Guia dos Trouxas para Harry Potter/Personagens/Vernon Dursley


Vernon Dursley
  • sexo = masculino
  • cabelos = desconhecido
  • olhos = desconhecido
  • família = irmã, Marge Dursley
    esposa, Petúnia Dursley
    filho, Dudley Dursley
    sobrinho, Harry Potter
  • lealdade = família Dursley, mundo dos Trouxas, manter as aparências.

Visão GeralEditar

Vernon Dursley é tio de Harry (a esposa de Vernon é irmã da mãe de Harry). Ele e sua esposa Petúnia, pegaram Harry quando bebê sem muita vontade, e eles têm um filho, Dudley. Vernon se sente, de alguma forma, ameaçado pelas habilidades mágicas de Harry, e gostaria de “arrancar isso dele”, a ponto de se recusar a permitir que ele fale alguma coisa, um pouco diferente do normal.

Visão GeralEditar

Papel nos LivrosEditar

Aviso aos Iniciantes: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

A Pedra FilosofalEditar

A primeira pessoa que a gente encontra na série, é Vernon Dursley. Nós seguimos Vernon, quando ele se despede de sua esposa de manhã, e quando ele se dirige ao trabalho, Grunnings, onde ele vende brocas e grita com o povo. A caminho do trabalho, ele vê um gato aparentemente lendo um mapa, e diversos grupos de pessoas usando vestes, conversando excitadamente sobre alguma coisa. Ele acaba escutando um dos grupos conversando sobre um "Harry Potter", e ele se preocupa a ponto de quase ligar para casa. No entanto, decide que não é normal telefonar para sua esposa por causa de algo tão bobo e, que é bom esperar até chegar em casa. Lá, enquanto assiste ao noticiário sobre as coisas estranhas que estão ocorrendo na Bretanha, ele casualmente pergunta o nome do filho da irmã de Petúnia. Ela confirma que ele se chama Harry Potter “um nome desgraçadamente comum”. Vernon ainda está preocupado e não quer demonstrar isso, quando vai dormir à noite.

Vamos ver Vernon uns dez anos depois, sentado à mesa do café da manhã e paparicando seu filho Dudley. É aniversário de Dudley, e Vernon carinhosamente diz que tem 37 presentes para ele. Dudley fica furioso imediatamente, no ano anterior ele ganhou 38, Ele só se acalma quando Petúnia promete mais dois presentes. O telefone interrompe a conversa; Petúnia diz que Mrs. Figg quebrou a perna e não vai poder tomar conta de Harry, enquanto todos vão ao zoológico. Petúnia e Vernon discutem o que fazer com Harry, como se ele não estivesse presente, exceto quando o menino sugere que pode ficar em casa sozinho. Vernon descarta essa ideia de imediato. Afinal eles decidem que Harry vai ter que ir ao zoo com eles. A caminho do zoo, Harry comenta que sonhou com uma moto voadora. Vernon, lívido, grita com ele, dizendo que não existem motos voadoras.

Embora Vernon tente manter Harry bem afastado deles, o menino aproveita o zoológico, uma vez que os vendedores concluem que Vernon está comprando para os três garotos que estão com ele. Quando o vidro da frente das cobras desaparece, e Dudley cai no fosso, Vernon aparentemente culpa Harry. Uma vez em casa, Vernon, que nem consegue falar, tranca Harry dentro do armário debaixo da escada, dizendo que não vai ganhar nenhuma refeição. Harry, deixado com suas coisas, planeja escapar até a cozinha para arranjar alguma comida depois que os Dursleys forem dormir.

Vernon está extremamente feliz porque Dudley vai para Smeltings, sua antiga escola. Olhando para o rosto de Vernon e seu orgulho arrogante, Harry se esconde para rir do uniforme de Dudley. Nesse mesmo dia, as primeiras cartas para Harry chegam. Vernon fica aparentemente surpreso, quando percebe quem mandou as cartas para Harry, e imediatamente manda Harry e Dudley saírem da cozinha. Quando os dois escutam atrás da porta, Vernon e Petúnia discutem o que vão fazer com relação a essas cartas, decidindo ignorá-las. No entanto, agora sabendo que alguém chamado Harry vive no armário debaixo da escada, as cartas são endereçadas para lá. Vernon então decide mudar Harry para o segundo quarto de Dudley, onde os brinquedos quebrados de Dudley ficam guardados. Acontece que essa mudança não adiantou nada, as cartas continuam chegando. No dia seguinte, Dudley vê uma endereçada para Harry, no “Quarto Menor” e Vernon tem que lutar com Dudley e Harry para pegá-la. No dia seguinte Harry acorda cedo, para chegar até a porta antes de outra pessoa, e encontra Vernon dormindo na frente da porta. Três outras cartas foram enviadas e bateram no peito de Vernon, mas ele as rasga na frente do garoto. Vernon agora está completamente frenético vedando a caixa do correio.

Na sexta feira, doze outras cartas chegam para Harry, enfiadas em todas as ranhuras da porta, uma vez que não puderam por na caixa de correio. Vernon, agora nervoso e cantarolando, veda todas as ranhuras por onde as cartas entraram. No sábado chegam mais 24 cartas, enfiadas dentro de duas dúzias de ovos, que foram entregues através da janela pelo entregador do leite. Vernon, é claro, telefona para a loja querendo saber quem foi o responsável por colocar as cartas nos ovos. No domingo, um Vernon, parecendo um alucinado, anuncia que esse é o seu dia da semana favorito, porque não há correio. Enquanto ele fala, um barulhão avisa a chegada de mais ou menos umas cem cartas, todas endereçadas a Harry, pela chaminé da cozinha. Vernon joga Harry para fora da cozinha, e puxando tufos de seu bigode, diz que estão todos, indo embora, para arrumarem suas malas. Vernon dirige o dia todo sem direção lógica, muitas vezes girando 180 graus e voltando ao seu caminho, o tempo todo resmungando sobre “sacudir todos”. No fim do dia, Dudley está gritando porque perdeu cinco programas de tv e Vernon não parou para comer. Finalmente eles chegam num hotel sombrio nos arredores de uma grande cidade. No restaurante do hotel, na manhã seguinte, o funcionário se aproxima deles, dizendo que na portaria tem uma centena de cartas para Harry Potter. Vernon acorda a todos e eles saem novamente pela estrada.

Agora, Vernon parece louco procurando por algum lugar que não possa ser alcançado, parando e olhando em volta no meio de uma ponte suspensa, no meio de uma floresta, mas nada disso o agrada. Eventualmente a noite cai, eles param no litoral e Vernon sai do carro. Ele volta logo, dizendo que encontrou o lugar certo, e aponta para uma cabana pendurada nas pedras no meio do oceano. Ele está carregando um pacote comprido e fino, e diz que tem provisões e um barco na margem. Uma vez na cabana, as provisões são minguadas: um pacote de batatas fritas e uma banana para cada um. Com uma tempestade se aproximando, Vernon parece bem satisfeito, achando que nada pode alcançá-los agora. Ele e Petúnia vão para o quarto, deixando Dudley no sofá quebrado na sala principal, e Harry com o cobertor mais fino, no chão.

Quando Hagrid chega, batendo na porta no auge da tempestade, Vernon aparece, carregando um rifle. Hagrid torce o rifle como um pretzel e o joga longe, e Vernon recua, mas ainda avisa a Dudley para não comer nada que Hagrid ofereça. Quando Harry admite que não sabe nada sobre o mundo de Hagrid, o mundo mágico, Hagrid fica furioso com Vernon, que, todo atrapalhado, fica incoerente. Vernon tenta inúmeras vezes evitar que Hagrid conte a Harry sobre o mundo mágico, e insiste que Harry não vai para Hogwarts, mas Hagrid o supera fácil. Quando Vernon em fúria protesta, que ele não vai pagar dinheiro bom para um velho gagá ensinar truques mágicos a Harry, Hagrid feroz, avisa para ele não insultar Albus Dumbledore, e para dar ênfase ao que disse, dá para Dudley um rabinho de porco. Em pânico ao ver magia, os três Dursleys se refugiam no quarto.

Quando Harry retorna à Rua dos Alfeneiros, Vernon aparentemente decidiu ignorá-lo, e a vida de Harry fica bem mais tranquila. Quando o dia da partida está chegando, Harry pergunta ao tio, se ele pode levá-lo até Londres para pegar o trem. Vernon concorda dizendo que eles terão que ir a Londres de qualquer maneira, para um cirurgião remover o rabinho de Dudley. Quando Vernon comenta zombeteiro porque Harry precisa de um trem, Harry responde que ele precisa pegar o trem na Estação King´s Cross na Plataforma 9 e ¾. Vernon parece surpreso com isso. No dia seguinte, quando alcançam a Estação, Vernon está diferente, muito alegre. Ele até pega o malão de Harry e leva até dentro da Estação. Ele aponta para os grandes avisos das plataformas 9 e 10, e observa que não existe uma plataforma 9 e ¾ . Depois deseja a Harry boa escola, e sai, rindo. Harry então vê os três Dursleys rindo para ele no carro, indo embora. No Natal Vernon e Petúnia mandam para Harry de presente 1 dolar com um bilhete. Harry dá a moeda para Ron, que está encantado com o dinheiro trouxa. Quando Harry volta a Londres no Expresso de Hogwarts, tio Vernon é extremamente grosseiro ao recebê-lo, a ponto de Hermione e Mrs. Weasley ficarem chocadas. Quando Vernon sai, Harry diz a Ron e Hermione que vai se divertir com os Dursleys, porque eles não sabem que ele não pode ainda fazer magia.

A Câmara SecretaEditar

Quando Harry desce para o café da manhã, ele lembra a Dudley para usar “a palavra mágica”, quando Dudley manda que ele lhe dê o bacon. O resultado é que tio Vernon fica furioso, uma vez que proibiu qualquer menção a magia na casa. Harry fica divertido por pouco tempo, ao ouvir Vernon dizer que esse é um dia especial (é aniversário de Harry). Acontece que Vernon, está falando sobre seus convidados dessa noite, os Masons, um casal que ele está tentando impressionar, para que eles façam um grande pedido de brocas. Vernon então comanda a família para fazer um treino de como eles têm que se comportar, lembrando a Harry repetidamente, que seu papel é ficar dentro do quarto, fingindo que não está presente. Harry, diversas vezes teve dificuldade de manter o rosto sério, uma vez que os planos para a noite eram ridiculamente transparentes, em sua tentativa de conseguir favores das visitas. Quando os convidados chegam, Harry, como ordenado, vai para seu quarto, onde encontra um elfo doméstico pulando em cima da cama. O elfo que se apresenta como Dobby, se mostra muito desobediente porque veio ver Harry, e precisa se castigar. Isso se transforma em barulho, fazendo Vernon subir as escadas para brigar com Harry, que consegue esconder Dobby, quando ouve Vernon subir. Quando Dobby derruba a sobremesa na cozinha, Vernon quase consegue acalmar seus convidados; mas logo depois chega uma coruja com um pergaminho, que ela larga sobre a cabeça de Mrs. Mason. A senhora tem um pavor mórbido de pássaros e sai gritando para fora de casa, Mr. Mason a segue, dizendo que não faria negócios com a Grunnings. Furioso, Vernon entrega a carta a Harry e diz para ler alto. É um aviso do Ministério que Harry violou o Decreto de Restrição de Magia para Menores de Idade, usando um feitiço na casa. Vernon, agora sabendo que Harry não pode fazer magia na sua casa, até que alcance a maioridade, decide trancá-lo no quarto, colocando barras na janela por segurança.

Quando Ron, Fred e George salvam Harry de dentro do quarto, Harry quase esquece Hedwig, que está trancada em sua gaiola. O pio alto de Hedwig por ter sido esquecida, acorda os Dursleys, e Vernon entra no quarto quase agarrando o pé de Harry, enquanto ele é arrastado para fora da janela pelo Ford Anglia dos Weasleys. Vernon cai no jardim enquanto Harry foge no carro. No Natal os Dursleys mandam para Harry um palito de presente.

O Prisioneiro de AzkabanEditar

Vernon está um pouco menos assustado com Harry, já que sabe que ele não pode usar magia ainda, mas mesmo assim, ele tranca todo o material escolar de Harry no armário debaixo da escada. Harry usou as habilidades de abrir fechaduras aprendidas com Fred e George para pegar dentro do armário, tudo o que precisava, e agora faz seus deveres com uma lanterna, debaixo das cobertas, à noite. Quando a carta de Hogwarts chega, com a lista de materiais para o início do ano, contém um formulário de permissão, que deve ser assinado por um dos pais ou tutor, e vai permitir que Harry vá a Hogsmeade em fins de semana específicos. O garoto fica imaginando se tio Vernon assinaria.

Na manhã seguinte, Vernon avisa que está indo à estação de trens para apanhar sua irmã, Marge. Harry recebe instruções estritas de como deve se comportar, ser gentil com Marge, sem discussões sobre magia, e lembram a Harry que, Marge acha que ele está em St. Brutus Centro de Segurança para Garotos Marginais Incuráveis. Quando Vernon está saindo, Harry o chama, e diz que não vai ser fácil lembrar tudo aquilo que o tio pediu para fazer, Vernon, pensando quantos problemas qualquer escorregadela de Harry poderá causar, fica pálido. Harry sugere que caso ele assine a permissão, com certeza ele vai se comportar bem melhor. Tio Vernon então concorda que se Harry se comportar a semana toda, ele assina a permissão. A semana seguinte é dura com Vernon e Marge insistindo para manter sob suas vistas e insultando Harry e seus pais. Vernon, que está prestando atenção aos humores de Harry, repetidamente tenta distrair Marge, para Harry não se revelar “fora do normal”. Na última noite da visita, porém, Marge insulta o pai de Harry, e Harry perde o controle, sem querer, fazendo Marge se inflar como um balão. Sabendo que está em maus lençóis, Harry rapidamente agarra suas coisas da escola, ameaçando Vernon com sua varinha, quando ele tenta fazê-lo parar e esvaziar Marge, e foge arrastando seu malão. Quando chega ao Caldeirão Furado, ele é interceptado pelo Ministro da Magia, Cornelius Fudge, que diz a ele que a tia Marge já foi esvaziada e sua memória modificada. Ele diz que os Dursleys esperam que ele volte à Rua dos Alfeneiros no verão.

Quando Harry volta a Londres depois do ano escolar, ele diz a Vernon que encontrou seu padrinho. Quando Vernon diz que ele não tem padrinho, Harry afirma que tem e o nome dele é Sirius Black, e ele é um assassino condenado, está foragido, mas está muito interessado no bem estar de Harry, e espera noticias durante o verão. Vernon fica pálido ante essas notícias.

O Cálice de FogoEditar

A enfermeira da escola mandou instruções com Dudley, que ele precisa fazer dieta, porque está muito gordo; o humor de Vernon piorou porque Petúnia colocou a família inteira de dieta, para Dudley não se sentir sozinho. No meio de agosto, Vernon recebe uma carta de Mrs. Weasley, perguntando se Harry pode ir à Copa do Mundo de Quadribol com sua família, porque eles têm entradas. Vernon fica desconcertado com a carta, que chamou a atenção do carteiro porque estava coberta totalmente, de selos, só tinha um pedacinho vazio onde ela escreveu o endereço. Com certeza isso era Diferente, e, portanto Ruim. O conteúdo da carta também era preocupante, porque deixou Vernon num dilema, se ele permitir que Harry vá então, Harry vai estar se divertindo, o que é muito ruim; no entanto, Mrs. Weasley também diz que ele pode passar o resto do verão com eles, o que significa que Harry vai sumir por uns bons quinze dias, e isso é bom. Sentindo a indecisão, Harry diz que vai ter uma resposta de seu tio rápido, e que ele vai escrever para seu padrinho, e Sirius vai querer saber onde ele está o que tem feito. Ao lembrar a existência de Sirius, Vernon sai da sua indignação e dá permissão para Harry ir.

Os Weasleys disseram que viriam buscar Harry; Vernon fica imaginando como eles vão chegar, e como estarão vestidos, normalmente ou naquelas vestes. Vernon estava usando seu melhor terno de trabalho, para tentar intimidar os Weasleys. A hora marcada chega e passa, com Harry olhando para fora aguardando a chegada deles, quando ouvem um barulho dentro da lareira: Mr. Weasley havia feito uma ligação com a lareira dos Dursleys pela rede do Flu, para esse dia, e ele, Fred e George e Ron todos chegaram à lareira, que estava fechada com uma parede. Mr. Weasley explode a parede usando magia para tirar sua família lá de dentro, cobrindo Vernon e Petúnia de poeira branca. Os dois, espantados não dizem nada, embora Arthur tente conversar, enquanto Fred e George correm para pegar as coisas de Harry. Quando eles voltam para a lareira, Fred espalha um pacote de caramelos pelo chão e, embora cate uma porção deles, deixa um para trás. Uma vez que todos os Weasley partiram, Harry se prepara para ir, quando Mr. Weasley faz com que ele pare. Arthur lembra a Vernon que Harry está indo e vai ficar fora vários meses, será que Vernon não vai sequer dizer adeus? Emburrado, Vernon diz “então, adeus.” Arthur está espantado com a grosseria, mas Harry se prepara para entrar na lareira. Ele para com um ruído de engasgo: Dudley encontrou e comeu o caramelo que Fred deixou para trás, e sua língua ficou imensamente grande. Irado, Vernon começa a xingar Mr. Weasley. Quando Harry parte, só vê Mr. Weasley destruindo os bibelôs que Vernon jogava contra ele.

Em determinado momento, Hermione comenta que os Dursleys ficariam satisfeitos de saber como ele estava indo bem no Torneio Tribruxo. Harry duvida, dizendo que eles ficariam mais felizes se ele conseguisse ser morto. Vernon encontra Harry na Estação, e como sempre, está azedo e calado.

A Ordem da FênixEditar

Sabendo que Voldemort voltou, Harry está muito interessado tanto no mundo mágico, quanto nas notícias dos Trouxas, procurando evidencias do retorno. Ele não consegue ver o noticiário dos Trouxas sem ser aborrecido por tio Vernon, então, para, pelo menos ouvir as notícias, esperando conseguir reconhecer efeitos da magia negra, ele deita no jardim, escondido dos vizinhos pelos gerânios, escutando através das janelas abertas. Enquanto ele está ali deitado, escuta um barulho na rua e reconhece o som de alguém desaparatando, ele pula, ergue a varinha, apenas para dar com a cabeça na janela, onde Vernon está debruçado. O tio, descobrindo Harry, o puxa através da janela, e faz uns ruídos conciliatórios para os vizinhos, que olhavam chocados, para fingir que não havia nada errado. Vernon e Harry discutem em voz baixa, até que Harry vai embora, em parte para investigar o barulho que ouviu.

Mais tarde, Harry traz um Dudley muito mal para casa, porque foram atacados pelos dementadores. Harry pensa em fugir para o quarto, mas Dudley consegue mencionar Harry, e Vernon chama Harry, para saber o que houve com seu filho. Harry recebe uma carta do Ministério da Magia, o expulsando de Hogwarts e dizendo que sua varinha seria destruída. Ele então decide se tornar um fugitivo, mas antes que possa passar pelo tio Vernon, recebe uma coruja de Arthur Weasley, dizendo para ficar na casa do tio, não deixar os representantes do Ministério quebrarem sua varinha, e não usar magia de novo; Dumbledore está resolvendo tudo. Como tem que ficar em casa de qualquer jeito, Harry fica na mesa da cozinha e tenta explicar o que aconteceu. Ele insiste em que não usou magia contra Dudley, que foram os dementadores. Quando Vernon pergunta quem são os dementadores, tia Petúnia responde, “eles são os guardas da prisão dos bruxos, Azkaban.” A revelação de Petúnia choca a todos, inclusive a própria Petúnia, que, atrasada, cobre sua boca com as mãos, como se percebesse que tinha acabado de dizer uma coisa horrível. Harry fica encantado ao perceber que estava sentado na cozinha antisséptica de tia Petúnia, respondendo perguntas sobre o mundo mágico. Enquanto isso chega outra coruja de Arthur, e uma de Sirius, contando rapidamente que a situação foi resolvida. Finalmente chega outra do Ministério da Magia, revogando sua expulsão e destruição da varinha. Ao invés disso, o destino de Harry estava marcado para uma audiência as “9 da manhã do dia 12 de agosto”. Quando Harry diz que Lord Voldemort voltou, tio Vernon, reconhecendo o perigo que ele e sua família estavam enfrentando com Harry em sua casa, exige que ele vá embora. No entanto, é interrompido por uma última coruja carregando um Berrador. E este é para Petúnia! Uma voz ameaçadora ressoa pela cozinha: “LEMBRE A ÚLTIMA VEZ, PETÚNIA!” Petúnia rapidamente enfrenta o marido, insistindo que Harry deve ficar na casa, dizendo que mandá-lo embora nessa altura, faria os vizinhos falarem, e mandando que ele vá dormir imediatamente.

Harry está novamente trancado no quarto, mas não sabemos se foi decisão de Vernon ou de Petúnia. Três dias depois, Vernon diz que ele e Petúnia foram convidados para o Premio de Melhor Jardim dos Subúrbios e estão deixando Harry sozinho na casa, trancado em seu quarto. O garoto os escuta partirem. Logo depois a Guarda Avançada chega para leva-lo até o quartel general da Ordem da Fênix. Quando está partindo, Harry imagina o que Vernon vai pensar quando descobrir que não tem Premio nenhum de Jardins.

Quando Harry volta a Londres para as férias de verão, ele encontra Mr. e Mrs. Weasley, Tonks, Lupin e Olho-Tonto Moody, que diz a Harry que eles desejam ter uma conversa com seu tio e sua tia respeito do modo como o tratam. O grupo todo confronta tio Vernon, o intimidando, embora ele tentasse ser arrogante e discutir concessões para o conforto de Harry, eles avisam que vão estar em contato seja por corujas ou em pessoa.

O Enigma do PríncipeEditar

Embora o Professor Dumbledore tenha dito a Harry que chegaria em duas semanas das férias de verão, para levá-lo até a Toca, Harry não contou aos Dursleys, um pouco por medo que não acontecesse. Portanto, quando Dumbledore chega, os Dursleys ficam atordoados, quase insensíveis. Dumbledore fica a vontade, ajeita os Dursleys sobre o sofá; depois oferece cerveja a todos. Os Dursleys se recusam a aceitar a bebida, embora os copos ficassem cada vez mais animados e insistentes, querendo ser pegos, até que um deles acaba batendo na cabeça de Vernon e entornando a maior parte de seu conteúdo quando isso acontece. Dumbledore e Harry estão conversando sobre a herança de Harry; Sirius, parece, deixou para Harry a casa em Grimmauld Place e tudo o que contém. Isso atrai a atenção de Vernon, Harry tem uma casa em Londres? Quando, para testar se a casa de fato pertence a Harry, Dumbledore chama o elfo doméstico, Monstro, Vernon e Petúnia ficam ambos revoltados com aquela coisa imunda no meio de sua sala impecável. Depois que Harry arrumou suas coisas da escola e levou o malão para baixo, Dumbledore se dirige aos Dursleys novamente, dizendo que esperava que os Dursleys tratassem Harry como filho, ao invés de maltratá-lo como fizeram. No entanto, Harry, não foi tratado tão mal quanto a criança que está entre eles. Tanto Vernon quanto Petúnia olham em volta, como se estivessem esperando ver alguém diferente de Dudley. Dumbledore diz então, que Harry precisa retornar à casa deles no próximo verão, pelo menos por pouco tempo, mas que essa proteção magica nesse lugar vai terminar, quando ele for maior de idade. Quando Vernon avisa que Harry vai fazer 17 e não 18 anos, Dumbledore diz que no mundo mágico, 17 é maioridade, Vernon diz que isso é estúpido. Nesse ponto Dumbledore, deixa a Rua dos Alfeneiros. Uma vez que esse livro temina antes que Harry retorne para o verão. Vernon não aparece mais.

As Relíquias da MorteEditar

Harry, acompanhado de Kingsley Shacklebolt e Arthur Weasley, fica tentando convencer tio Vernon a aceitar a oferta para se refugiar num lugar seguro, caso Voldemort ataque a casa deles, uma vez que a proteção vai terminar. Vernon parece bem satisfeito por falar com Kingsley, que ele viu na televisão em companhia do Primeiro Ministro, mas não confia nem em Harry e nem em Arthur. Em certa altura ele pergunta porque Kingsley não pode ficar para protegê-los, e Harry nem tem resposta. Quando vemos Vernon logo no inicio, ele tinha mudado de ideia novamente, dizendo que não ia deixar sua casa, porque achava que Harry iria transferi-la para o nome dele. Harry diz que já tem uma casa em Londres, e que por nada no mundo ele ia querer ficar na Rua dos Alfeneiros novamente.

Quando os membros da Ordem da Fênix , que irão viajar com os Dursleys chegam, Vernon não está muito confiante. Dedalus Diggle, um homem baixinho, saltitante, que diz que não entende porque todos os gadgets num carro preocupam Vernon, e cujo relógio, estranhamente, fala, dizendo que eles estão atrasados. Hestia Jones, que, embora, menos extravagante, também não impressiona Vernon. De qualquer maneira, os três Dursleys e os dois bruxos sobem no carro dos Dursleys e essa é a última vez que vimos Vernon, indo para um local seguro.

Pontos FortesEditar

Pontos FracosEditar

Vernon é um homem cruel de mente estreita. Ele detesta ter Harry sob seu teto e raramente perde uma chance de maltratá-lo. Vernon tem medo do mundo mágico e considera as habilidades mágicas de Harry, uma coisa anormal, que deve ser abafada e escondida. Vernon perde a linha cada vez que alguém menciona o mundo “M”.

Relacionamentos com Outros PersonagensEditar

O relacionamento de Vernon com outros personagens é muito diferente em sua natureza, mas aparentemente sempre superficial. Com relação a Harry, vemos que Vernon não se interessa pelas coisas que o garoto possa precisar, inclusive se recusa a assinar a permissão para Hogsmeade. Vernon sempre prende o sobrinho no quarto durante dias. Ele é abusivo, verbalmente e emocionalmente e até mesmo fisicamente numa ocasião. Conforme Harry amadurece e se torna um bruxo mais poderoso, os sentimentos de Vernon com relação a ele mudam, se torna menos autoritário e mais temeroso. No início do sexto livro, Vernon está com mais medo de Harry, porque ele agora é um bruxo quase adulto.

Vernon age de forma totalmente diversa com seu filho, Dudley, o cobrindo de presentes e fazendo concessões quase infinitas para seus desejos. Na verdade, até se pode argumentar se a motivação de Vernon é afeição pelo filho, ou a simples necessidade de manter as aparências. Mas, ele parece ser genuinamente apaixonado pelo filho.

É difícil determinar os sentimentos de Vernon por sua esposa, Petúnia, ou sua irmã, Marge. Pode ser que o que nós vemos, seja Vernon, agindo para manter as aparências. No entanto, Vernon dá atenção às fraquezas e opiniões de Marge, ele se encolhe quando Marge coloca o prato no chão para o cachorro, e mantem o copo dela cheio, numa tentativa de evitar que ela fique xingando Harry. Com relação a Petúnia, ele parece um marido atencioso, cuidando da esposa, mas a própria Petúnia parece desencorajar a intimidade, fica muito difícil determinar quais os sentimentos, se é que existe algum, eles sentem um pelo outro.

AnáliseEditar

Claramente, o sentimento que rege Vernon Dursley é “o que as outras pessoas pensam”. Desde o inicio do primeiro livro, parece que sua imagem do mundo é baseada no que ele acha, que os outros pensam sobre ele, e ele sofre para parecer “normal”. Por causa disso, quando coisas não normais acontecem em volta de Harry, Vernon em geral castiga Harry de maneira desordenada. Os acontecimentos no zoo, livro 2, são totalmente fora do normal, e o castigo de Harry é ficar trancado no armário debaixo da escada durante vários dias.

Embora seja o chefe da família onde Harry mora, Vernon claramente não é uma figura de pai para Harry. Podemos inclusive perguntar se ele é uma figura de pai para seu próprio filho, Dudley, porque ele não é especialmente bom; pode ser apenas um motivo de segurança. Dudley parece enxergar Vernon como uma fonte de presentes e brinquedos. Sabemos que Harry, de alguma forma, idealizou seus falecidos pais, o que é claro, torna Vernon menos capaz ainda de ocupar o papel de pai na mente de Harry; ao invés disso, ele é uma força opressiva a ser evitada, depois a se negociar e finalmente totalmente desafiado, conforme Harry amadurece e fica mais poderoso.

O papel de Vernon então, foi nos mostrar como Harry vai amadurecendo conforme a série avança. Conforme Harry desenvolve habilidades que Vernon jamais terá, sua auto confiança aumenta, na mesma medida em que sua disposição para enfrentar Vernon, por tudo aquilo que ele deseja ou precisa. Em suas interações com Harry, Vernon é derrotado pela necessidade de parecer normal para os seus vizinhos, e Harry, conforme se desenvolve usa isso em seus embates com Vernon e Petúnia. Assim mesmo, Vernon não parece uma pessoa genuinamente cruel. Seu amor por Petúnia e Dudley é verdadeiro, ainda que seja contra produtivo da forma que ele age. Ainda assim, ele parece honrar, em geral, as obrigações familiares em relação a Harry, embora Petúnia numa situação especial seja obrigada a lembrá-lo. Os castigos para Harry sempre são excessivos e a escritora deixa claro que grande parte da estadia de Harry naquela casa é terrível, graças a Vernon. Na verdade, ele não é um vilão como Voldemort, Bellatrix ou Umbridge, e nem mesmo tia Marge. É possível compará-lo a Cornelius Fudge, baseados no fato de que ambos tem o mesmo traço de caráter, a ignorância, e isso é mais importante do que se você é bruxo ou Trouxa.


PerguntasEditar

SpoilerEditar

Aviso aos leitores de nível intermediário: Seguem detalhes que vocês podem não querer ler em seu nível atual de leitura.

Visão CompletaEditar