Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Mundungus Fletcher


Mundungus Fletcher
  • sexo = masculino
  • cabelos = ruivos
  • olhos = castanhos
  • família = desconhecido
  • lealdade = Dinheiro, galeões.

Visão GeralEditar

Mundungus Fletcher é um habitante do submundo mágico, vendedor de artigos roubados e substâncias controladas.

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Câmara SecretaEditar

Quando Arthur Weasley volta para casa do trabalho, e está comentando sobre seu dia, ele fala que teve um atrito com Mundungus Fletcher, e que Mundungus havia tentado azará-lo quando ele estava de costas.

O Cálice de FogoEditar

É mencionado que Mundungus Fletcher pediu uma indenização absurda de alta, pelos danos depois da confusão na Copa do Mundo de Quadribol.

Quando Dumbledore descobre que Lord Voldemort voltou, ele manda Sirius alertar a “velha turma”, nomeando especificamente, Remus Lupin, Arabella Figg e Mundungus Fletcher.

A Ordem da FênixEditar

Mundungus é colocado como guardião de Harry, posto que ele abandona, para correr atrás de um negócio de caldeirões que “caíram da traseira de uma vassoura”. Mundungus reaparece depois do ataque do dementador, e é castigado (tanto verbalmente, como apanha com uma bolsa cheia de latas de comida de gato) por Mrs. Figg, que avisa a ele para falar com Dumbledore.

Nós o vemos novamente, na mesa da cozinha no quartel general da Ordem da Fênix, da qual ele evidentemente faz parte. Ele está cochilando sobre a mesa; quando acordado, resmunga que concorda com Sirius. Esse é, aparentemente, o limite de seu envolvimento, o que o torna totalmente inefetivo como parte do conselho. No jantar, ele conta uma história a respeito de vender um monte de sapos, para uma criatura do submundo, a graça da história é que os sapos que ele estava vendendo, eram da própria criatura, que ele havia roubado; Molly lhe dá uma bronca, e ele diz que ficou tudo bem, porque o outro homem também os havia roubado.

Ele arranja confusão com Molly, quando tenta guardar seus caldeirões roubados no quartel general. Ele também consegue uma série de ingredientes mágicos controlados para Fred e George, que eles precisam para a loja de logros.

Quando acontece o primeiro encontro da Armada de Dumbledore no Cabeça de Javali, Mundungus está presente, sem Harry saber, e conta tudo para a Ordem. Quando Sirius revela isso para Harry, diz que Mundungus estava disfarçado de bruxa, com um véu pesado, até porque ele já havia sido barrado no Cabeça de Javali, Sirius admite que ele estava seguindo Harry.

Mundungus, de alguma forma, encontra um carro para levar a família Weasley até St. Mungo, para visitar Arthur, que havia sido ferido. Não sabemos aonde ele arranjou o carro, nem mesmo sabemos aonde ele o deixou após deixar a família no hospital, também não sabemos como a família retornou ao quartel general.

O Enigma do PríncipeEditar

Aparentemente, desde a morte de Sirius, Mundungus tem roubado coisas de dentro do quartel general da Ordem, e as tem vendido. Harry o pega de surpresa em Hogsmeade, tentando vender a prataria da família Black para o barman do Cabeça de Javali (Aberforth), onde Mundungus foi se esconder. Mais tarde, é dito que Mundungus foi mandado para Azkaban, por fingir ser um Inferius.

As Relíquias da MorteEditar

Mundungus, agora livre de Azkaban, é chamado para ser um dos sete Potters, quando Harry foge da casa dos Dursleys. Ele não quer aceitar, com medo de se tornar um alvo. Montado numa vassoura atrás de Moody, ele fica apavorado e desaparata, deixando Moody a descoberto para ser atingido pela Maldição da Morte, que havia sido dirigida a Mundungus por Voldemort.

Os outros membros da Ordem, discutindo como Voldemort soube quando Harry sairia da casa dos Dursleys, chegam a conclusão que foi Mundungus quem entregou tudo. No entanto eles lembram que foi Mundungus quem sugeriu os seis falsos Potters, e essa era a única parte do plano que Voldemort não esperava.

Depois que chegam a Grimmauld Place, e descobrem a identidade de R.A.B., Hermione lembra, do “medalhão pesado que ninguém conseguiu abrir”. Lembrando também que Monstro, estava tirando do lixo, as coisas que eles jogavam fora. O Trio procura no local onde Monstro dormia, sem sucesso, então Harry chama Monstro. O elfo doméstico diz que o medalhão foi uma missão que ele não conseguiu cumprir, seu trabalho era destruí-lo, mas ele não conseguiu. Ele completa, contando que Mundungus roubou o medalhão dele. Harry coloca Monstro do seu lado, contando que eles estão planejando destruir o medalhão, e dando a Monstro outro, que havia sido do seu mestre. Assim, Harry manda Monstro achar Mundungus. Quando Mundungus chega, alguns dias depois, sob ameaças de Monstro, ele admite ter pegado o medalhão, mas o medalhão foi tomado dele por Dolores Umbridge.

No Cabeça de Javali, Harry vê um espelho mágico, gêmeo daquele que Sirius lhe deu. O barman diz que foi vendido para ele por Mundungus, e que ele o tem usado de vez em quando, para ficar de olho no que Harry anda fazendo.

Quando Harry revive as lembranças de Severus Snape, ele vê o retrato de Dumbledore conversando com Snape, desenvolvendo o plano dos vários Potters, para permitir a fuga de Harry da casa dos Dursleys. Dumbledore diz que essa é a única chance de Harry de escapar, e que Snape deve dar a Voldemort a verdadeira data da saída de Harry para ficar no conselho principal de Voldemort, e sugere que Mundungus deveria comentar isso com o pessoal da Ordem. Mais tarde, vemos a lembrança de Snape, num pub, contando esse plano para um Mundungus sob o feitiço Confundus.

Pontos FortesEditar

Mundungus com certeza, tem habilidades mágicas ligadas a dissimulação e fuga, e ele é capaz de dominar Monstro, para poder roubar os valores de Grimmauld Place. Além disso ele consegue se esconder de Monstro por vários dias, Monstro diz a Harry que Mundungus é muito cheio de truques.

Pontos FracosEditar

Mundungus é um ladrão e está preocupado com seu bem estar antes de tudo. Embora seja leal à Ordem e a Dumbledore, suas atividades criminosas, e seus interesses pessoais fazem com que não seja digno de confiança.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Mundungus tem diversos hábitos desagradáveis, incluindo uma preferência por um tipo de tabaco para o cachimbo, que cheira como meias queimadas. Ele também não tem nenhum senso de ética, de respeito pela propriedade alheia e pelas leis comerciais, o que o torna muito pouco popular entre os mais rigorosos membros da Ordem. Molly Weasley parece aceitá-lo na Ordem, apenas porque assim Dumbledore quer; os outros membros da Ordem se divertem com ele, mas ainda assim não confiam nele.

O próprio Mundungus, respeita Dumbledore, e entrou para a Ordem a pedido de Dumbledore. Dumbledore acha que a Ordem precisa saber o que anda ocorrendo no submundo, e para isso é necessário alguém inserido na sua população.

AnáliseEditar

O mundo real não é composto apenas por heróis, vilões e o povo comum; além de todos do lado do bem, e todos do lado do mal, existem aqueles nas margens, que não se importam com quem está no poder, mas simplesmente fazem o que precisam para sobreviver, sem nenhuma preocupação pela legalidade ou ética, além do que são obrigados a ter. Num mundo totalmente imaginário como o de Harry Potter, com certeza deveríamos encontrar um submundo similar. Mundungus Fletcher é o único representante dessa classe que aparece nos livros, embora, claramente, através da história vemos que ele não é o único nesse grupo. Pode ser curioso que as muitas histórias que ouvimos sobre o submundo, acabem envolvendo Fletcher, mas devemos ter em mente que, dentro da limitada população do mundo mágico, há relativamente poucos habitantes que vivem à margem.

Fletcher, é claro, é importante para o sucesso dos gêmeos nos negócios. No primeiro livro, descobrimos que alguns itens mágicos não são vendidos, especialmente ovos de dragão. Os ovos de dragão são mercadorias proibidas, apesar das qualidades úteis dos dragões e dos produtos dos dragões (como visto pelo alto custo do fígado de dragão no Apothecary no Beco Diagonal), no primeiro livro da série. No mesmo livro, Dumbledore menciona “Os Doze Usos do Sangue de Dragão”, claramente, há muitos outros usos importantes, mas são itens mágicos proibidos. Fred e George estão experimentando novos campos na magia, e eles vão precisar de ingredientes proibidos e também equipamentos para poder criar novas poções, feitiços e objetos que planejam vender. A única fonte onde encontrarão esses itens serão as lojas da Travessa do Tranco, que parecem mais apropriadas aos bruxos das artes negras, ou Fletcher e os outros de sua laia. Acreditamos que os gêmeos, eventualmente, possam visitar a Travessa do Tranco a procura de ingredientes, mas Fletcher é melhor para fornecer a eles mais barato, em especial as pequenas quantidades que eles vão precisar no inicio. E Fletcher é aceito de forma relutante como um associado dos gêmeos, através da Ordem da Fênix, o que é um ponto crítico, uma vez que eles têm 17 anos e estão sob a tutela de sua mãe.

Também é importante recordar que, se não fosse Mundungus, a missão de Harry teria terminado prematuramente. Foi através dele que Aberforth Dumbledore conseguiu o espelho mágico, que o ajudou na fuga de Harry da Mansão Malfoy. Se Mundungus não tivesse roubado o dito espelho, dificilmente Harry teria escapado.

PerguntasEditar

  1. Por que Mundungus se tornou membro da Ordem da Fênix?

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar