Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Pirraça


Pirraça
  • sexo = masculino
  • cabelos = desconhecido
  • olhos = escuros
  • família = desconhecido
  • lealdade = Caos


Visão GeralEditar

Pirraça o Poltergeist não é um fantasma e sim um Espírito do Caos, que nunca esteve vivo. according to the author. Ele pode carregar, atirar e derrubar coisas, soltar parafusos e mascar chicletes. Quando ele está visível, ele parece um homenzinho com perversos olhos negros, uma boca grande e um chapéu pontudo; ele é visto sempre flutuando.

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Pedra FilosofalEditar

Pirraça é mencionado pela primeira vez pelo Frei Gorducho, o fantasma da Casa Hufflepuff, quando os alunos do primeiro ano estão aguardando pelo Chapéu Seletor. Com certeza, o Frei Gorducho achou que Pirraça ia aparecer na Festa de Boas Vindas.

Pirraça aparece pela primeira vez, quando os alunos do primeiro ano da Gryffindor estão a caminho de seu dormitório. Ele começou jogando bengalas em cima deles, e no final, joga um montão delas bem em cima de Neville. Percy comenta que o único ser, na escola, de quem Pirraça tem medo, é o Barão Sangrento, o fantasma da Slytherin. Em algum lugar do livro, é mencionado que o Professor Dumbledore também tem, um certo controle sobre ele. Também existe o aviso que, caso você encontre Pirraça a caminho da sala de aula, quando você está atrasado, vai ficar mais atrasado ainda; ele não só vai ensinar o caminho errado, mas vai fazer pegadinhas, puxar o tapete sob seus pés, se esgueirar por trás de você e agarrar seu nariz.

Quando a Professora McGonagall vê Harry mergulhando para pegar o Lembrol, antes de sua primeira lição de vôo, ela procura um lugar discreto para apresentá-lo a Oliver Wood. A sala de aula que ela encontra, está ocupada por Pirraça, que está escrevendo palavras grosseiras no quadro negro. McGonagall ordena que Pirraça saia, ele vai embora xingando.

Quando Harry é desafiado para um duelo por Draco, Harry, Ron, Hermione e Neville acabam indo até a Sala de Troféus, onde quase são pegos por Filch. Quando estão se escondendo de Filch, dão de cara com Pirraça, que dá o alarme. Pirraça os segue até uma porta trancada, que Hermione abre, e depois, não se sabe porque, não conta a Filch que os alunos estão atrás da porta.

Harry sugere que o Trasgo que foi visto nas masmorras, na noite de Halloween, pode muito bem ter sido uma brincadeira de Pirraça.

Quando Harry e Hermione estão indo até a cabana de Hagrid pegar Norbert, para encontrar com os amigos de Charlie, eles são seguros por Pirraça, que está jogando tênis contra a parede do salão de entrada.

Pirraça quase descobre Harry, Ron e Hermione quando eles estão indo para o alçapão, sob a Capa da Invisibilidade, mas Harry o assusta, fingindo ser o Barão Sangrento.

A Câmara SecretaEditar

Quando Harry vai levar uma advertência de Filch, por ter sujado o corredor do castelo de lama, Nick-Quase-Sem-Cabeça convence Pirraça a derrubar um Armário Sumidouro, bem em cima do escritório de Filch, para distraí-lo. Assim, Harry consegue bisbilhotar no escritório de Filch, e vê uma carta da firma FeiticExpress. Filch fica tão humilhado pela descoberta de Harry, que acaba deixando o garoto ir embora apenas com uma chamada.

No dia da Festa de Aniversário de Morte de Nick, Pirraça implica tanto com a Murta, a ponto dela ir embora chorando. Logo depois, Harry descobre o corpo petrificado de Justin Finch-Fletchley, e o fantasma de Nick fumegante e aparentemente petrificado também. Pirraça passa pelos três e logo dá o alarme. Depois disso, sempre que encontra Harry, Pirraça o acusa musicalmente, inclusive fazendo uma dancinha, de ter alguma coisa a ver com os ataques.

O Prisioneiro de AzkabanEditar

Quando o Professor Lupin e a turma de DCAT, estão indo praticar feitiço contra o bicho-papão, eles encontram com Pirraça, que está ocupado enfiando chicletes no buraco da fechadura. Embora Pirraça tenha um pouquinho de respeito pelos professores, ele não respeita Lupin, nem um pouco, cantando “Louco, lobo, Lupin”. O Professor Lupin o manda embora com o feitiço Waddiwasi, que atira o chiclete dentro do nariz de Pirraça, e faz Lupin ganhar o respeito da turma toda.

Quando o quadro da Mulher Gorda é destruído, é Pirraça quem conta ao Professor Dumbledore, que o estrago foi feito por Sirius Black. Caracteristicamente, Pirraça faz isso da forma mais sensacional possível.

Nós o vemos novamente de passagem, quando Harry e Hermione estão voltando da ala hospitalar, depois da partida de Sirius; Pirraça está indo ver o Beijo do Dementador, ser administrado. Como sempre, ele está indo aonde possa fazer a maior confusão possível.

O Cálice de FogoEditar

O papel de Pirraça nesse livro é bem menor. Quando os alunos chegam, ele está flutuando próximo ao teto do Saguão de Entrada, jogando balões de água nas cabeças deles; ele afirma que não tem problemas, porque com o temporal que cai lá fora, eles já estão ensopados, e um pouco mais de água não vai fazer mal algum. A Professora McGonagall o enxota.

Na Entrada, Nick diz a Harry, Ron e Hermione, que quase não tinha festa, porque Pirraça aborrecido, por não ter sido convidado, tocou o caos nas cozinhas, praticamente deixando os elfos domésticos em pânico.

Por volta dos feriados do Natal, as armaduras estavam enfeitiçadas para cantar músicas de Natal, mas sabiam apenas algumas partes. Pirraça era famoso por entrar dentro delas, e cantar versões grosseiras das músicas, preenchendo as lacunas com as palavras de sua escolha.

Quando Harry está voltando à Torre da Gryffindor, vindo do banheiro dos monitores, depois de resolver o enigma do Ovo Dourado, ele observa, com cuidado, o Mapa do Maroto, para ver onde Pirraça está antes de sair; ele percebe que Pirraça está zanzando perto da Sala de Troféus. Quando Harry prende o pé no degrau meio solto, e deixa o Ovo cair, o som atrai Filch, que chega para investigar; Filch, na mesma hora, imagina que Pirraça roubou o Ovo de algum dos Campeões.

A Ordem da FênixEditar

Quando Harry recebe castigo da Umbridge, e tem que levar um bilhete para a Professora McGonagall, ele passa direto por Pirraça sem perceber. Conforme Harry vai para a sala de McGonagall, Pirraça segue junto, perturbando.

Harry sai do dormitório para enviar uma carta pelo Correio Coruja. No caminho para o Corujal, ele é avisado por Nick, que Pirraça está lá em cima, sob a arcada, com o busto de Paracelsus, preparando alguma brincadeira. Harry pergunta se a brincadeira envolve jogar o busto de Paracelsus na cabeça de alguém. Nick diz que, muito engraçado, mas é isso mesmo, e que ele está procurando o Barão Sangrento, para ver se ele consegue acabar com aquilo. Harry vai para o Corujal por outro caminho.

Um pouco depois, um tempo horrível mantém os alunos dentro do castelo. Pirraça está flutuando na sala, jogando bolas de tinta sobre os alunos, quando Angelina chega, para dizer a Harry e Ron, que o time de Quadribol foi reformado. Pirraça consegue acertar Katie Bell com uma bola de tinta, e ela começa a atirar coisas em cima dele. Quando toca o sinal, Pirraça entorna o vidro inteiro de tinta na cabeça de Katie.

Ron e Hermione, como monitores, são chamados para supervisionar a decoração do castelo para o Natal. Ron diz a Harry que arrumar as guirlandas é muito mais difícil, quando Pirraça pega a outra ponta e tenta estrangular você.

Fred e George Weasley chegaram à conclusão que seu último ano não terá nenhuma utilidade para eles. Com a partida de Dumbledore, eles não precisam mais controlar o seu modo levado de ser. Imediatamente, depois das férias de Páscoa, eles criam um pântano em um dos corredores. Ao serem pegos pela Professora Umbridge, eles conjuram suas vassouras, e, avisando a Pirraça para “fazer o diabo com ela!”, eles partem. Pirraça os saúda quando eles vão embora.

Agora, a atividade de Pirraça aumenta; Harry o vê tocando terror pela escola afora, e vê que os outros professores não estão apenas ignorando, mas, de vez em quando, estão ajudando Pirraça em suas aprontações.

Harry é levado a acreditar, que Sirius está sendo torturado por Voldemort, no Ministério da Magia. Para confirmar isso, ele decide que precisa usar a lareira de Umbridge para se comunicar com Sirius, e é claro, ele precisa de uma distração. Ron decide ir contar para Umbridge que Pirraça está destruindo o Departamento de Transfiguração. Infelizmente ele falha, porque Umbridge já sabia que Pirraça estava ocupado enchendo de tinta as lentes de todos os telescópios na sala de Astronomia. Assim, ela logo dá um jeito de prender Ron, Harry e seus vigias seguram Hermione, Ginny e Luna. Depois que Dumbledore resgata Umbridge da prisão com os Centauros, logo que ela se recupera, tenta fugir da escola de fininho. No entanto, Pirraça sai à caça dela, flutuando por trás dela e atirando bolsas cheias de giz e dando bengaladas.

O Enigma do PríncipeEditar

Pirraça é visto tomando conta de uma porta, dizendo que só vai permitir a passagem de quem por fogo nas próprias calças. Harry toma um caminho alternativo para passar, mas, mais tarde ele vê Neville, no dormitório, trocando suas calças queimadas por outras novas.

Quando Harry está procurando alguém para levar na festa de Natal do Professor Slughorn, ele decide convidar Luna, Pirraça escuta e, imediatamente, conta para a escola toda.

Ron é envenenado no seu aniversário, e acaba na ala hospitalar. Harry, Hermione e Hagrid o visitam, mas saem para que o pai e a mãe dele entrem. Harry e Hermione estão discutindo uma conversa entre Dumbledore e Snape, que Hagrid ouviu, mas logo se calam quando vêem Pirraça chegar.

Harry, imaginando onde Draco está passando tanto tempo, tem a idéia de mandar Monstro o seguir. Quando chama Monstro, Dobby chega também, e eles estão, aparentemente, brigando porque Monstro xingou Harry na frente de Dobby. Pirraça que sempre está a favor do caos, também aparece, e taca ovos neles. Harry, para evitar chamar atenção para a chegada dos elfos, conjura o feitiço da Lingua Presa (Langlock) sobre Pirraça, que, furioso voa embora.

As Relíquias da MorteEditar

Ficamos sabendo que Harry e Luna saem da Sala Precisa rumo à Torre da Ravenclaw, sob a Capa da Invisibilidade, Harry tem medo apenas de passar por Pirraça. Por sorte eles não o encontram.

Pirraça, nesse livro, aparece apenas na Batalha de Hogwarts, perto do final do livro. A Professora McGonagall o chama para ajudar na defesa da escola. Durante a batalha, ele flutua sobre a confusão total, jogando coisas (em especial vagens de Visgo do Diabo), em cima dos Comensais da Morte.

Uma vez que a batalha é vencida, nós o ouvimos, à distância cantando uma canção de vitória que ele mesmo compôs: “Vencemos, esmagamos a fera, Potter é o Máximo, Voldy já era, então agora vamos nos divertir à vera!”

Ao ouvir a canção de Pirraça depois da vitória, Ron comenta, que realmente dá para sentir o alcance e a tragédia do que aconteceu.

Pontos FortesEditar

Sendo um poltergeist, Pirraça consegue empurrar coisas e pessoas. Ele é efetivamente incontrolável e invulnerável, uma vez que não possui um corpo físico.

Pontos FracosEditar

Pirraça, aparentemente tem medo do Barão Sangrento. Nunca foi dada uma explicação para isso, mas esse fato é muito útil para Percy, quando está levando os alunos do primeiro ano para o dormitório. Mais tarde, também é útil para Harry, quando ele e Hermione estão tentando alcançar a câmara da Pedra Filosofal.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

A maior alegria de Pirraça é criar o caos, e ele reage a outros personagens, apenas se for para contribuir para o caos. Algumas vezes ele até segue ordens dadas pelo Professor Dumbledore e pela Professora McGonagall ou por aqueles que possam atingí-lo como o Professor Lupin. Apenas duas vezes, na série, o vimos aceitar ordens dos alunos, e apenas uma vez conscientemente. No primeiro livro, Harry mandou Pirraça ir embora do local e não voltar naquela noite, mas ele estava fingindo ser o Barão Sangrento, debaixo da Capa da Invisibilidade. No quinto livro, Fred e George mandaram que ele fizesse um inferno com a Professora Umbridge, e dessa vez, Pirraça adorou obedecer.

No primeiro livro, aprendemos que Pirraça só teme o Barão Sangrento, o fantasma da Slytherin, e que Dumbledore também tem algum controle sobre ele. Mais tarde, vamos ver que, embora Dumbledore possa ter controle sobre ele, até certo ponto, ele permanece malcriado com Dumbledore como com todo mundo – quando Dumbledore o está interrogando sobre os danos no quadro da Mulher Gorda, no terceiro livro, Pirraça responde corretamente, mas sem respeito por Dumbledore. Parece que a Professora McGonagall tem o mesmo tipo de controle sobre ele, porque no quarto livro, ele aceita a ordem para parar de jogar balões de água nos alunos que chegam, mas responde.

Quando Pirraça derruba o Armário Sumidouro diretamente sobre o escritório de Filch, no livro dois, descobrimos que Filch quer que Pirraça suma do castelo. Vemos isso, novamente, quando Filch está levando Harry ao escritório de Umbridge no quinto livro; Filch está evidentemente feliz com as mudanças que estão acontecendo no castelo, com a mudança do diretor. Uma das coisas que ele mais deseja é que Pirraça seja expulso. Podemos imaginar que Filch está perpetuamente aborrecido com Pirraça, desde o primeiro livro, embora ele não diga isso diretamente.

AnáliseEditar

Existe uma grande quantidade de teorias sobre a natureza de Pirraça, e do quanto, como é dito diversas vezes, que o Professor Dumbledore consegue controlá-lo. Numa entrevista, a autora comparou Pirraça a um vazamento de água comum nas casas velhas: temperamental e embora ninguém possa fazê-lo se comportar, Dumbledore é como o morador mais velho, que sabe como forçá-lo a funcionar razoavelmente, quando necessário.

Uma teoria que parece razoável, é que Pirraça é o resultado natural de ter tantos bruxos adolescentes num único lugar. Se acredita que, a atividade dos Poltergeists é vista em geral, nas proximidades de adolescentes, especialmente meninas; é possível que Pirraça seja o resultado personificado, de toda essa energia acumulada, por várias centenas de jovens bruxos em Hogwarts.

Também é verdade, que a atividade de Pirraça é muito maior no quinto livro, quando Umbridge causa confusão na maior parte do inicio do ano, e consideravelmente maior ainda, quando Dumbledore fica fora do castelo na última parte do livro; mas não vimos atividade extra de Pirraça no livro dois, quando Dumbledore foi suspenso como diretor. É possível que o nível de atividade de Pirraça esteja ligado ao nível de insatisfação dos alunos, ao invés de ser afetado diretamente, pelo diretor. É totalmente possível que Pirraça só possa ser removido da escola quando todos os que estão nela, estejam satisfeitos com o correr das coisas, e isso é extremamente difícil de acontecer algum dia.

PerguntasEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar

Enquanto Pirraça é aparentemente amante do caos, e fará o possível para aumentar qualquer confusão, ele com certeza, ama sua casa e sua tendência é defendê-la. A Professora McGonagall parece compreender isso, porque na preparação para a defesa de Hogwarts, ela manda Filch encontrar Pirraça , e aparentemente lhe dá instruções para a defesa. Na batalha, Pirraça está claramente, em seu elemento, se divertindo bombardeando os Comensais da Morte invasores, com as vagens de Visgo do Diabo e outras plantas perigosas. É interessante notar que, mesmo sendo amante do caos, ele, ao que se saiba, não age contra os defensores de Hogwarts.