Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Neville Longbottom


Neville Longbottom
  • sexo = masculino
  • cabelos = desconhecido
  • olhos = desconhecido
  • família = Frank Longbottom, pai
    Alice Longbottom, mãe
    Augusta Longbottom, avó
  • lealdade = Albus Dumbledore

Visão GeralEditar

Neville Longbottom é aluno da Gryffindor e está no mesmo ano que Harry. De fato eles nasceram com um dia de diferença, Neville nasceu dia 30 de julho e Harry em 31 de julho. Este é um elemento crucial da trama e liga os dois, significativamente. Junto com seus colegas de classe Hermione e Ron, Neville lutou na batalha contra o Voldemort em Hogwarts. Ele vive com sua avó, que o criou desde que ele era muito pequeno.

Apesar de ter nascido numa família de bruxos poderosos, o pequeno Neville não parecia ter herdado nem um pouquinho de habilidade mágica. Ele aparentemente, não mostrava nem pequenas explosões de magia, apesar das várias tentativas de sua avó e de seus tios para forçá-lo. Por esse motivo, sua avó e outros parentes tinham medo de que ele fosse um Aborto (um bruxo que não consegue fazer magia). Ele também sofria de péssima memória, embora não esteja claro o motivo. No entanto, sob a influência de Harry, suas habilidades mágicas se desenvolveram até um ponto, em que ele se tornou um membro muito valioso para Harry e seus amigos na Armada de Dumbledore. Sua memória, aparentemente também melhorou.


Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Pedra FilosofalEditar

Neville é visto pela primeira vez na plataforma, esperando o Expresso de Hogwarts, ele está dizendo a uma senhora que está usando um chapéu com um urubu empalhado, que seu sapo de estimação (seu pet) sumiu. A bordo do trem, Neville vai ao compartimento onde estão Harry e Ron, para perguntar por Trevor. Logo descobrimos que Neville também pediu ajuda a Hermione para procurar; mesmo com sua ajuda, no entanto, a busca de Neville não resulta em nada. Assim que o trem chega em Hogwarts, os estudantes do primeiro ano são enfileirados do lado de fora do trem, e são levados até pequenos barcos que os atravessam pelo lago, até o castelo. Hagrid pergunta de quem é, o sapo que ele encontrou; Neville logo reconhece Trevor.

Na Festa de Boas Vindas, Neville é escolhido para a Casa Gryffindor. Harry repara que o Chapéu leva um bom tempo até decidir que Neville iria para a Gryffindor. Durante a festa, ouvimos que a avó de Neville ficou muito feliz, quando Neville recebeu a carta de Hogwarts. A família tinha medo que Neville não conseguisse fazer magia, e já tinha feito todo tipo de coisas com ele, para provar que ele podia usar magia.

Logo, logo, o Professor Snape começa a perseguir sem tréguas os alunos da Gryffindor, especialmente Neville e Harry. Quando Neville derrete o caldeirão que dividia com Seamus, Snape afirma que Harry também é responsável e o penaliza.

A avó de Neville manda um Lembrol para ele, e Draco tenta pegar dele. Harry e Ron partem em defesa de Neville e a Professora McGonagall também aparece, Draco sentindo que estava perdendo vai embora. As Casas Slytherin e Gryffindor tem lições de vôo com Madam Hooch. Neville não consegue controlar sua vassoura, ele cai e fratura o pulso, então é levado até a ala hospitalar. Na ausência de Madam Hooch, Draco vê o Lembrol caído no chão e decide escondê-lo em cima de uma árvore. Harry monta em sua vassoura e sai a caça de Draco, quando Draco joga o Lembrol, Harry o pega no ar. A Professora McGonagall, vendo aquilo chama Harry para o time de Quadribol da Gryffindor.

Harry e Ron vão até a Sala de Troféus para ter um duelo com Draco. Hermione os segue, tentando fazer com que desistam, mas descobre, quando tenta voltar à Sala Comunal, que a Mulher Gorda não está dentro do quadro, e que ela está presa do lado de fora. Então decide acompanhar os dois amigos até a Sala de Troféus. No caminho, eles descobrem Neville dormindo no corredor porque esqueceu a senha. Assim, vão os quatro à Sala de Troféus, mas Draco não aparece; ao invés, quem chega é Filch, tendo sido avisado que algum aluno estaria lá. Quando o grupo tenta fugir, Neville dá um encontrão numa armadura, mas eles enganam Filch e Pirraça, apenas para descobrir que estão num lugar junto com um cão imenso, com três cabeças. Com medo do cachorro, os quatro fogem e retornam sãos e salvos à Torre da Gryffindor.

Algum tempo depois, Neville entra na Sala Comunal da Gryffindor, com as pernas imobilizadas pelo feitiço das pernas presas que Draco conjurou. Hermione o liberta e Harry dá a Neville um Sapo de Chocolate. Neville entrega a Harry, a figurinha de Dumbledore que veio no pacote. A figurinha dá a Harry uma pista importante sobre Nicolas Flamel e a Pedra Filosofal, que Harry acredita, Snape está tentando roubar para Voldemort.

Draco descobre o plano para os amigos de Charlie Weasley levarem o bebê dragão de Hagrid, Norbert, para a Romênia. Neville ouve Draco se gabando que vai pegar Harry e Hermione na hora, e corre para avisá-los, mas a Professora McGonagall o pega fora da Torre da Gryffindor depois da hora. Harry e Hermione são parados por Filch e trazidos à presença de McGonagall, junto com Neville. Ela acha que os três estavam conspirando para criar problemas para Draco e penaliza cada um com 50 pontos além de dar um castigo. Draco, que tinha sido pego mais cedo, também fica de castigo.

O castigo é ajudar Hagrid na Floresta Proibida. Alguma coisa está ferindo e matando os Unicórnios, e os quatro alunos estão na pista de um, machucado. Draco e Neville, a principio, tinham que andar juntos, mas Draco assusta Neville. Hagrid então, refaz os grupos colocando Harry com Draco e Canino, e no outro grupo ele mesmo, Hermione e Neville.

Quando Neville descobre o plano do Trio para evitar que a Pedra Filosofal seja roubada e dada a Voldemort, ele tenta intervir, dizendo que eles já tinham perdido pontos demais da Casa. Hermione relutante, imobiliza Neville.

Na Festa de Encerramento, Dumbledore dá a Neville 10 pontos por ter tido coragem de enfrentar seus amigos. Essa é a primeira vez que Neville ganha pontos por qualquer coisa, e eles ganham a Taça para Casa Gryffindor. Finalmente, vamos lembrar que embora Neville fosse péssimo em Poções, ele passou nos seus exames.

A Câmara SecretaEditar

A Câmara Secreta foi aberta. Logo começa a falação sobre qual será o monstro, que mora dentro da Câmara e está atacando os nascidos Trouxas, aqueles que não descendem de bruxos. Quando aparecem amuletos protetores falsos, Neville compra alguns. Embora seja descendente de família bruxa antiga, Neville tem medo, que sua fraqueza em magia o torne praticamente um Aborto, e o monstro, parece que ia atacar Filch, petrificando sua gata.

No Clube dos Duelos do Professor Lockhart, Neville, inicialmente estava em dupla com Justin Finch-Fletchley. Depois a coisa desanda, Lockhart sugere que apenas uma dupla possa competir de cada vez, enquanto o resto observa. Ele escolhe Neville e Justin, mas Snape impede, afirmando que Neville cria confusão com cada movimento da varinha. Snape sugere que a demonstração seja feita por Harry e Draco.

O Prisioneiro de AzkabanEditar

Depois de inflar acidentalmente tia Marge, Harry abandona, furioso, a casa dos Dursley. Enquanto pensa no que vai fazer, sem querer, Harry chama o Nôitebus. O condutor pergunta seu nome e Harry, com medo que o Ministério possa estar atrás dele, diz que se chama Neville Longbottom. Quando chega ao Caldeirão Furado, Cornelius Fudge, o Ministro da Magia o reconhece. No Beco Diagonal, Harry vê Neville com sua avó, que está brigando com ele porque esqueceu sua lista de livros.

No Expresso de Hogwarts, Neville e Ginny vão até o compartimento de Harry. Um dementador entrou no trem, e entra no compartimento, fazendo Harry desmaiar. Mais tarde, Draco ouve Neville comentando o incidente e implica com Harry impiedosamente.

Na aula de Adivinhação, a Professora Trelawney pede a Neville para pegar as xícaras, predizendo que ele vai quebrar pelo menos uma. Ele quebra duas.

Na aula de Snape, a poção de Neville está uma droga, Snape proíbe Hermione de ajudá-lo. Quando a aula termina, a poção de Neville está razoavelmente certa, mas Snape acredita que Hermione o ajudou (sem provas, mas corretamente) e a penaliza com cinco pontos.

Durante a aula de DCAT o Professor Lupin ensina aos alunos como combater um bicho-papão, usando o feitiço Riddikulus. Depois que Snape fez outro comentário cruel sobre as habilidades de Neville com a varinha, Lupin pede que Neville seja o primeiro a demonstrar. O feitiço obriga o bicho-papão a assumir a forma que o bruxo imagina. O maior medo de Neville é Snape, então Lupin sugere que ele imagine Snape usando as roupas de sua avó. O Professor Lupin diz que é a gargalhada que destrói o bicho-papão, portanto o feitiço funciona, obrigando o bicho-papão a ficar de uma maneira ridícula. Quando “Snape” sai do armário, Neville o transforma com sucesso, na figura do Professor Snape usando as roupas de Mrs. Longbottom (inclusive o chapéu com urubu). Quando o verdadeiro Snape ouve que Neville fez o bicho-papão assumir sua figura, e como sua imagem foi mudada pelo feitiço, ele maltrata Neville na aula de poções, sem piedade.

Quando Sirius Black invade o castelo no Halloween, a Mulher Gorda não permite que ele entre na Sala Comunal da Gryffindor. Black então faz talhos na tela, aterrorizando a Mulher Gorda. Sir Cadogan então, toma conta da entrada, mas troca a senha diversas vezes ao dia. Neville que não consegue decorar as senhas, escreve a lista inteira. Pouco antes da Páscoa, Harry encontra Neville tentando convencer Sir Cadogan a deixá-lo entrar na Sala Comunal; parece que Neville perdeu a lista das senhas. Depois que Sirius invade Hogwarts novamente, Sir Cadogan afirma orgulhosamente que deixou um homem entrar na Torre da Gryffindor, porque ele tinha a senha; ele tinha todas elas numa lista. A Professora McGonagall fica furiosa ao saber que alguém escreveu as senhas, e pergunta quem foi estúpido o suficiente para deixar a lista em qualquer lugar. Neville envergonhado admite que foi ele. Como castigo, ele não poderá ir aos próximos fins de semanas em Hogsmeade, recebe castigo e não poderá mais saber as senhas. Ele terá que esperar alguém entrar ou sair da Torre da Gryffindor para que ele possa entrar. Ele também recebe um berrador de sua avó.

Sem permissão de um responsável para visitar Hogsmeade, Harry pretende usar a passagem secreta revelada no Mapa do Maroto, e enquanto se esconde sob a Capa da Invisibilidade, acompanhar Ron. Neville chateado, mas contente porque Harry também não poderá ir a Hogsmeade, quase impede Harry de entrar na passagem secreta.

Nas férias de Páscoa, Neville parece esgotado, como outros terceiranistas, ele recebeu montes de tarefas para fazer antes que as férias de Páscoa terminem. Na Casa dos Gritos, Sirius Black revela que foi o gato de Hermione, Bichento que roubou a lista das senhas para ele.

O Cálice de FogoEditar

A bordo do Expresso de Hogwarts, Neville fica com inveja porque Harry e Ron foram à Copa do Mundo de Quadribol; sua avó não quis comprar os ingressos. Quando Ron mostra sua figurinha de Viktor Krum, Neville observa hipnotizado enquanto ele anda para trás e para frente na mão de Ron.

Na aula de DCAT, o Professor Moody pede aos alunos que nomeiem as Maldições Imperdoáveis. Neville timidamente menciona a Maldição Cruciatus. Depois da aula, Neville profundamente abalado por algo durante a demonstração de Moody, é convidado por ele para tomar chá. De volta ao dormitório, Neville mostra um livro, “Plantas Mágicas Aquáticas do Mediterrâneo e Suas Propriedades” que Moody lhe deu de presente. Neville parece animado, tanto pelo livro, quanto porque Moody comentou que a Professora Sprout disse que ele é muito bom em Herbologia.

Quando Harry abre o Ovo de Ouro para resolver o enigma da Segunda Tarefa, ele emite um som agudo e alto. Neville, aterrorizado, acha que o som parece de alguém sendo torturado.

Neville convida Hermione para o Baile de Inverno, mas ela já tem compromisso. Quando Ron diz a Ginny para ir com Harry, ela diz que já se comprometeu com Neville. No Baile, Harry repara que Neville dançando, é pior do que ele próprio; parece que ele está pisando nos pés de Ginny o tempo todo.

Quando é deixado sozinho no escritório de Dumbledore, Harry descobre a Penseira. Ela contém as lembranças de Dumbledore, incluindo uma do julgamento no Wizengamot. Quatro Comensais da Morte, Bellatrix Lestrange, Rabastan Lestrange, Rodolphus Lestrange e Barty Crouch Jr. estão sendo julgados por torturar Frank e Alice Longbottom até a insanidade, tentando extrair informações deles sobre Voldemort. Os Longbottoms, pais de Neville, ficaram dementes, sem cura, e agora vivem permanentemente no Hospital St. Mungo. Desde então, Neville foi criado por sua avó. Dumbledore pede a Harry que nunca mencione isso para Ron e Hermione; esse é um segredo que pertence a Neville se quiser revelar.

Depois de retornar do duelo no cemitério com Voldemort, Harry é levado por Moody, que se gaba de ter amaciado o caminho de Harry através do Torneio Tribruxo, assim conseguindo levá-lo até Voldemort. O livro que ele deu a Neville, continha informações sobre o Guelricho e Moody esperava que Harry consultasse Neville antes da Segunda Tarefa. Como Harry não o fez, Moody comentou sobre os efeitos do Guelricho onde Dobby poderia ouvir, e Dobby levou a informação para Harry.

A Ordem da FênixEditar

O Expresso de Hogwarts estava lotado, Ginny leva Harry e Neville até o compartimento onde está Luna Lovegood, sozinha. Neville mostra a Harry seu presente de aniversário, uma rara planta, Mimbulus Mimbletonia. Quando ele espeta a planta, seu mecanismo de defesa espirra um líquido verde-escuro, pegajoso e malcheiroso que se espalha em todo canto. Nesse momento Cho Chang chega para falar oi para Harry. Depois de um momento muito estranho, Cho vai embora; Ginny limpa a gosma que sujou a todos.

Depois da Festa de Boas Vindas, os novos monitores Hermione e Ron, foram levando os alunos da primeira série até a Torre da Gryffindor, e ainda não voltaram. Neville, no entanto, sabe a senha ("Mimbulus Mimbletonia") para entrar. Harry descobre que a mãe de Seamus quase o proibiu de voltar para Hogwarts, depois que o Profeta Diário manchou a reputação de Harry e de Dumbledore. Neville defende Harry, dizendo que sua avó acredita em Dumbledore; Dean fica neutro. Todos ficam tensos até que Ron chega, acalmando a situação usando seus poderes de monitor.

Neville é um dos membros da Armada de Dumbledore, e vai ao primeiro encontro do grupo, no Cabeça de Javali, durante o primeiro fim de semana de Hogsmeade. Quando Zacharias Smith duvida da experiência de Harry, Neville e os outros saem em sua defesa.

Quando a Professora Umbridge proíbe a reunião de todos os grupos formados de alunos, Neville está entre os Gryffindors a quem Harry e Hermione asseguram que a AD vai continuar a se reunir de qualquer maneira, ainda que em segredo.

Mais tarde, esperando para entrar na aula de Poções, Draco zomba de Harry por causa das afirmações do Profeta Diário, de que Harry sofre de problemas mentais. Quando Draco, arrogante, diz que pessoas que sofrem de problemas mentais, deveriam estar internadas em St. Mungo, Neville ofendido, pula para atacar Draco; Harry e Ron seguram Neville. O Professor Snape chega e penaliza a Gryffindor pela briga. Harry, sabendo sobre os pais de Neville, compreende porque Neville atacou Draco, mas nada pode contar para Ron, que fica imaginando o que causou a explosão de Neville.

No primeiro encontro da Armada de Dumbledore na Sala Precisa, Neville se dedica e consegue usar o feitiço Expelliarmus direito. Harry sai e deixa Neville treinando com Ron e Hermione.

Na aula do Trato das Criaturas Mágicas, de Hagrid, a turma aprende sobre os Thestrals. Apenas três alunos conseguem vê-los: Harry, Neville e (Theodore Nott) um aluno da Slytherin. Hagrid explica que, apenas aqueles que viram a morte podem ver as criaturas.

No Natal, ao visitar Mr. Weasley no Hospital St. Mungo, Harry, Ron, Hermione e Ginny encontram Neville e sua avó, que lá estão para visitar os pais de Neville, Frank e Alice. Harry já sabia que os antigos Aurores e membros da Ordem da Fênix, foram torturados até enlouquecerem pelos Comensais da Morte. Agora eles estão internados permanentemente no St. Mungo. Neville fica envergonhado porque seus colegas, agora sabem sobre seus pais, embora Mrs. Longbottom diga que Neville deveria estar orgulhoso como seus pais lutaram contra seus atacantes. Depois que Neville e sua avó partem, Harry admite que já sabia o segredo de Neville, mas Dumbledore pediu que nunca contasse para ninguém.

Depois do Natal, há uma fuga em massa de Comensais da Morte da prisão de Azkaban. Entre os fugitivos está Bellatrix. Harry espera que Neville reaja com medo, ao ouvir que os Comensais da Morte que torturaram seus pais estão livres; ao invés disso, a notícia faz com que ele se dedique mais ainda na Armada de Dumbledore. Apenas Hermione consegue fazer o feitiço Escudo mais rápido do que Neville.

Harry se preocupa se fez a coisa certa ao ser entrevistado pelo Pasquim, sobre o retorno de Voldemort. Neville, Dean e Seamus asseguram que ele fez muito bem, e disseram que era preciso muita coragem para fazer aquilo.

Neville continua trabalhando duro na Armada de Dumbledore, melhorando cada vez mais em cada feitiço. Quando Harry estava pensando sobre o progresso de Neville, Dobby aparece avisando que a Armada foi traída.

Quando Harry experimenta a visão de Voldemort torturando Sirius, no Ministério, os membros da AD arranjam um jeito de Harry tentar fazer contato com Sirius, usando a Rede do Flu, no escritório da Professora Umbridge. Neville, que estava no lugar errado, na hora errada, é capturado junto com Ginny, Luna, Ron e Hermione e eles são levados até o escritório da Umbridge. Harry e Hermione conseguem atrair Umbridge até a Floresta Proibida, conseguem escapar e se encontram com os outros. Os alunos voam até o Ministério, em Londres, montados nos Thestrals para resgatar Sirius. Sirius não está no Ministério, e os alunos foram atraídos para uma armadilha. Quando Ron encontra uma esfera pequena de vidro com o nome Harry escrito, os Comensais da Morte, liderados por Lucius Malfoy, aparecem e exigem que Harry a entregue.

Os Comensais da Morte têm Harry como alvo durante a batalha que se segue, e os alunos correm para o Atrium. Mais Comensais da Morte aparecem, usando Impedimenta nos alunos enquanto correm para a saída. Sabendo que Voldemort quer a ele, apenas, Harry corre para o anfiteatro e fica sozinho com os Comensais restantes. Neville ataca, conjurando feitiços estuporantes mas sem efeito, e ele é rapidamente subjugado. Numa tentativa de forçar Harry a entregar a Profecia, Bellatrix sadicamente tortura Neville com o feitiço Crucio, zombando e dizendo que fez o mesmo com seus pais. Quando Harry está quase entregando a Profecia, Sirius, Tonks, Shacklebolt, Lupin e Moody chegam. Macnair agarra Harry pelo pescoço, exigindo a Profecia; Neville acerta o olho de Mcnair com a varinha, libertando Harry. Harry entregou a Profecia a Neville, mas quando ele estava empurrando Neville pelos degraus, a veste de Neville rasga, a Profecia cai do seu bolso no chão, e se quebra. A batalha logo termina depois que Dumbledore chega, embora Bellatrix e Voldemort escapem.

Depois da batalha no escritório de Dumbledore, o diretor conta a Harry que Voldemort estava em busca da Profecia. Embora a original esteja perdida, Dumbledore sabe o que ela contém. A Profecia, que prediz o possível destino de Voldemort, envolve dois rapazes, Harry Potter e Neville Longbottom, que nasceram com um dia de diferença. Dumbledore acredita que Voldemort atacou Harry, quando bebê, porque ele é mestiço como o próprio, e portanto, possivelmente mais perigoso; Neville tem sangue puro. Pelo fato de deliberadamente escolher Harry, Voldemort “o marcou” como seu igual, deixando a cicatriz na testa de Harry. Mais tarde, podemos ver que Neville se recuperou totalmente. Ele está na ala hospitalar quando Harry visita Hermione e Ron, que estão se recuperando. Ginny, Luna e Neville também estão lá fazendo visita.

O Enigma do PríncipeEditar

No Expresso de Hogwarts, Harry senta ao lado de Luna e Neville, enquanto Ron e Hermione vão para o compartimento dos monitores. Harry descobre que é popular novamente. Romilda Vane, uma aluna do quarto ano, convida Harry para se juntar a ela e suas amigas, mas Harry recusa, preferindo suas atuais companhias. Romilda lança um olhar depreciativo na direção de Luna e Neville antes de ir embora. Harry, reparando a reação de Neville, comenta que Romilda não estava no Ministério. Isso deixa Neville feliz, e ele conversa sobre o resultado dos exames N.O.M.s, se perguntando, se um Aceitável em Transfiguração será suficiente para passar para os N.I.E.M. Harry, ouvindo Neville e pensando sobre a Profecia, fica imaginando o que poderia ter acontecido, caso Voldemort tivesse escolhido atacar Neville invés dele; será que Neville teria a cicatriz e a popularidade?

Harry Neville são convidados pelo Professor Slughorn para almoçar em seu compartimento. Uma vez lá, parece óbvio que ele só convidou os alunos que tivessem alguma ligação com bruxos famosos, ou, como Neville, tivessem se distinguido de alguma forma. Slughorn pergunta sobre a batalha no Ministério, mas nem Harry e nem Neville estão interessados em falar sobre o assunto, então Slughorn não insiste.

A Professora McGonagall diz a Neville que sua nota em Transfiguração é muito baixa para sua classe. No entanto, sua nota em Feitiços é alta o suficiente para a classe N.I.E.M. do Professor Flitwick. Neville desapontado, resmunga que sua avó acha Feitiços, uma opção fraca. A Professora McGonagall então responde friamente, que o fato de Augusta ter ido mal em seu N.O.M. de Feitiços, não é motivo para que Neville não tenha a oportunidade, e coloca Feitiços em sua lista de matérias, depois o dispensa todo feliz.

Neville é visto muito pouco durante o ano, uma vez que ele e Harry não fazem as mesmas matérias. Mais tarde, Dumbledore pede a Harry para acompanhá-lo até onde um Horcrux pode estar escondido. Harry, suspeitando que a missão sinistra de Draco para Voldemort, pode ter sido terminada, se preocupa em deixar a escola desprotegida, enquanto ele e Dumbledore estão longe. Ele coloca Ginny, Ron e Hermione e todos os membros da AD que podem, para tomar conta da Sala Precisa e do escritório de Snape.

Depois da batalha contra os Comensais da Morte, Ron diz a Harry que os únicos membros da AD que responderam à convocação de Hermione, foram Neville e Luna. Ron, Ginny e Neville estavam guardando a entrada da Sala Precisa, quando Draco saiu segurando a Mão da Glória. Vendo os três lá parados, Draco jogou o Pó Peruano da Escuridão no corredor, aparentemente guiando os outros para fora da Sala Precisa. Seria muito perigoso para Ron, Neville e Ginny conjurar feitiços naquela escuridão.

Neville, ferido na luta, está na ala hospitalar. Harry, Ginny, Ron e Hermione vão visitá-lo. Neville se recupera o suficiente para comparecer ao funeral de Dumbledore.

As Relíquias da MorteEditar

Quando Harry, Hermione e Ron vagam através dos campos na missão que Dumbledore lhes confiou, eles ouvem uma conversa sobre alguns alunos de Hogwarts, terem invadido o escritório do diretor Snape, numa mal sucedida tentativa de roubar a Espada de Gryffindor. Mais tarde, o quadro de Phineas Nigellus Black que Hermione carrega na sua bolsinha, confirma que Ginny, Neville e Luna foram os responsáveis e receberam castigos. Phineas revela mais alguns detalhes, depois de uma pequena rebelião dos alunos, Snape ressuscita o decreto de Dolores Umbridge, proibindo todas as reuniões de alunos. Harry suspeita que Neville, Ginny e Luna reuniram a Armada de Dumbledore para tomar o controle de Hogwarts do Comensais da Morte.

Quando Harry, Hermione e Ron aparatam em Hogsmeade, eles disparam um alarme, Aberforth Dumbledore os resgata dos Comensais da Morte. Ele fica relutante, mas acaba ajudando o Trio a ir para Hogwarts, onde outro Horcrux está escondido. Aberforth manda uma mensagem através do quadro de sua irmã, Ariana. Ariana retorna logo; quando o quadro se abre, um corredor secreto é revelado e lá dentro Neville está aguardando.

A aparência maltratada de Neville deixa Harry chocado, embora ele esteja bastante animado. Liderando o Trio através do túnel escuro, Neville pergunta se, de fato, eles invadiram Gringotes e fugiram num dragão. Neville os põe a par das mudanças na escola. Qualquer aluno que se recuse a amaldiçoar outro aluno como punição, apanha. A nova professora de Estudo dos Trouxas, Alecto Carrow insiste em que todos os Trouxas são sujos e estúpidos. Neville ganhou uma cicatriz depois de perguntar a ela, quanto sangue Trouxa ela possuía, mesmo assim os Carrows o puniram relativamente de leve, por ele ser um sangue puro.

Neville ajudou a reunir a Armada de Dumbledore, e eles aprontaram bastante, criando muita confusão, mas depois que Luna e Ginny saíram da escola, a rebelião se acabou. Quando Neville foi identificado como líder, os Carrows tentaram sequestrar sua avó em retaliação. Antes de fugir, Mrs. Longbottom colocou pelo menos um atacante (Dawlish) no Hospital St. Mungo. Neville então decidiu desaparecer.

Harry não percebe, imediatamente, que eles entraram na Sala Precisa, que ficou maior e abriga mais gente, uma vez que os membros da Armada de Dumbledore estão se escondendo ali. A Sala não consegue providenciar comida, mas quando a necessidade de Neville é muito grande, se abre um túnel que leva ao Cabeça de Javali, e Aberforth tem mandado mantimentos sempre. Seamus diz que Neville é o único que sabe como a Sala Precisa pode providenciar tudo o que eles precisam.

Harry diz ao grupo que ele, Ron e Hermione precisam fazer uma coisa, depois vão embora. Todos ficam desapontados, mas Neville expressa o que todos estão sentindo, que eles mostraram lealdade a Dumbledore e têm o direito de lutar contra Voldemort, ao lado de Harry.

Durante a batalha, Neville se dirige às ameias com a Professora Sprout carregando vasos de mandrágoras, para atirar nos atacantes. A avó de Neville chega para lutar ao lado do neto, dizendo a ele como está orgulhosa do que ele tem feito. Quando os Comensais da Morte quebram as paredes do Salão de Entrada, Neville está pronto para atirar sobre eles as plantas, Tentáculos Venenosos.

Harry, escondido sob a Capa da Invisibilidade, se dirige à Floresta Proibida para enfrentar seu destino. Pelo caminho, ele vê, Oliver Wood e Neville carregando o corpo de Colin Creevey, de volta para o castelo. Quando Neville vai a procura de mais mortos, Harry se revela e diz a Neville, que a cobra de Voldemort, Nagini, tem que ser morta para Voldemort ser derrotado. Ron ou Hermione não podem matar Nagini, portanto Neville deve fazer o serviço. Neville não compreende, mas concorda em fazer, caso tenha oportunidade.

Depois da morte aparente de Harry, na Floresta Proibida, Voldemort ordena que Hagrid carregue o corpo de Harry, enquanto ele e seu exército marcham até a escola. Em Hogwarts, Voldemort separa Neville, dizendo que ele é um Sangue Puro, de uma antiga família bruxa, e tenta convencê-lo a se juntar ao seu lado. Neville, desafiador, recusa e ataca, apenas para ser enfeitiçado pelo Petrificus Totalus, por Voldemort, que então usa o feitiço Accio, para conjurar o Chapéu Seletor. Ele coloca o Chapéu na cabeça de Neville, e põe fogo no Chapéu para demonstrar que acabou a Seleção, e só vai existir uma Casa, a Slytherin. Neville consegue sair do feitiço do corpo preso, tira a Espada de Gryffindor de dentro do Chapéu e corta fora a cabeça de Nagini. O último Horcrux de Voldemort.

Depois, Neville é visto ajudando Ron a derrotar Fenrir Greyback, durante a confusão da batalha; depois da luta, Harry vê que Neville sobreviveu e está sentado, exausto no Grande Salão.

No epílogo, Neville se tornou professor de Herbologia em Hogwarts, e casou com Hannah Abbott. Neville permanece um amigo próximo das famílias Potter e Weasley.

Pontos FortesEditar

Neville descende de uma poderosa família bruxa, e ele tem potencial para ser um grande bruxo. Seus problemas residem, segundo a opinião da Professora McGonagall na “falta de confiança em si mesmo”. Assim como Harry, ele sofreu um trauma quando era bem pequeno. A despeito de sua falta de habilidade inicial, os poderes mágicos de Neville cresceram substancialmente desde o quinto ano, quando ele começou a treinar com a Armada de Dumbledore, sob os cuidados de Harry. Com grande determinação, ele trabalhou mais do que a maioria para ficar excelente nas habilidades defensivas, e lutou contra a névoa que constantemente toldava sua mente.

Neville mostrou coragem e nobreza desde muito cedo, quando silenciosamente enfrentou sua tragédia pessoal, sem nunca buscar atenção e compaixão. No seu primeiro ano, ele bravamente enfrentou Harry, Ron e Hermione, indo contra a decisão deles, de proteger a Pedra Filosofal. Ele esteve entre os poucos membros da AD, que lutaram ao lado de Harry na batalha do Departamento de Mistérios, onde demonstrou imensa coragem e lealdade. Neville também mostrou liderança e bravura, quando, depois da partida de Harry, ele ajudou a reestabelecer e liderar a Armada de Dumbledore (com grande risco pessoal), para resistir ao controle de Hogwarts pelos Comensais da Morte, durante o sétimo ano. Durante a batalha de Hogwarts, Harry confia em Neville para matar Nagini, o Horcrux cobra de Voldemort. Neville nunca se esquiva de aceitar e cumprir o desafio, potencialmente mortal.

Neville é privilegiado em Herbologia e recebe a maior nota em seu exame N.O.M. Depois recebe “Excede a Expectativa” em DCAT, possivelmente por conta do trabalho com a Armada de Dumbledore. Ele também recebe “Excede a Expectativa” no seu exame de Feitiços, e é encorajado pela Professora McGonagall a pegar um curso avançado dessa matéria.

Pontos FracosEditar

Durante os primeiros anos de Neville em Hogwarts, ele poderia ser descrito como trapalhão, tímido e tendo muito baixa auto estima. Esses problemas afetaram suas habilidades mágicas e seu treinamento. Ele era sempre propenso a causar acidentes ou problemas, especialmente em Poções, por causa de seu (bastante racional) pavor do Professor Snape, que constante implicava com ele, destruindo sua já, pouca auto estima.

Por causa de sérios problemas de memória, Neville não conseguia lembrar das coisas mais simples, como as senhas da Gryffindor. Sua dificuldade em Poções também era relacionada à memória. Quando menino, Neville não demonstrava nenhuma habilidade de liderança e raramente tomava iniciativa em alguma coisa. Seu único interesse parecia ser Herbologia, em que ele era excelente. Sua natureza passiva fazia com que ele nunca se defendesse. Os alunos da Slytherin, especialmente, adoravam abusar dele.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Assim como Harry, Neville é filho único e foi criado por outra pessoa que não seus pais. No caso de Neville, sua avó, Augusta Longbottom, se tornou sua guardiã legal, depois que seus pais foram internados permanentemente no Hospital St. Mungo, depois de terem sido torturados até a insanidade pelos Comensais da Morte. Neville aparentemente, ama sua avó, mas sua personalidade séria e arrogante, criou uma barreira no relacionamento deles, e de um modo geral, ele tem um certo medo dela.

Neville também ama seus pais, mas sendo muito pequeno, quando os Comensais da Morte os torturaram, ele nunca os conheceu como eles eram antes. Ele apenas vê, hoje, pessoas sem expressão, olhares vazios, quando os visita no hospital. Neville ficava envergonhado da condição de seus pais, e ficou especialmente estressado, quando Harry e os Weasleys, acidentalmente, viram sua família no Hospital St. Mungo. No entanto, eles o apoiaram. Eventualmente, Neville acabou compreendendo o sacrifício heroico que sua mãe e seu pai fizeram ao lutar contra Voldemort, e ele se tornou orgulhoso de ser filho deles.

O tímido Neville inicialmente, fez poucos amigos em Hogwarts. A maioria dos alunos zombava dele, ou o ignorava completamente. Harry e Ron, seus colegas de dormitório, sempre trataram Neville bem, mas Harry tendia a achar que não era bom ser visto com ele. Os dois garotos acabaram se tornando próximos, especialmente depois que Harry descobriu o segredo sobre o destino dos pais dele. Tendo perdido seus próprios pais, Harry compreende como é difícil emocionalmente. Harry também aprende que, se as circunstâncias tivessem sido um pouco diferentes, Neville, ao invés de Harry seria “O Escolhido”, quando a Profecia envolvendo Voldemort poderia servir para qualquer um dos dois garotos. Se Voldemort tivesse marcado Neville, um sangue puro, ao invés de Harry, que é um mestiço como Voldemort, seria altamente improvável que Neville tivesse sobrevivido à Maldição da Morte como Harry sobreviveu.

Com as muitas similaridades entre Harry e Neville, e a ligação deles com a Profecia de Trelawney, parece mais do que coincidência, que eles fossem parar no mesmo dormitório da Gryffindor. Será que isso foi intencional da parte de Dumbledore? Nunca saberemos, mas se foi, ele deve ter tido a intenção de que os dois garotos se amparassem, de um modo que poucos poderiam fazer. A princípio isso parecia muito difícil, porque Harry tinha relativamente pouca interação ou interesse em Neville. Os laços entre eles, no entanto, se tornaram fortes e Harry passou a exercer uma grande influência sobre Neville, ajudando-o a superar suas dificuldades em magia. Neville, em troca, ficou entre os mais fortes apoiadores de Harry, arriscando sua vida na Batalha do Ministério da Magia, e passando a liderar a turma de Hogwarts, depois que Harry partiu, antes do sétimo ano.

Apenas depois que Harry assumiu Neville como amigo, que muitos outros alunos fizeram o mesmo; mas como Neville se tornou um bruxo capacitado e um grande líder, ele ficou conhecido e admirado pelos seus próprios méritos.

Durante a batalha final de Hogwarts, Harry dá a Neville a missão de matar Nagini. Embora não tivesse compreendido completamente o porque, Neville promete que irá fazê-lo, e destrói o último Horcrux de Voldmort. Harry jamais esqueceu o que Neville fez por ele.

Romanticamente, Neville não demonstrou nada através da série. Ele fica muito próximo de Ginny e de Luna, inclusive recuperando e liderando a Armada de Dumbledore junto com elas, mas ambas são apenas amigas. Ele também se dá muito bem com Hermione, embora sua relação seja mais casual. Enquanto estava em Hogwarts, Neville não teve uma namorada, nem ficamos sabendo de alguém, em quem ele estivesse interessado. Embora Luna parecesse um par bem adequado, sua personalidade é possivelmente muito excêntrica, para o convencional Neville. Foi uma surpresa ele ter tido coragem de convidar Hermione, e mais tarde, Ginny para o Baile de Inverno no quarto livro. É possível que ele se sentisse atraído, ou apenas se sentisse confortável o bastante para convidá-las. Hermione já tinha um par, e foi Ginny quem aceitou o convite de Neville, embora não tivesse interesse romântico por ele, ela estava apenas interessada em ir ao Baile. Logo ela ficou desapontada, porque descobriu que Harry não tinha par e ela poderia ter ido com ele. Tanto Harry quanto Ron ficaram chateados, porque Neville conseguiu um par para o baile antes deles, mesmo sendo Ginny.

O Professor Dumbledore e os professores de Neville gostam muito dele, embora além da Professora Sprout, que ensina Herbologia, haja pouca expectativa em seu desempenho acadêmico. O Professor Snape é extremamente crítico com relação as habilidades de Neville, tanto que Neville passa a ficar aterrorizado por ele. Sob a orientação paciente do Professor Lupin, no entanto, Neville conseguiu se sair bastante bem em DCAT. Isso lhe deu a confiança de que ele precisava, e que Harry soube usar, para ajudar Neville a desenvolver suas habilidades nas aulas de defesa que eles fizeram juntos.

No Epílogo, ficamos sabendo que Neville se tornou professor de Herbologia em Hogwarts, e em entrevistas posteriores, Rowling afirmou que ele casou com Hannah Abbott. Isso o torna o primeiro professor de Hogwarts “conhecido” por ter uma esposa. É provável que em alguma altura tenha havido outros professores casados, mas nunca foram mencionados na série.

AnáliseEditar

Logo de início, Neville poderia ser descrito como um clássico “desajustado”. Sua natureza tímida e desajeitada, assim como suas deficiências em magia, o colocaram muito distante dos alunos mais populares, e também um alvo fácil para aqueles alunos cruéis. Mesmo assim, parece que ele conseguiu uns poucos amigos, e alguns alunos que eram gentis com ele.

Neville dividia o dormitório com Ron e Harry, mas no início, ele e Harry até eram simpáticos mas, não amigos; ele e Harry se tornaram próximos durante o quinto ano. Neville se mostra desajeitado e tosco em magia, nos primeiros três livros, mas, no quinto livro, parcialmente com a ajuda de Harry, ele começa um grande mudança, se tornando mais forte e mais capaz. Rowling deve estar mostrando que, mesmo o aluno, que parece mais sem esperança, com tempo e encorajamento, pode se desenvolver e se tornar brilhante. Isso fica evidente pelo papel de Neville no livro cinco. Sua extraordinária habilidade em Herbologia, e o fato que, sob diferentes circunstâncias, “ele” poderia ter sido “o garoto que sobreviveu”.

De inicio, Neville parece uma escolha estranha para a Gryffindor, uma Casa que é especialmente conhecida por sua bravura e nobreza. Neville é, com certeza, de um caráter nobre, mas sua natureza tímida e medrosa, aliada a sua dificuldade em magia e problemas de memória, parece muito fora de lugar junto dos mais decididos Gryffindors. Embora não seja evidente, Neville sempre teve imensa coragem, primeiro por superar o destino trágico de seus pais, que ele mantém em segredo, e nunca buscou compaixão por isso. Depois, por trabalhar duro para superar suas deficiências em magia, embora sua família e muitos outros acreditassem que ele fosse um Aborto. Conforme suas habilidades aumentam, sob os cuidados de Harry, a coragem de Neville se mostra cada vez mais, e ele está sempre pronto a lutar ao lado de Harry quando necessário. Harry se torna tão confiante nas habilidades de Neville, que eventualmente, confia a ele uma missão vital e potencialmente mortal no livro sete.

A memória ruim de Neville é uma constante nos primeiros livros. Outro personagem, que nunca foi visto, Bertha Jorkins, é descrita no quarto livro como tendo uma memória deficiente. Seus sérios problemas de memória foram causados por feitiços de alteração de memória. Alguns fan sites sugeriram que os problemas de memória são muito parecidos com os de Bertha, portanto eles podem ter a mesma causa. No caso de Bertha, sua memória foi reprimida pelos aliados de Voldemort, para esconder algo importante que estava ligado ao Lord das Trevas; a memória de Neville, pode, da mesma forma, ter sido alterada, embora com Bertha, não houve preocupação por causar danos a longo prazo. Antes da publicação do sétimo livro, havia uma especulação de que um valioso segredo havia sido escondido na mente de Neville, e que este, seria descoberto através da Penseira. Nenhum segredo apareceu no sétimo livro. Uma sugestão alternativa, é que Neville poderia estar presente, quando seus pais foram torturados pelos Comensais da Morte, coisa que deve ter divertido Bellatrix Lestrange e traumatizado profundamente Neville. Caso isso seja verdade, a avó de Neville, Augusta, pode ter usado um ou mais feitiços de memória, para evitar que Neville ficasse revivendo continuamente esse horrendo episódio. A Professora McGonagall comenta que Augusta foi mal no exame N.O.M. de Feitiços. Embora Augusta ou outro membro da família tivesse a boa intenção de aliviar a angústia de Neville, é quase certo que a sua memória possa ter sofrido por feitiços de memória em excesso. Considerando os danos e a duração do feitiço de memória que voltou para o Professor Lockhart, esses (em Neville), devem ter sido usados com grande habilidade para evitar danos permanentes.

PerguntasEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

O personagem de Neville começa a se tornar muito importante no livro cinco, quando ficamos sabendo que quando pequenos, tanto Harry, quanto Neville, foram marcados por Lord Voldmort, como inimigos em potencial, graças à Profecia de Sybill Trelawney; Voldemort “escolheu” Harry ao invés de Neville, aparentemente por acreditar que o fato de ser mestiço, o tornava uma ameaça maior.

No sétimo livro, Neville junto com Ginny e Luna, reforma a Armada de Dumbledore e recruta mais bruxos para se rebelarem contra o novo diretor, Snape, e os professores de Estudos dos Trouxas e DCAT, Alecto e Amycus Carrow, respectivamente.