Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Tom Marvolo Riddle


Tom Marvolo Riddle
  • sexo = masculino
  • cabelos = negros
  • olhos = escuros
  • família = ancestral Salazar Slytherin
    pai, Tom Riddle Sr.
    mãe, Merope Gaunt
    avô materno, Marvolo Gaunt
    tio materno, Morfin Gaunt.
  • lealdade = a si mesmo

Visão GeralEditar

Tom Marvolo Riddle, filho único do Trouxa Tom Riddle Sr. e da bruxa Merope Gaunt, estudou em Hogwarts, uns 50 anos antes que a nossa história começasse. Ele nasceu em 31 de dezembro, evidencias internas na série, indicam que isso deve ter sido por volta do final de 1920, outras fontes indicam que ele nasceu em 1926.

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Câmara SecretaEditar

Um diário secreto, que pertenceu originalmente a Tom Riddle, tem parte importante na trama. Através da magia embutida nele, a lembrança de Riddle enfeitiça Ginny Weasley, para abrir a Câmara Secreta e libertar um Monstro que ataca os alunos nascidos Trouxas. Quando Ginny fica aterrorizada pelo poder do diário, ela o joga fora. Harry o encontra, e o diário mostra a ele, um dia 50 anos antes, quando Hagrid foi acusado de abrir a Câmara libertando o Monstro. Mais tarde, com o diário de volta às mãos de Ginny, a lembrança de Riddle a convoca até a Câmara Secreta; lá, ele começa a drenar a força vital da menina, para restaurar seu próprio corpo. Harry mata o Monstro, depois destrói o diário, derrotando a lembrança de Riddle e salvando a vida de Ginny. Harry descobre que o diário foi discretamente empurrado no meio dos livros de Ginny por Lucius Malfoy. Durante a luta dentro da Câmara Secreta, Tom Riddle revela ser a mesma pessoa que Lord Voldemort.

O Cálice de FogoEditar

O nome de Tom Riddle nunca aparece, embora possa ser adivinhado: é mencionado que Tom Riddle, da Mansão Riddle, que deduzimos ser pai de Tom Marvolo Riddle, foi encontrado morto de modo muito estranho, junto com seus pais há uns 50 anos atrás. A Mansão Riddle, em Little Hangleton faz parte da história.

A Ordem da FênixEditar

Durante o duelo entre Albus Dumbledore e Voldemort no Ministério da Magia, Dumbledore repetidamente chama seu adversário de "Tom", para sua grande contrariedade.

O Enigma do PríncipeEditar

Dumbledore diz a Harry que eles terão aulas particulares durante o ano. Harry, intrigado, fica imaginando qual é a magia especial que o diretor vai ensinar, mas fica surpreso na primeira aula; parece que eles vão estudar Tom Riddle, conforme cresce. Olhando as lembranças de Dumbledore na Penseira, Harry (e também o leitor), começa a entender as origens de Lord Voldemort e porque ele abandonou seu nome de nascimento, Tom Marvolo Riddle. O Professor Dumbledore sempre se refere a ele pelo seu nome, mesmo quando ele se chama de Voldemort. Tom nunca é visto como um bebê, mas vemos sua mãe, Merope, o tio Morfin e o avô Marvolo Gaunt, em sua casa decrépita. Merope se apaixonou pelo belo Trouxa, Tom Riddle. Logo depois, Marvolo e Morfin são presos e vão para Azkaban. Merope foge com Riddle. Dumbledore sugere que, possivelmente, ela usou uma poção do amor para forçá-lo a casar com ela, mas pode ter parado de usar depois que engravidou, talvez acreditando que estar esperando um filho dele, o manteria a seu lado. Tom Riddle abandonou Merope rapidamente junto com seu filho não nascido.

Tom Marvolo Riddle, o filho de Merope Gaunt é visto primeiro no orfanato onde ele cresceu. Dumbledore chega, para oferecer ao garoto de 11 anos a admissão em Hogwarts. Conversando sobre Tom com a diretora do orfanato, Dumbledore descobre que Merope morreu logo após o nascimento do bebê, numa véspera de Ano Novo; e que ela pediu que seu filho fosse chamado de Tom, o nome do pai, e Marvolo pelo seu avô. Tom, um menino quieto e arredio, aparentemente não tinha amigos. Coisas estranhas aconteciam perto de Tom, mas nada causado diretamente por ele; ele também aterrorizava os outros órfãos. No passeio anual ao litoral, duas crianças ficaram apavoradas por algo ligado à caverna, mas nenhuma delas quis falar a respeito. Nas lembranças de Dumbledore, Tom parecia alguém seguro, muito além de sua idade, embora permanecesse uma figura solitária. Inicialmente, ele suspeitou quando Dumbledore foi visitá-lo, acreditando que ele fosse um médico do hospital psiquiátrico, mas foi vencido ao ver Dumbledore usar magia. É interessante notar que Tom parecia aborrecido, quando Dumbledore mencionava alguém chamado Tom que trabalhava no Caldeirão Furado. Tom não gostava de seu nome por alguma razão. Quase como uma reflexão tardia, Tom menciona que pode falar com serpentes. Dumbledore diz que existem poucas lembranças sobre Tom Riddle nos anos escolares; aqueles que lembram de Tom, relutam em comentar. Uma lembrança pertence ao tio de Tom Morfin Gaunt. Morfin, evidentemente, acreditou que Tom, agora adulto, era seu pai, Tom Sr. e apenas quando Tom falou em Parseltongue, que Morfin entendeu que ele era o filho de Merope. Tom aparentemente, estuporou Morfin, roubou o anel de sinete dos Gaunt e a varinha de Morfin, depois matou seu pai Trouxa, Tom Riddle Sr. e os pais de seu pai. A memória de Morfin foi modificada, de modo que ele lembrava de ter matado os Trouxas e esqueceu a presença de Tom.

Tom é visto também numa lembrança pertencente ao Professor Slughorn. Tom está usando o anel Gaunt, e está entre seus camaradas, depois pergunta a Slughorn sobre Horcruxes. Nessa lembrança, que Dumbledore diz que foi, obviamente, editada, Slughorn afirma não saber nada sobre Horcruxes. Dumbledore diz a Harry que obter a lembrança original é crucial, e apenas ele é a pessoal ideal para isso. Se ele falhar, as lições de Dumbledore serão inúteis.

Outra lembrança, pertence ao elfo doméstico chamado Hokey, e mostra Tom, que agora está trabalhando em Borgin & Burkes, quando atende a uma bruxa idosa porém vaidosa, chamada Hepzibah Smith. Encantada com o charme de Tom, ela mostra a ele seus objetos mais valisosos: o medalhão de Salazar Slytherin e a taça de Helga Hufflepuff. A ganância e uma raiva reprimida ao ver o medalhão se instalaram em Tom, que aparentemente lembrava de Morfin Gaunt, dizendo a ele que Merope levou o medalhão quando foi embora. Hepzibah morreu logo após a visita de Tom, aparentemente envenenada por acidente por Hokey; seus dois tesouros desapareceram.

Em outra lembrança, Tom está tentando o emprego de professor de DCAT em Hogwarts. O diretor, então, era Dippet, que não quis contratá-lo, dizendo que lhe faltava experiência do mundo real. Na própria lembrança de Dumbledore, alguns anos depois, Tom novamente é recusado para o emprego, dessa vez, porque Dumbledore não confiava nele para lecionar essa matéria. Dumbledore repara que a aparência de Tom mudou, e já sabe que ele agora, chama a si mesmo de Voldemort, embora ainda se dirija a ele como Tom. Dumbledore também sabe que os aliados de Tom o acompanharam até Hogsmeade.

Algum tempo depois, Harry, consegue a lembrança sem estar editada, de Slughorn. Em resposta às perguntas de Tom, Slughorn diz que um Horcrux está entre as coisas mais sombrias na Magia Negra. Matar alguém rasga a alma; com encantamentos, os quais Slughorn diz desconhecer, um fragmento dessa alma rasgada pode ser encerrado dentro de outro objeto, que é um Horcrux. O Horcrux prende a alma à terra quando o corpo de o tem é morto. Tom então pergunta, se um Horcrux pode dar imortalidade, não seria melhor ter mais? Sete não é um número mágico? Slughorn fica horrorizado com essa sugestão; Tom afirma que é uma pergunta puramente acadêmica, mas Harry nota sua expressão triunfante, similar aquela que ele mostrou quando Dumbledore contou que ele era um bruxo. Dumbledore revela que o diário no livro 2 foi um dos Horcruxes de Tom. Ele permitiu que as lembranças de Riddle pensassem e agissem de forma independente e quase se tornar uma pessoa material, sugando a força vital de Ginny. Descobrir isso preocupou Dumbledore, uma vez que Horcruxes poderiam ser mantidos a salvo, guardados e escondidos, e ainda assim, o diário parecia ter sido feito como uma arma, além de um meio de imortalidade. Dumbledore estava certo de que isso não teria sido feito, caso fosse o único Horcrux que Tom tivesse feito; com essa lembrança, ele compreende que Tom ou Voldemort, teria feito seis Horcruxes, deixando um total de sete fragmentos da alma. Dois, o diário e o anel Gaunt, foram encontrados e eliminados, certamente deixando quatro para trás. Quando ele encontrar outro, Dumbledore diz que Harry poderá acompanhá-lo para ajudar a recuperar e destruir. Dumbledore adivinha que Tom usou apenas objetos importantes para criar Horcruxes, incluindo alguns ligados aos seus ancestrais. O anel Gaunt, por exemplo, é uma antiga jóia de família, assim como o medalhão Slytherin. Dumbledore explica a importância do diário, dizendo que ele tinha sido usado para abrir a Câmara e era a prova de que Tom é o herdeiro de Slytherin. Dumbledore também sugere que, como os Horcruxes fossem feitos de coisas significativas, eles também devem ter sido escondidos em lugares especialmente significativos. O anel, por exemplo, foi encontrado nas ruínas da casa de Gaunt.

Dumbledore chama Harry até seu escritório mais uma vez, dizendo a ele que localizou a caverna no litoral, onde Tom levou suas duas jovens vítimas do orfanato. Dumbledore acredita que foi ali, que Tom conseguiu seu primeiro triunfo, é muito provável que um Horcrux esteja escondido ali. Tom, de fato, escondeu um Horcrux no local, mas uma pessoa desconhecida encontrou e removeu o objeto mais tarde.

As Relíquias da MorteEditar

O medalhão Slytherin mencionado no livro seis, é recuperado e é de fato um Horcrux, como esperado. Harry finalmente consegue abri-lo. Há um comentário de que os olhos no medalhão Horcrux são os lindos olhos de Tom Riddle, antes que ele mudasse sua aparência para a atual, tipo uma serpente. Embora seu nome não tenha sido mencionado claramente, Harry sabe que Tom uma vez encantou a Dama Cinzenta, que é o fantasma da filha de Rowena Ravenclaw, para descobrir onde estava escondido o diadema perdido. Depois que ele recuperou o diadema, Tom o converteu num Horcrux e o escondeu na Sala Precisa. Quando Harry está duelando com Voldemort, Harry chama ele de "Tom" ou "Riddle", para mostrar que rejeita o poder do novo nome de Riddle. Logo depois que ele morre, o texto diz que "Tom Riddle foi ao chão".

Pontos FortesEditar

Tom é um bruxo extremamente poderoso, inteligente, ambicioso e cheio de recursos. Mesmo antes de receber qualquer treinamento, ele consegue produzir algum tipo controlável de magia, sem usar uma varinha. Ele também conseguiu passar nos exames N.I.E.M.s talvez até antes de completar os exames N.O.M.s.

Nas lembranças de Hokey e de Horace Slughorn descobrimos que Tom, um belo rapaz, podia ser extremamente persuasivo e charmoso, características que ele usava para conseguir vantagens. Sua personalidade carismática atrai e mantém seguidores para seu circulo próximo, embora ele nunca considere pessoa alguma como “amiga”.

Pontos FracosEditar

As lembranças do Professor Slughorn mostram que ainda um adolescente, Tom já era consumido por sua própria imortalidade, que criou um Horcrux. (Evidências na série indicam, que o anel Gaunt foi feito um Horcrux, na mesma noite que foi roubado de seu tio materno Morfin; portanto, quando é visto na mão de Riddle nessa lembrança, já era um Horcrux). Isso indica que ele tinha verdadeiro pavor da morte. Nas lembranças de Dumbledore, vemos que Tom Riddle sempre foi muito solitário, aparentemente preferindo assim. Ele não tinha companheiros no orfanato e recusava qualquer ajuda, que não fossem em dinheiro para comprar seus materiais escolares no Beco Diagonal. Essa determinação de ser auto suficiente, que ele acreditava ser uma força, na verdade, mascarava uma grande fraqueza, a inabilidade de compreender como a mente das outras pessoas, de fato, funcionam. Ele também, ao contrário de Harry, falhou em compreender que para ter êxito em alguma coisa, você precisa ter aliados leais. Ele também não tem nenhuma capacidade de amar, e portanto não tem amigos, pessoas queridas, ou uma família de onde extrair conforto e força.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

Tom sempre pareceu uma figura solitária, normalmente preferindo sua própria companhia. No orfanato ele não tinha amigos, uma vez que as outras crianças tinham medo dele, e em Hogwarts, ele conseguiu seguidores, não colegas, embora os tratasse como amigos em público. Mesmo muito jovem, aqueles que gravitavam em torno de Tom, pareciam mais interessados em ganhar algo, ao invés de apenas serem amigos dele, e talvez temiam represálias se o abandonassem. Tom nunca teve consideração por ninguém, aliado ou inimigo, merecia seu respeito, e ele apenas confiava em si mesmo. Tom não tinha interesses ou lealdade para com sua família, matando cada um que encontrava, incluindo seu pai Trouxa, os avós paternos, e o tio materno. Embora seu pai tivesse abandonado sua mãe, seus outros parentes nunca fizeram mal a Tom, embora isso não tenha sido motivo na sua decisão de matá-los. Quaisquer sentimentos que ele pudesse ter tido por sua falecida mãe são desconhecidos, embora ele desprezasse seu pai por tê-la abandonado. Provavelmente o único que Riddle admirava era Salazar Slytherin, seu ancestral.

É dito que a única pessoa que Lord Voldemort temia era Albus Dumbledore. Esse medo provavelmente começou com a amostra de magia que Tom assistiu ainda no orfanato, e não diminuiu através do tempo, embora Tom tenha assumido um novo nome. Tom parecia ter algum respeito pelo Chefe de sua Casa, Horace Slughorn, embora pudesse ser apenas uma forma de adulação, para conseguir informações. No entanto, ele pelo menos, reconhecia que Slughorn era um bruxo talentoso e tinha muito conhecimento, demonstrado pela segurança com que o professor lhe deu as informações que ele precisava sobre os Horcruxes.

AnáliseEditar

PerguntasEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar