluno que Karkaroff acredita ter chance no Torneio é “Viktor” e que os outros estão presentes apenas para fazer número e manter as aparências. Isso, sem dúvida o deixaria completamente despreparado caso o Cálice de Fogo escolhesse outro candidato. Além de tudo ele é covarde, especialmente, como vemos no final do livro quatro, quando ele foge ao saber que Voldemort retornou. Karkaroff também desconfia de todo mundo. Ele impede Krum de dizer onde fica Durmstrang, quando Krum está conversando com Hermione. Isso prova que ele tem coisas a esconder. Também pode ser porque ele não quer que ninguém saiba onde ele está no caso do retorno de Voldemort. Também pode ser parte do mesmo tipo de mistério que mantém Hogwarts escondida durante os últimos milhares de anos.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Karkaroff e Severus Snape foram Comensais da Morte juntos na primeira ascensão de Voldemort ao poder. Apesar do testemunho de Dumbledore que Snape está trabalhando do lado do Ministério, Karkaroff continua a acreditar nele, o procurando para se aconselhar quando a Marca Negra começa a reaparecer, no livro quatro. O conselho de Snape parece não servir de nada, uma vez que , ficamos sabendo que Karkaroff já havia planejado no início de dezembro, fugir se Voldemort retornasse; e foi o que ele fez, fugiu quando Voldemort retornou em junho.

Ele tem um aluno preferido em Durmstrang: Viktor Krum. Karkaroff está confiante em que o Campeão da Durmstrang vai vencer o Torneio Tribruxo, e parece gostar dele mais do que de qualquer outro aluno. Igor também parece conversar amigavelmente com os diretores das outras escolas, Madame Maxime e Albus Dumbledore, conversas em que ele parece esconder sua ligação com as forças do mal. Dumbledore tendo estado presente em seu julgamento anos atrás, conhece bem a verdadeira ligação de Karkaroff.

AnáliseEditar

Karkaroff é um personagem muito pouco delineado. Desde sua primeira aparição, ele é cauteloso, revela muito pouco de si mesmo, é cuidadoso e medroso. Dos comentários de Moody sabemos que ele foi um Comensal da Morte na primeira ascensão de Voldemort; na Penseira de Dumbledore vemos que não apenas ele foi condenado por ser um Comensal da Morte, mas estava em alto nível no grupo, tanto que sabia os nomes dos outros Comensais e estava disposto a traí-los em troca de uma sentença menor. Essas duas coisas juntas, explicam sua extrema cautela; tendo traído seus colegas Comensais da Morte, sua vida só estaria a salvo se os poderes do Ministério permanecessem intocados. Se Voldemort recuperasse o poder, haveria pouca chance dele sobreviver.

Essa é a provável causa de Karkaroff ser um dos poucos personagens que, na série, permanecem em duas dimensões. Claramente ele não pode deixar outros personagens conhecerem seus pensamentos mais secretos, porque revelá-los pode ser sua perda. Como resultado ele não pode se revelar para o leitor também. Tudo o que sabemos sobre Karkaroff é que ele protege apenas um aluno, Viktor Krum; que ele é covarde e não pensa outra vez ao trair os outros em troca de algo que quer; e que teme por sua vida, e planeja fugir, se Voldemort voltar.

PerguntasEditar

  1. Karkaroff é leal a quem? Ele ainda é leal aos Comensais da Morte ou retornou ao lado do bem, como os Malfoys disseram fazer? Ou haveria uma terceira alternativa? O que a morte dele pelas mãos dos retornados Comensais da Morte sugere?

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar

Durante as cenas em O Cálice de Fogo, onde Karkaroff e Snape são vistos conversando, nós partilhamos a impressão de Harry de que Snape é um Comensal da Morte; nós já sabíamos que Karkaroff havia sido, primeiro por causa das revelações de Sirius e mais tarde pela cena que Harry vê na Penseira de Dumbledore. O leitor pode imaginar por que Karkaroff resolve contar suas preocupações a Snape, uma vez que ele estava presente quando Dumbledore afirmou que Snape estava trabalhando contra Voldemort. Certamente é por causa disso que Karkaroff discute a Marca Negra com Snape; ele acredita que Snape também traiu Voldemort, ou estava em posição de traí-lo, antes da queda de Voldemort, assim como Karkaroff traiu os seguidores de Voldemort depois. Ambos sabem que, caso Voldemort retorne, essa traição será fatal. Karkaroff acredita que ele e Snape são refugiados da organização de Voldemort e podem resolver juntos o que fazer, no caso das evidências da força de Voldemort aumentar. Karkaroff parece espantado porque Snape não tem medo dessa perspectiva, uma falta de medo que só mais tarde vamos compreender, ser o resultado da confiança de Snape em sua habilidade de iludir Voldemort assim como de estar certo de sua própria lealdade a Dumbledore.